Loading

[English and Portuguese] Transitioning – Recommence Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final)

  • 1st Month/ 1º Mês – Link
  • 2nd Month/ 2º Mês – Link
  • 3rd Month/ 3º Mês – Link
  • 4th Month/ 4º Mês – Link
  • 5th Month/ 5º Mês – Link
  • Withdrawal Update – Link
  • Second Withdrawal Update – Link

 

ENGLISH

 

Good evening!

You read it correctly. The treatment will continue, under new medication! Rejoice~

Of course, it has been a long while since I’ve made these updates. If you are one of my older followers and an often reader of most buffoonery I spew on my website and social media, you are probably wondering about how I’ve been doing. Or perhaps not, perhaps you are merely curious and nosy. Regardless of genuinity and perception, you are welcome. My last update was written on August 17th. I began my therapy on the 15th of December 2016, had to forcefully stop on May 11th 2017. I’ve resumed my therapy yesterday, on November 17th 2017. It may not have been on the 15th, as pattern to most of my meaningful events in life.. but I digress, given how I didn’t had to wait for December this time.

 

In this post, as I’ve became aware with time as someone who casually and seasonally creates blog posts, the best format for these updates is to be first and foremost direct to the point. Then, after the updates, the highly emotional drivel that I personally feel need to share regardless of people’s interpretation. Again, I’m aware that not many are keen to read such type of “emotional pornography”, as I heard someone criticize me once privately. Crude remarks aside, I do admit that I do enjoy writing in what most writers would like to describe as a “stream of consciousness”, as another critic evaluated my writing.

 

 

After August, I was unable to maintain my job and had to, unfortunately, cease it. Many people tried to advise me against such but, as always, I ended up doing what I felt to be the right thing to do without regrets. Yes, I have no regrets on such regard, for it was needed. As such, when September loomed, I remained most of my time at home for obvious reasons.

To no one’s surprise, I hope, most of the aspects from before my transition came back, emotionally and physically speaking. Which is why I avoided almost everyone. Whenever or not those people that tried to approach me to no avail feel certain discontempt over my deliberate lack of response, it was necessary to do so. I do believe that the most sensible will understand why exactly have I abstained from society at large. As far as people agree with my approach to such predicament or not, that is little of my concern. I am an adult, dealing with abnormal issues after all and people need to realize that there are things they’ll never understand and thus only have to accept that they don’t know how it feels and how one should act in such situations.

 

I had an appointment with my Endocrinologist at the beginning of November. Another blood exam given and an overall disappointment with my doctor. Though I would rather not disclosure the overall ineptitudes from our appointments, I have started to contemplate on other known Endocrinologists.

On the 10th, I had my first Gastroenterologist appointment within the public healthcare. The values.. have not lowered. In fact, they have risen beyond even the results set on May!
However, though it’s certain that the former medication had provoked such values, something else is keeping those values high. They should had lowered, given the lack of any type of medication. Despite such, I am now under the gaze of this new Gastroenterologist. She will be watching over those values, to solve a mystery. She has a few theories, though she is waiting to see any evolution or new symptom. Given the lack of symptoms, she cannot act or form any accurate diagnosis. It could be the two centimeter stone on my gallbladder, it could be an awful genetic makeup who merely cannot cleanse the liver at a normal pace. She also suggested that it could be related to the thyroid, though the Endocrinologist denies any correlation with it since, according to past blood exams, my thyroid is fine.

At the end of the appointment, my Gastroenterologist found no issues with resuming my treatment, despite the values. To which made me more than glad to give the good news to my Endocrinologist on the 16th. Cornered by the fact two Gastroenterologists agreed that I could resume my therapy, she had no choice but to prescribe new Testosterone Blockers!

 

Cyproterone wasn’t a good medication to be used. After all, such values were not a surprise to the Gastroenterologist, since she had seen similar values on at least three cases of elderly men with prostate issues who took the same medication. It is no wonder such medication is banned in the United States, there are better alternatives. To which is why I’m beginning to question my Endocrinologist and contemplating on a more capable professional. We’ll see..
Either way, though I will not reveal the name of the new medication, I was told that it will work the same way as the previous medication. Though I’m taking a lower dosage to test my reaction to it at first, the only side effect I should be concerned about is associated with my blood pressure. It may lower it, though after my Endocrinologist questioned my blood pressure and I’ve told her my history and overall values, she felt that I should be fine.

 

With this new medication, my Endocrinologist advised me to focus on things that make me happy. Avoid stress, healthy diet, good sleeping patterns. Of course, I won’t take such advise lightly.. for I am trying my best to do so. Though, to be honest, it doesn’t only depend on me.
I’ll have more regular exams in the next few months, a more careful approach from the doctors. It is reasonable and I do feel that my Gastroenterologist is quite experienced. As for the Endocrinologist, I’ll have to try elsewhere privately.

As far as income, I do believe March is a good month to begin working once again.. if my co-workers agree with such. If such is not possible for whatever reason, I will have to find a new one once I get my new ID eventually. Which brings me to a rather peculiar and frustrating revelation.

 

In Portugal, to change one’s identification (Name and Sex), one needs to have two verified specialists to sign and vouch that the diagnosis for gender dysphoria is correct. I already had my two psychological tests done and signed by two entire different teams on separate hospitals.. for quite a few years. All that is left is a paper with two signatures, to be sent to the right people to open a case and change my identification legally.
Political opinions aside, as I am personally of the opinion that one should be diagnosed with gender dysphoria to legally change such documentation; I could had my new ID a long time ago. Unfortunately, one of the doctors was stubborn enough and desired for one of his colleagues to sign the paper.. despite the fact she wasn’t on the list of verified doctors to do so. He claimed that she was and that the public list was merely not updated yet. However, to my surprise, as the list was updated in September.. not only is his colleague’s name not there.. his name was taken away. Together with a supposed surgeon that I had planned. In short, I need other people to sign it.

I would like to believe those two names were taken out of the list given that the psychologist in question is, in my opinion and of other many, not a capable professional to deal with such issues. As for the surgeon, he was recently caught on national news for being part of a major fraud. Whenever or not those news are true or merely political driven by people with conflicting views that wish for a change in the way Transsexuals are handled in the country in favor of people that claim to be Non-Binary and/or lack gender dysphoria yet desire to change their ID.. is still a mystery and I rather not dwell on conspiracies. I rather focus on my own therapy for now.

As such, given my need to change my ID to find a new job, in case my former co-workers do not wish me back for whatever reason (for legit reasons or not, doesn’t matter, not pointing fingers); I will try to find one of the Endocrinologists that is part of the list of people that can sign. That way, I can solve two issues with only one doctor’s appointment! We’ll see if I can get an appointment still in November with a new Endocrinologist.

After all, without a steady monthly income, I’ll be unable to carry on with my transition. And that would be devastating! So, given the uncertainty of my employers towards March, I would appreciate any suggestions for a possible new source of income in case such becomes needed. It’s important that I have my new ID beforehand, of course. As far as Portfolios go, I will be sure to create one in case it has been established that my employers do not desire my services (since I do need to pay a single visit to the office to gather all the files needed to create such Portfolio).
I am a Graphic Designer that also knows a little of Web-Design. However, as any “millennial” knows, we can’t give ourselves the luxury of limiting ourselves to a specific field. As such, any reasonable job is welcomed within the area I live in (as vague that might seem to some).

 

As far as the therapy that I have begun and what to expect, if nothing wrong happens, I already know what is coming.. and so are you, reader. In the next few months, the changes will happen. The same effects that have been written before will happen once again, at the same pace and order. The same temporary physical pains and wonders, except with less amazement since I already know what’ll happen and when. All I can do is be glad that I am going back to how I was and, hopefully, will go beyond this time!

The doctor said to focus on things that make me happy, to which I will. Unlike the “first season”, I will try to enjoy myself and the things that I genuinely want to do in life without delay or expecting things to get better. I am 27 years old, I want to finally live my 20’s while I’m still.. well, in my 20’s. Of course, such isn’t possible without my treatment, as many would like to claim that absolutely nothing stopped me from enjoying life. Those people know not of what they are talking about, obviously.

Now we’ll get to the sentimental part of the blog post.
I do warn though, dear reader. Don’t read the following part if you are struggling with depression yourself.

 

 

Every Transsexual knows how frightening is the idea of “de-transitioning” for whatever reason. The very few that I’ve talked to.. they could only imagine the pain I’ve been through during this time between May and November. It felt like an eternity, much longer than the time I’ve felt between December and May. It can get quite lonely and, honestly, I’ve never felt so biter! Darker thoughts came to mind, into great detail and planning. Such ideas were welcomed instead of shuttered, it gave peace of mind to imagine the freedom it would provide from everything that was happening.

 

Mental Illnesses are.. incredibly misunderstood by the general population. When you are sick, or you break a bone or body part, people tend to understand you better and form more empathy towards you. Yet a mental illness, for some reason, is easily discarded as something someone should easily handle. When someone breaks an arm, no one asks the person to “ignore” the pain in their arm and to use it as if nothing had happened. Yet, a mental illness, people expect you to have a normal life and to react to situations like a healthy person would. It’s.. unfair.
I always knew that, of such reality and fact about life and our culture. The reason why I deviate from society is not because I dislike someone or people in general. It’s not because I don’t desire for people to comfort me. I abstain from society at large in such situations, despite all the suggestions to not do so.. because I’m aware that society can kill you faster when you are more vulnerable.

 

In May, I “passed” well in society. Noticing such not being the case in late August/early September devastated me. My parents were starting to treat me correctly, because their eyes could not lie. For me, it was an achievement, considering their religious background. But yet, the very same people who were already treating me correctly.. they returned to their old habits. It felt natural to them, the same it felt natural when I “passed”. Though the usual people will tell you how beautiful you are and that you still somehow “look great”, you know that it is a lie. Because the same people will fall to the same pits and hiccups from earlier days.
Humans are animals, they can’t help but call it for what it seems. It’s part of their instinct, no matter how much one can control against it. Without my treatment, there’s no way I can function in society. With my treatment, people naturally feel inclined to act accordingly to a basic truth about my existence.

 

In your mind, during such nightmare, all you can think about is not that “things will get better someday”. That is uncertain, there’s no garante to such words. It’s wishful thinking, it’s a belief that I would rather not entertain myself with. I like to have control over my own life, know that the things I care about are certain. I like certainties rather than questions, because it makes me feel safer. I already have plenty of questions, I’m already uncertain about so many things in life. The least I need is.. more questions and maybes.
Questions make me believe that the worst thing can also happen. When there’s a possibility that the worst thing can happen, it frightens me. Having control over my life assures me that I can change the odds to my favor.

No. What you actually think about during such moments is “if nothing bad had happened, the things I would be doing right now. I would probably already be doing my surgery. If nothing bad had happened, I would had celebrated my first Halloween somehow! I could had gone to the beach during that Summer. Or spend a vacation somewhere, get to know someone.” Those kinds of thoughts, I’m sure you understand. Hence the bitterness when you think about it and then look around you only to notice people still walking on eggshells when they talk to you. That shouldn’t be happening by now. For a moment in the past, months ago, there were no eggshells.
Do you, reader, understand the amount of grudge and pain one feels for the world around them in such situation? For me, it felt that I had cultivated so much hatred for life itself that, at times, I feared that I would never be able to feel loved and love someone else in return.. even if life turned out in my favor once again. It’s not something that you forget. It is not something you simply “accept”. It’s an experience that molds you, it forces you to see how society actually is and not what we think or wished it was. Even at times, it seemed as if I finally understood the mentality behind the so called “SJW’s” on the far left, politically speaking.. or at least what drives them to their activism.

Again, Beauty is pain. Though I really believe this pain was unnecessary at this point, considering everything else I’ve already been through. But we don’t get to choose when such calamities happen. But hey, I’m still alive for now.. let’s hope that never happens again.

 

I could mention a few specific examples of humans being humans.. but honestly, I don’t even have the energy to do so currently. But I will add one last thought to the wall of lamentations to a specific unnamed individual.

When someone is having darker thoughts, don’t be silly and suggest to “don’t do it, think of your friends and family”. You don’t know anything about my life to make such claim, to assume my friends and family would collapse without my presence. They would feel sadness and grief for a few weeks, my family would be the most affected by it for the rest of their life without a doubt. But they would survive. I’m certain of that. If I had a husband and children, then such suggestion would make sense. But I’m single and have no child, no one depends on me to survive. And no one is that emotionally invested to collapse in such a way.
And yes, my family would suffer the most but they are also religious. They would trust in their god and they would survive with their faith. I know that, I was once part of their religion, and their religion doesn’t believe that death is the worst thing that can happen (to be honest, me neither, despite the lack of belief in deities. There are worst things than death). The worst thing that could happen already happened in their viewpoint, turning away from their god. Plus, they believe in resurrection. So, the way they would approach anyone’s death is that it’s “temporary” and that god only resurrects “good people”.

.. So no. Don’t be foolish. It only makes you seem like you care more about my family than myself when the only thing you can say is “think of the family” and that “we will love you, no matter if a man or a woman”. It doesn’t work that way. It never will. In fact, it does the opposite of what you intended. It gives more reasons to entertain those thoughts even further. Because it only shows how much I despise humanity sometimes. Next time if you want to help under such dire circumstances, focus on my issues and emotions instead of thinking how would “others feel about it”. If you don’t have anyone dependent on you to live, the only thing that keeps you alive is the possibility and hope that one can still find happiness. So, to aid someone under such predicament, appeal to their desires and provide them a reason to give life another chance.

I’m only saying this now and on this blog post since I’m less gloomy given the positive news. I’m willing to forgive you with time, when I get better. I do not know if I’m examining your words correctly or just assuming things that aren’t true. I want to believe that I’m wrong, so allow me some time to recover and become happier with life in general. But the advise still stands, be mindful when talking to someone who has darker thoughts and don’t just spout the first thing that sounds nice to the ear. Leave it to a professional or to someone who has had experience dealing with people under such thoughts. Words, tone and body language matter much more than you think.

 

 

Darker emotionally driven walls aside, what I intend to do in the future; besides keeping a watchful eye on my liver, doing my therapy and find a way to legally alter my ID as quickly as possible, return to my old job or find a new one; is to focus on the things that make me happy.

As such, I’ve decided to begin training my voice. Given that I am not currently working, thus a less busy life and more alone time, it will allow me to do so without the fear of sounding silly to anyone listening to me try. That was what kept me from training, despite the fact I’ve attempted several times in the past to have a daily training routine.
Once I’ve become more comfortable with my own voice and (once again) with my appearance, I might start doing videos on youtube. Mostly about the things that I like rather than a larger focus on an attempt to harvest attention for my own predicaments.
I really don’t want to be known as merely “the victim of X, Y, Z and W”, but, if I am to be known, I would rather if for my creativity and opinions on aspects related to things that are part of geek culture. Why would I do so? Because I think it could be fun and it does send a happier message to a wider audience rather than a “victim” narrative. However, I also believe that my life experience could prove useful for certain people, which I won’t shy away from expressing it once in a while.

I’ll begin to draw once again, hopefully in January. Again, there’s absolutely no point in practicing a new style of drawing when I’m still under the influence of testosterone. In fact, when I stopped my treatment, I somehow was able to regain my former art style. But I didn’t invest on it. So, once my emotions start to make sense once again, I’ll be able to properly attempt a new art direction. I intend to draw cartoons, as always. I’m a storyteller at heart, cartoon characters have been my medium. It would be a shame to not invest time on such artistic expression.

 

My life experience has given me much to think about and to share eventually. As I’ve mentioned, mental illnesses are often misunderstood by society at large. While being a transsexual is but an aspect of my life, I am much more than a victim of gender dysphoria. Plus, there are already plenty of voices speaking about such issues. Given current political climate, I would rather turn my attention to former Jehovah Witnesses.
Though I dislike the idea of someone forming or joining a community based on such aspects, I must say that the “Ex-JW community” ends up being the community I overall identify the most with besides geek culture. To be fair, they have interacted with my content the most online. They seem interested in my voice, rather than any other type of voice out there that claims to be part of one community or another. It is my desire to interact with it more often eventually.

 

 

As far as these updates go, given what will happen in the next few months will prove to be predictable.. I will wait until further major news related to my transition to make a new update. I could make a monthly update but, to be fair, it would be pointless. You might as well read former updates to have an idea of what’ll happen.

That’ll be all for now. Thank you for reading and I’ll see you on a next update! Hope you have a nice holiday and a good view for the fireworks in New Years’!

 

 

 

PORTUGUÊS

 

Boa tarde!

É verdade, leram correctamente. Vou continuar com o tratamento, com nova medicação! Alegrem-se~

Claro, já faz algum tempo desde que escrevi uma actualização. Se és um dos meus seguidores mais antigos e uma pessoa que lê as parvoíces no meu website e redes sociais, é provável que questiones como tenho estado. Ou se calhar não, poderás apenas ser uma alma curiosa e bisbilhoteira. Independentemente da legitimidade e percepção, são bem vindos. A minha última actualização foi escrita no dia 17 de Agosto. Eu comecei a minha terapia no dia 15 de Dezembro 2016, forçosamente parei no dia 11 de Maio 2017. Comecei a minha terapia hormonal ontem, dia 17 de Novembro 2017. Pode não ter sido no dia 15, como todos os outros dias significativos da minha vida.. mas não interessa, visto que não tive que esperar até Dezembro desta vez.

 

Neste post, como alguém que tem aprendido com o tempo no que diz respeito a escrever blog posts de forma casual e periódica, o melhor formato para estas actualizações é ser primariamente directa. Depois das novidades, o lado mais emocional pelo qual eu pessoalmente sinto necessidade de partilhar independentemente da interpretação desses mesmos. De novo, tenho consciência que muitos não apreciam este estilo de escrita. Eu pessoalmente gosto, apesar de às vezes ser acusada de ser “exagerada” na descrição de tais emoções e factos. Eu não exagero, eu apenas tenho plena consciência dos mesmos e tento, dentro dos possíveis, fazer com que as pessoas entendam com pouca margem para dúvidas. A vida é muito.. mais complicada e intensa do que poderão pensar.

 

 

Depois de Agosto, eu fui incapaz de continuar a trabalhar e tive que, infelizmente, cessar. Muitas pessoas aconselharam-me contra essa decisão mas, como sempre, eu fiz aquilo que senti ser o mais correcto sem arrependimentos. Sim, não estou arrependida de tal, porque foi necessário. Como tal, perto de Setembro, eu mantive-me em casa a maior parte do tempo por razões óbvias.

Para surpresa de ninguém, espero eu, muitos aspectos de outrora voltaram, emocionalmente e fisicamente falando. Pelo qual a razão de evitar tudo e todos. Independentemente das pessoas que tentaram contactar-me, durante este período de tempo, sem sucesso e sintam injustificadas pelo meu silêncio deliberado; foi um mal necessário. Eu acredito que as pessoas mais sensíveis ao sofrimento das outras pessoas irão entender o porquê de manter-me afastada da sociedade de forma geral. Se as pessoas concordam ou não com tal comportamento em face a esta dificuldade, isso pouco me importa. Eu sou adulta, eu lido com anormalidades. As pessoas precisam de ter consciência de que existem coisas pelo qual nunca irão compreender e que apenas têm que aceitar a sua ignorância no que diz respeito aos assuntos e sentimentos das pessoas que as levam a tomar acções menos convencionais.

 

Eu tive uma consulta com a minha Endócrinologista no princípio de Novembro. Outro exame ao sangue e um pouco desapontada com a minha doutora. Apesar de preferir não partilhar certos detalhes da inaptidão da médica durante as nossas consultas, eu já estou a pensar na possibilidade de ser seguida por um outro Endócrinologista.

No dia 10, eu tive a minha primeira consulta de Gastrenterologia no sistema nacional de saúde. Os valores.. não desceram. Na verdade, aumentaram ainda mais em comparação aos valores em Maio!
De qualquer forma, apesar do valor ter sido causado pela medicação anterior, algo mais está a manter os valores a esse nível. Eles deviam ter abaixado, com ausência de qualquer estilo de medicação. Apesar de tudo, eu agora estou em boas mãos, sob o olhar da minha nova Gastrenterologista. Ela irá vigiar os meus valores, para resolver o mistério. Ela tem algumas teorias, mas precisa que algo evolua ou de um novo sintoma. Com falta de sintomas, ela não consegue formar um diagnóstico e resolver. Poderá ser da minha vesícula biliar devido à pedra de dois centímetros, poderá ser por motivos genéticos. Ela também sugeriu que poderá ser da tiróide, apesar da Endócrinologista negar qualquer ligação com tais valores visto que, de acordo com os meus exames médicos, a minha tiróide está saudável.

No fim da consulta, a minha Gastrenterologista não achou algum problema continuar com o meu tratamento, apesar dos valores. O que me fez sentir grata de fornecer essas boas notícias para a minha Endócrinologista no dia 16. Com a opinião de dois Gastrenterologistas que concordam com a continuação do meu tratamento, ela não teve outra escolha se não prescrever um novo Bloqueador de Testosterona!

 

A Ciproterona não é uma boa medicação para ser usada. Afinal de contas, tais valores não surpreenderam a minha Gastrenterologista, visto que ela já viu valores similares em três casos de homens idosos com problemas de próstata que tiveram que tomar essa medicação. Não é de admirar que esta medicação esteja banida nos Estados Unidos, existem melhores alternativas. A razão pelo qual estou a pensar num outro Endócrinologista mais experiente. Vamos ver..
De qualquer forma, apesar de não ter intenções de revelar o nome desta nova medicação, disseram-me que irá actuar da mesma forma que a outrora. Apesar da dosagem mais baixa que vai testar a reacção a tal, o único efeito secundário pelo qual terei que me preocupar está associada à tensão. Poderá baixar, apesar de ela acreditar que nada deverá acontecer devido ao meu historial e valores coerentes.

 

Com esta nova medicação, a minha Endócrinologista sugeriu-me para focalizar nas coisas que me deixam feliz. Evitar stress, uma alimentação saudável, dormir bem. Claro, não vou ignorar tal conselho.. irei tentar o meu melhor. A verdade é que também não só dependerá de mim.
Irei ter exames mais frequentemente nos próximos meses, um cuidado mais acrescentado da parte das médicas. É razoável e acredito que a minha Gastrenterologista seja bem experiente. Já a minha Endócrinologista, irei procurar um outro em privado.

No que diz respeito a salário, eu acredito que esteja preparada em Março para voltar a trabalhar de novo.. se as minhas colegas me aceitarem de volta. Se tal não for possível por qualquer motivo, terei que procurar um novo emprego logo que obtiver um novo Cartão de Cidadão. Isto serve de motivo de preocupação para o tópico pelo qual irei revelar neste post.

 

Em Portugal, para mudar a identificação (Nome e Sexo), uma pessoa precisa das assinaturas de dois especialistas verificados que consigam diagnosticar disforia de género de forma correcta. Os meus dois exames psicológicos já tinham sido feitos e assinados por duas equipas hospitalares diferentes.. já por alguns anos. A única coisa que falta é um papel único com duas assinaturas, para ser enviado para as pessoas certas para elas abrirem um processo e alterarem os meus documentos legalmente.
Ignorando opiniões políticas, visto que eu pessoalmente sou da opinião que uma pessoa deveria ser diagnosticada com disforia de género para alterar tal documentação; eu poderia já ter um novo cartão de cidadão por algum tempo. Infelizmente, um dos médicos foi teimoso o suficiente e desejou que um dos seus colegas assinasse com ele.. apesar dela não estar na lista dos médicos oficiais que o possam fazer. Ele insistiu que a lista pública apenas ainda não tinha sido actualizada. A verdade, para minha surpresa, é que a lista foi actualizada em Setembro.. e não só não consta o nome dessa médica.. o nome dele foi retirado da lista. E também o nome do cirurgião pelo qual tinha planeado fazer a minha cirurgia eventualmente. Por poucas palavras, preciso de duas outras pessoas para assinarem.

Eu quero acreditar que esses nomes foram retirados da lista devido ao psicólogo em questão ser, na minha opinião e de muitos, incapaz de lidar com situações como a minha. No que diz respeito ao cirurgião, ele foi recentemente apresentado nas notícias por fazer parte de um boato falso com o objectivo de retirar pacientes Transsexuais no sistema público de saúde para ser ele (e a sua equipa) a fazer as cirurgias em privado. Independentemente da veracidade de tais noticias ou se é apenas fabricação de pessoas com objectivos políticos opostos que desejam a alteração na lei no que diz respeito à forma como os Transsexuais são tratados no país.. a favor das pessoas que acreditam ser pessoas Não-Binárias/sem disforia de género mas que, mesmo assim, desejam um novo cartão de cidadão.. é um mistério que prefiro nem pensar de momento. É melhor focalizar na minha própria terapia por agora.

Como tal, devido à necessidade de alterar o cartão de cidadão para facilitar a procura de trabalho, caso as minhas colegas não me desejarem de volta por qualquer motivo (não importa se os motivos são justificáveis ou não, não importa, não vou acusar ninguém de nada); Eu vou tentar comunicar-me com um endócrinologista que pertença à lista de pessoas que possam assinar. Assim, eu consigo resolver dois problemas com apenas uma consulta! Vamos confiar que vou conseguir ainda ter essa consulta este mês.

Afinal de contas, sem um salário seguro mensal, eu serei incapaz de continuar com a minha transição. E isso seria devastante! Portanto, devido à incerteza da parte das minhas empregadoras para Março, eu apreciaria qualquer sugestão para uma nova e possível fonte de salário caso isso seja necessário. Claro, será importante ter um novo cartão de cidadão primeiro. No que diz respeito ao meu portefólio, eu irei criar um caso as minhas empregadoras decidam não voltar a fazer uso dos meus serviços (visto ser necessário fazer uma visita ao escritório para copiar os ficheiros com todo o meu trabalho durante anos).
Sou Designer Gráfico e também sei um pouco de Web-Design. De qualquer forma, como qualquer pessoa da minha geração sabe, não podemos nos dar ao luxo de apenas procurar emprego dentro das nossas áreas de estudo. Como tal, qualquer trabalho razoável será bem vindo dentro da minha área de residência (por muito vago que isso possa ser para algumas pessoas).

 

No que diz respeito à terapia que comecei de novo e o que esperar, se nada acontecer de mal, eu sei o que irá vir.. e também os meus leitores sabem. Nos próximos meses, as mudanças irão ocorrer de novo. Os mesmos efeitos que escrevi outrora vão acontecer de novo, ao mesmo passo e ordem. As mesmas dores temporárias e maravilhas, excepto com menos espanto visto que eu já sei bem o que vai acontecer e quando. A única coisa que posso sentir é grata que vou finalmente voltar ao que era antes e, esperemos, ir ainda mais além desta vez!

A doutora disse para focalizar nas coisas que me deixam feliz, pelo qual irei fazer. Ao contrário da “primeira temporada”, eu vou tentar divertir-me com as coisas que realmente me fazem sentir feliz na vida sem esperar que as coisas poderão correr melhor. Tenho 27 anos, eu quero viver os meus 20’s enquanto eu.. ainda estou nos meus 20’s. Claro, tal não é possível sem o meu tratamento, ao contrário do que algumas pessoas poderão aclamar quando pensam que nada me impede de tal. Essas pessoas não sabem o que dizem, óbvio.

Agora sim, vamos entrar no aspecto mais sentimental dos eventos passados.
Apenas um aviso, leitor. Não leia os próximos parágrafos caso esteja a lidar com uma depressão.

 

 

Todas as pessoas Transsexuais sabem o quão assustador é a ideia de fazer uma “de-transição” (por falta de expressão em Português) por qualquer motivo. As poucas pessoas pelo qual falei.. elas só apenas conseguem imaginar o sofrimento que eu passei durante este tempo entre Maio e Novembro. Para mim, foi uma eternidade, muito mais do que o tempo entre Dezembro e Maio. Senti muito sozinha e, para ser honesta, nunca senti tanto rancor! Muitos pensamentos negativos vieram à mente, com muito detalhe e planeamento. Essas ideas foram bem vindas em vez de repudiadas, uma paz de mente quando imaginava a liberdade que tal poderia dar de tudo o que estava a acontecer.

 

As doenças mentais são.. incrivelmente incompreendidas pela população em geral. Quando uma pessoa fica doente, ou fractura um osso ou parte do corpo, as pessoas conseguem compreender e ter uma maior empatia para a outra. No entanto, as doenças mentais são facilmente ignoradas como algo que é simples de lidar. Quando alguém fractura um braço, ninguém diz para “ignorar” a dor no braço da pessoa e para usar esse braço como se nada estivesse de errado. Mas, para uma pessoa que sofre psicologicamente, as pessoas esperam que a vitima tenha uma vida completamente normal e que reaja às situações tal e qual como uma pessoa saudável. É.. injusto.
Eu sempre soube disso, de tal realidade e facto no que diz respeito à vida e nossa cultura. A razão porque me afasto da sociedade não é porque eu não gosto de alguém ou de pessoas de forma geral. Não é porque eu não deseje o carinho das pessoas. Eu faço tal nestas situações, apesar das sugestões todas contra tal.. porque eu tenho consciência que a sociedade pode matar mais rapidamente quando a pessoa se sente vulnerável.

 

Em Maio, eu “passava” bem na sociedade. Notar que tal já não era o caso no fim de Agosto/princípio de Setembro foi devastador para mim. Os meus pais estavam a tratar-me de forma correcta, porque os olhos deles não mentiam. Para mim, tal foi motivo de felicidade, considerando a religião deles. Mas mesmo assim, as mesmas pessoas que estavam a tratar-me de forma correcta.. voltaram para os seus hábitos antigos. Foi natural para eles, da mesma forma que foi natural quando eu “passava”. Ignorando as pessoas do costume que dizem que és bonita e que ainda tens “bom aspecto”, sabendo que era tudo mentira. Porque as mesmas pessoas caíram nas mesmas armadilhas e soluços nos seus diálogos como antigamente.
Os humanos são animais, eles não conseguem evitar de chamar as coisas pelo que parecem ser. Faz parte do instinto, não importa o quanto uma pessoa lute contra tal. Sem o tratamento, não existe maneira de lidar com a sociedade. Com o meu tratamento, as pessoas sentem naturalmente inclinadas a agir de acordo com uma verdade básica da minha existência.

 

Na minha mente, durante tal pesadelo, eu não conseguia ter esperança de que “as coisas ficarão melhores”. Isso é incerto, não existe garantias para tais palavras. É apenas um desejo, uma crença que prefiro nem entreter na minha mente. Eu gosto de ter controle na minha própria vida, saber que as coisas que me preocupo são certas. Eu gosto de certezas em vez de dúvidas, porque isso me faz sentir segura. Eu já sou uma pessoa com muitas dúvidas por natureza, com muitas inseguranças. Do que menos preciso é.. de mais perguntas e “talvezes”.
Perguntas fazem-me acreditar que o pior poderá acontecer. Quando existe a possibilidade de que o pior poderá acontecer, isso assusta-me. Ter controle na minha própria vida assegura-me que tenho possibilidade de alterar as coisas a meu favor.

Não. O que penso nesses momentos é “se nada de mal tivesse acontecido, as coisas que poderia estar a fazer neste momento. Poderia estar a fazer a minha cirurgia. Se nada de mal tivesse acontecido, já teria celebrado o meu primeiro Halloween! Eu poderia ter ido para a praia durante o Verão. Ou ir de férias a algum lado, conhecer alguém.” Esses pensamentos, eu acho que conseguem compreender. Por isso o rancor que sinto quando penso assim e depois olho ao meu redor só para verificar as areias movediças que as pessoas evitam só para falarem comigo sem me magoarem. Isso não devia estar a acontecer neste momento. No passado, não existiam armadilhas.
Conseguem compreender o rancor e dor que uma pessoa sente pelo mundo ao redor numa situação destas? Para mim, eu senti que cultivei tanto ódio pela vida que, por vezes, tive medo de nunca mais ser capaz de sentir amada e de amar alguém de volta.. mesmo se a vida me favorecesse de novo. Não é algo que se esquece. Não é algo que se “aceite”. É uma experiência que nos molda, que nos força a ver a sociedade por aquilo que realmente é e não por aquilo que pensamos ou desejá-se-mos que fosse. Por momentos, até senti que finalmente percebia a mentalidade por detrás desses movimentos políticos modernos da extrema esquerda.. ou pelo menos o que alimenta tal forma de activismo que repudio.

De novo digo, a beleza é criada com muita dor. Apesar de acreditar que esta dor é desnecessária nesta altura, considerando tudo o que já vivi até agora. Mas nós não escolhemos quando tais calamidades podem surgir. Enfim, ao menos ainda estou viva por agora.. vamos ter esperança que este pesadelo não repita de novo.

 

Eu poderia mencionar casos específicos de humanos a comportarem-se como humanos.. mas para dizer a verdade, nem tenho energias para tal. Mas apenas vou partilhar um último pensamento para este moral das lamentações para alguém muito específico e anónimo.

Quando alguém está a contemplar pensamentos mais negativos, não sejas tolo ao dizeres “Não faças isso, pensa nas tuas amizades e família”. Tu não sabes de absolutamente nada da minha vida para fazer tal apelo, assumires que as minhas amizades e família iria entrar em colapso sem mim. Iriam sentir tristes e mágoa por algumas semanas, a minha família mais afectada para o resto da vida, sem dúvida. Mas iriam sobreviver. Tenho a certeza disso. Se ainda tivesse um marido e crianças, então tal sugestão faria sentido. Mas sou solteira e sem filhos, ninguém depende de mim para sobreviver. E ninguém está assim tão emocionalmente investido ao ponto de entrar em colapso.
E sim, a minha família iria sofrer bastante mas eles também são religiosos. Eles iriam confiar no seu deus e iriam sobreviver devido à fé que tem. Eu sei disso, eu já fiz parte da mesma religião, e a religião deles não acredita que a morte possa ser a pior coisa que pode acontecer (para ser honesta, eu também não, apesar da falta de crença em deuses. Existem coisas piores que a morte). O pior que poderia acontecer do ponto de vista deles já aconteceu, virar as minhas costas para o deus deles. Aliás, eles acreditam na ressurreição. Portanto, eles olham para a morte de qualquer pessoa como algo “temporário” e que deus apenas ressuscita “pessoas boas”.

.. Portanto não. Nada de tolices. Para mim, pareceu que apenas te importavas com a minha família em vez de mim quando dizes para “pensar na família” e que “sempre te iremos amar, independentemente se homem ou mulher”. As coisas não funcionam dessa forma. Nunca irá. De facto, tais palavras tem um efeito oposto do que pretendido. Providenciam ainda mais razões para pensar tais coisas. Porque demonstra o quanto a humanidade me repudia por vezes. Para a próxima, se desejares me ajudar sob tais circunstâncias, focaliza-te nos meus problemas e emoções em vez de pensares no que os “outros poderão sentir”. Quando ninguém depende de ti para viver, a única coisa que nos mantém cá é a possibilidade de um dia encontrar felicidade. Portanto, para ajudar alguém sob tais condições, o melhor é apelar para os desejos dela e providenciar motivos para a pessoa dar uma nova chance.

Eu apenas estou a dizer isto de momento neste blog post porque sinto menos triste devido às boas notícias. Estou disposta a perdoar-te desta vez, assim que ficar melhor. Porque eu não sei se estou a examinar as tuas palavras de forma correcta ou se apenas estou a assumir coisas que não são verdade. Eu quero acreditar que estou errada, portanto permite-me algum tempo para recuperar e sentir mais feliz com a vida de forma geral. Mas o conselho ainda se mantém, tem cuidado ao falar com pessoas com pensamentos macabros e não digas a primeira coisa que vier à cabeça e que pareça bem ao ouvido. É melhor permitir um profissional ou alguém com experiência lidar com tais situações. Palavras, tom de voz e linguagem corporal importam bastante nestes casos, mais do que possas imaginar.

 

 

Emoções obscuras escritas num mural aparte, o que pretendo fazer no futuro próximo; para além ver examinar o fígado, fazer a minha terapia e de encontrar uma maneira de alterar a minha identificação quão breve possível, voltar ao meu trabalho antigo ou encontrar um novo; é de focalizar nas coisas que me fazem sentir feliz.

Como tal, decidi começar a treinar a minha voz. Visto não estar a trabalhar de momento, logo tenho uma vida menos ocupada e com mais tempo para mim mesma; isso irá providenciar oportunidades para treinar a minha voz sem ter receio de sentir tonta para quem me ouvir. Isso foi o que me fez não treinar a minha voz, apesar das várias tentativas no passado de criar uma rotina diária de treino.
Assim que sentir-me mais confortável com a minha voz e (de novo) com a minha aparência, eu penso começar fazer videos no youtube. Videos com respeito às coisas que gosto em vez de um grande foco desnecessário nos meus problemas e passado.
Eu não quero mesmo ser conhecida como “a vitima de X, Y, Z e W”, mas, se é para ser conhecida por algo, ao menos que seja pela minha criatividade e opiniões em aspectos relacionados com parte da cultura geek. Porque faria isso? Porque eu penso que poderá ser divertido a tentativa e fornecerá uma mensagem mais positiva em vez de uma narrativa pessimista. Contudo, eu também acredito que a minha experiência de vida poderá ser útil para algumas pessoas, pelo qual não irei inibir-me de expressá-la uma vez por acaso.

Irei começar a desenhar de novo, penso que em Janeiro. De novo, não faria sentido treinar um novo estilo de desenho enquanto ainda sob a influência da testosterona. De facto, quando tive que parar com o meu tratamento, eu fui capaz de desenhar da mesma forma quanto antes. Mas não investi em tal. Portanto, assim que as minhas emoções fizerem mais sentido de novo, eu irei ser capaz de tentar alcançar um novo estilo de arte. Desejo desenhar banda desenhada, como sempre. Gosto de Storytelling (Contadora de Histórias) e sou tal no intimo, sendo personagens desenhadas como um desenho animado a minha preferência para partilhar tais histórias. Seria uma pena não investir tempo em tal.

 

A minha experiência de vida me providenciou muito que pensar e de partilhar eventualmente. Como disse, as doenças mentais são incompreendidas pela sociedade. Apesar da transsexualidade ser apenas um aspecto da minha vida, eu sou muito mais do que apenas uma vítima de disforia de género. Para além do mais, já existem muitas vozes que falam do assunto. Devido ao clima político actual, eu prefiro dar atenção às Testemunhas de Jeová.
Apesar de detestar a idea de alguém formar ou juntar-se a comunidades com base em tais aspectos, é verdade que a “comunidade Ex-JW” tende ser o grupo de pessoas pelo qual me identifico mais para além da cultura geek. Para ser ainda mais honesta, eles tem interagido mais com as coisas que digo online do que qualquer outro grupo. Eles estão interessados na minha voz, ao contrário das outras “comunidades” em outras categorias. É do meu desejo interagir mais com esta comunidade no futuro.

 

 

No que diz respeito a estas actualizações, devido que os próximos meses irão ser previsíveis.. eu irei esperar até uma altura mais oportuna, com mais novidades relacionadas com a minha transição; para fazer uma nova actualização. Eu poderia fazer uma actualização mensal mas, de novo sublinho, seria inútil. Seria uma cópia do que poderão já ler nas actualizações mais antigas.

Isto será tudo por agora. Obrigada por lerem e vejo-vos numa próxima actualização! Espero que tenham umas boas festas e uma boa vista para os foguetes no Ano Novo!

 

 

 

Pages:

[English and Portuguese] Transitioning – Second Withdrawal Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final)

  • 1st Month/ 1º Mês – Link
  • 2nd Month/ 2º Mês – Link
  • 3rd Month/ 3º Mês – Link
  • 4th Month/ 4º Mês – Link
  • 5th Month/ 5º Mês – Link
  • Withdrawal Update – Link

 

ENGLISH

 

Good afternoon.

Yes, I used the same featured image from the last time I’ve made one of these updates. But I want to keep it short and direct to the point.

 

I’m aware that plenty of people have been trying to approach me and ask about how things are by messaging me in private and so on. I’ve not answered them, despise their best intentions and I do feel awful about it! But I hope this extremely brief blog post will even things out.

 

 

I did not know what was wrong with my liver until today. The Endocrinologist did not know what was wrong with it, despise exposing my Magnetic Resonance and recent complex blood exam. She wanted the opinion of an Gastroenterologist, since I cannot take any form of medicine with values such as those that I hold at the time I’m writing this.

I had an appointment with a Gastroenterologist on November, with the use of the public healthcare system. But, given that this Endocrinologist accepts the opinion of a Gastroenterologist outside of the public healthcare system, I had this appointment privately today with another doctor.

 

The Magnetic Resonance and Ultrasound were fine, except the single two centimeter stone on my gallbladder that isn’t obstructing anything. The extensive blood exam didn’t reveal any hepatitis or virus or bacteria. As such, according to this private (healthcare) Gastroenterologist, the values were provoked by this specific Testosterone blockers that I was taking (Cyproterone). It is indeed a very powerful steroid based blocker, and this was the result of it. Fortunately, there are other solutions.. which I’ll investigate with my Endocrinologist.

As for the values, they will lower with time. In three months to six months. There’s no medicine that lowers them.. except keeping an healthy diet and not taking any form of medicine in the meantime. There is no danger currently and, in fact, the values did lower by around a sixth after two months. They will continue to lower, without a doubt. There is no danger!

 

 

This is obviously good. I needed good news and some hope! But you may ask how I feel overall.

To keep it short, not well. Things have been going backwards.. I’ve been isolating once again. Though, to be fair, it makes sense and I would prefer to keep it that way until I start my treatment once again. It’s best to avoid contact with people in general than to be wounded by their ignorance.

 

If anything, this withdraw was a reminder. A reminder of how exactly and why did I, back when I was young and a teenager, decided to seclude myself from most of society. I wish I wasn’t reminded about it in the first place but, on the bright side, now it became more clear.

I am.. sensitive and people simply aren’t capable of understanding me fully. There is a clear hurdle that almost all people in my life fall for.. without them even realizing it. I am aware of this hurdle, I know when people fail to pass this basic and, quite honestly, simple hurdle. And this hurdle, this barrier.. is the one on which people actually treat me as a woman like any other. I am fully aware when people don’t do that, or are incapable of.. despise their claims of being “open minded” and “accepting.”

I don’t need “acceptance”. “Accepting” something means that there is something that is different and needs to be “permitted” or “tolerated”. As if I need anyone’s “approval”. I am sick, I have an illness. Though true that it makes me different than most women.. it does not mean that I am not a woman and, therefore, I should be treated as a man. And I absolutely know when someone does or does not do that. Because I know the difference. I can tell by the way people talk, approach or even talk about my issues or emotions.

When will some of you grasp the fact that I’m NOT a man trying to become or mimicking  a woman or a man turning into a woman? I am a woman trying to solve an hormonal issue. Sure, chromosomes and biology, you may shout or excuse. I’ll not lose my time explaining the nuance of my predicament.. I believe that it’s just not worth it after all these years. If you did not understood when I explained to you once, twice or even third time; then you will not understand it now. But you’ll have to take my word for it when I say that, once you overcome the hurdle.. my speech, my actions, my emotions.. become more clearer, easy to understand and deduct. You know why I can say that with certainty? Because I’ve already had a few people in my life that crossed this simple hurdle.. and they were able to understand me, to approach me, to make me laugh, cry and be emotionally invested in their life as well. This is why I know the difference (though, to be fair, I already knew the difference before actually experiencing it).

It’s already bad that I feel (and see) myself going backwards given my lack of treatment. Worst is still having to deal with people in general who are “accepting” and “open minded”. I don’t need to be “accepted”, as if this were a “lifestyle choice”. I need to be understood. Sickness isn’t “accepted”, it’s dealt with and understood. And right now, until I start my treatment once again, I need to excuse myself from society at large. It’s healthier that way, for my sanity. Going out and deal constantly with people who can’t cross the hurdle is far more damaging than seclusion.. in my own personal and entire life experience.

 

 

Anyway, that is all for now. Thank you for reading and I’ll see you on a next update! Have a nice vacation~

 

 

 

PORTUGUÊS

 

Boa tarde.

Sim, utilizei a mesma imagem que usei na última actualização. Fiz isso porque eu quero ser breve e directa ao assunto.

 

Tenho consciência que muitas pessoas tentaram se aproximar de mim e de perguntar acerca de como as coisas estão, através de mensagens pessoais. Não tenho respondido, apesar das boas intenções e eu sinto-me verdadeiramente mal por isso! Mas espero que este post de blog breve ajude-me a recompensar pelos meus pecados.

 

 

Eu não sabia o que estava de mal com o meu fígado até hoje. A Endócrinologista não soube o que estava de mal, apesar da Ressonância Magnética e exame mais complexo ao sangue. Ela queria a opinião de um Gastroenterologista, visto que não posso consumir qualquer estilo de medicamento devido aos valores que apresento actualmente.

Eu tenho uma consulta marcada para um Gastroenterologista em Novembro, no sistema público de saúde. Mas visto que esta Endócrinologista aceita a opinião de um Gastroenterologista fora do sistema público, eu consegui marcar uma consulta em privado para hoje com um outro médico numa clínica privada.

 

A Ressonância Magnética e Ecografia estavam bem, excepto a pedra de dois centímetros que se revelou na vesícula que não está a obstruir nada. O exame extensivo ao sangue não revelou nenhuma hepatite, virus ou bactéria. Como tal, de acordo com este médico, os valores foram provocados pelo bloqueador de Testosterona (Ciproterona) em específico. Sim, é um bloqueador esteróide forte, por isso é que provocou esta reacção. Felizmente, existem outras soluções.. pelo qual irei investigar com a minha Endócrinologista.

No que diz respeito aos valores, estes irão baixar com o tempo. Entre três a seis meses. Não existe medicamentos que abaixem estes valores.. excepto uma dieta equilibrada e sem ingerir qualquer tipo de medicação. Não existe perigo nenhum actualmente e, de facto, os valores conseguiram baixar um sexto após dois meses. Irão continuar a baixar, sem dúvida. Não existe perigo!

 

 

Isto é bom, obviamente. Eu precisava de boas noticias e de alguma esperança! Mas poderão perguntar como eu me sinto de forma geral.

De forma resumida, não muito bem. As coisas tem voltado para trás.. eu tenho me isolado de novo. Mas, para ser franca, até faz sentido e prefiro continuar assim até começar o tratamento de novo. É melhor evitar contacto com as pessoas de forma geral em vês de sentir magoada pela ignorância.

 

Se existe algo positivo, esta infelicidade foi um lembrete. Relembrei-me do como exactamente e do porquê de, quando era nova e como adolescente, me ter mantido isolada da sociedade. Eu gostava de não ter sido relembrada de tal mas, para o bem ou para o mal, agora faz sentido.

Eu sou.. sensível e as pessoas simplesmente não têm capacidade de me entender de forma plena. Existe uma barreira clara que quase todas as pessoas na minha vida caem.. sem se aperceberem. Eu tenho consciência dessa barreira, eu sei quando as pessoas falham nesta barreira básica e, na minha opinião, fácil e trivial. E esta barreira.. é aquela que faz com que as pessoas realmente me tratem como uma mulher como qualquer outra. Tenho plena consciência quando as pessoas falham, ou quando são incapazes de.. apesar de descreverem a si mesmas como pessoas de “mente aberta” ou “que aceitam/progressivas”.

Eu não preciso de ser “aceita”. “Aceitar” algo significa que existe algo de diferente e que precisa de ser “permitido” ou “tolerado”. Como se eu precisasse de ser “aprovada”. Eu estou doente, tenho uma doença. Apesar de isso fazer-me de mim uma mulher diferente das outras.. isso não significa que não seja uma e que, portanto, devo de ser tratada como um homem. Eu sei quando alguém o faz ou não. Eu sei muito bem a diferença. Pelas subtilezas no discurso da pessoa, reacção, aproximação ou até em certas conversas mais ao nível pessoal ou emocional.

Quando é que vocês irão entender de que eu NÃO sou um homem a tentar tornar-me ou imitar uma mulher? Eu sou uma mulher a tentar resolver um problema hormonal. Claro, cromossomas e biologia, alguns irão exclamar ou desculpar-se. Não irei perder tempo a explicar o nuance da minha situação.. acho que não vale a pena após estes anos todos. Se não entenderam à primeira ou segunda ou terceira; então não é agora que vão entender. Mas apenas terão que acreditar quando digo que, quando conseguem ultrapassar essa barreira da doença.. o meu discurso, minhas acções, minhas emoções.. se tornam mais claras, fáceis de entender e de deduzir. Sabem porque é que posso dizer isso com tanta certeza? Porque eu já tive algumas pessoas na minha vida que conseguiram ultrapassar essa barreira simples.. e foram capazes de me entender, de se aproximarem, de me fazer rir, chorar e de ficar emocionalmente investida na via delas. Por isso é que sei a diferença (apesar de, para ser sincera, já sabia bem dessa diferença muito antes de vivê-la).

Já é bastante mau quando eu sinto (e vejo) eu regredir-me devido à falta do tratamento. Pior é ainda ter que lidar com as pessoas de forma geral que me “aceitam” e são pessoas de “mente aberta”. Eu não preciso de ser “aceitada”, como se isto se trata-se de um “estilo de vida”. Eu preciso de ser entendida. Uma doença não é “aceitada”, é lidada e compreendida. E de momento, até recomeçar com o meu tratamento, eu preciso de me excluir da sociedade. É mais saudável desta forma, pela minha sanidade. Sair de casa e lidar constantemente com pessoas que não são capazes de ultrapassar esta barreira é muito mais prejudicial que o isolamento.. é o que diz a minha experiência de vida toda.

 

 

De qualquer forma, é tudo por hoje. Obrigada por terem lido este blog post e vejo-vos numa próxima actualização! Boas férias~

Pages:

[English and Portuguese] Transitioning – Withdrawal Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final)

  • 1st Month/ 1º Mês – Link
  • 2nd Month/ 2º Mês – Link
  • 3rd Month/ 3º Mês – Link
  • 4th Month/ 4º Mês – Link
  • 5th Month/ 5º Mês – Link

 

ENGLISH

 

 

Hey.. and yes, you read it right. I’ve been forced to withdraw from my HRT. Temporary it seems. I don’t know anymore..

 

As I’ve mentioned on the earlier update, I had to stop my treatment for six weeks. Because there were values that were high, on the previous blood exam. Values related to the liver, that my doctor thought were a secondary effect from the Cyproterone that I was taking. During those six weeks, I was told to repeat the same blood test and to do an ultrasound on every area around the liver (including the liver itself).

 

The ultrasound came out and the results revealed a liver that appeared fine. However, it did revealed a 2cm stone on my gallbladder. My doctor assured me that the stone won’t be an issue, it’s not even really important to consider doing anything about it since it’s insignificant and it’s not causing any issues. To be honest, I don’t even care about the stone for now.. there are more important and dangerous things to take into account than a mere stone.

“Oh but a stone on the gallbladder is really bad! You should take care of–” Yeah yeah, whatever. I’m not concerned about it and neither is my doctor for now. Besides, it’s genetic, my mother had one exactly the same size. She doesn’t have a gallbladder nowadays, surgically removed (obviously).

 

The blood test that I repeated, however, revealed exactly the same values as the other one. Even though I’ve no longer have been taking my T-blockers for six weeks. Which means there’s something more sinister going on and the doctor has no idea what it is..

As such, this doctor (Endocrinologist) told me to arrange an appointment with a gastroenterologist. A magnetic resonance and another more extensive blood test will be needed as well. All is being arranged at the moment and my Endocrinologist tried to write my case as an emergency, in order to get the hospital moving faster and scheduling things without too much delay.

Not because I’m in danger at the moment (or so it appears since everything is the same after six weeks.. as far as blood values go), nor because I feel any sort of pain or effects from those values. In fact, my values aren’t high enough to suggest a form of toxicity or an hepatite. They assured that those values needed to be much higher and evolving, with side effects, for that to be the case. I feel no pain around the liver (just.. rib cage now and then and I’m sure it’s not about the liver, but because I’m without my T-blockers and I’m stressed), no nausea, no lack of appetite, my digestive system is working fine as far as I’m aware, no physical weakness, no yellowness anywhere.

However, it has become important for me to not consume any sort of medication in the time being unless strictly necessary for my life/health. Since doing so could compromise the liver at this point. To keep an healthy diet as if I were sick. To not go around drinking tea from herbs that “pseudo-intellectual new age medicine fans” assure me it’s going to help “100% garante” because they heard it from a morning TV show or because their neighbor (or themselves) took and it “totally worked”. This is not the time to play “guinea pig” with my health..

 

Anyway, yes. All of this, in short, means that there is something going on with my liver that isn’t related to the HRT, I have an irrelevant stone on my gallbladder that nobody cares for now (because it’s genetic anyway) and.. I can’t continue my HRT until this is solved (whatever it is).

Great…!

 

 

.. Now this is the time I get highly melancholic, start to whine and complain about life being unfair.. and start to make passive aggressive and witty swipes towards people in my life in general. Because nobody is perfect and this is how I’m able to keep my sanity and self preserve my ego, by pointing out how certain people are just.. scummy sometimes.

I’m aware this mentality isn’t exactly helpful to those who are trying to be nice.. but I don’t need people who need to try in order to be nice. I need nice people, not people that need to make an effort to be nice. Which is why I may seem ungrateful at times towards even those who are “just trying to help”, biting the hands of those that feed me. Because my life isn’t lacking on people who are trying. My life lacks people who actually genuinely want, those who truly are, that don’t make efforts but simply.. it is in their nature and true desire to be with me in this messed up emotional roller coaster filled with twists and turns that nobody asked for but still, it is what life as given.

If you are not the type of person that appreciates the type of posts that expose the things mentioned earlier.. then I advice you to leave this blog post now, because it’s going to be a ramble like no other.

 

 

Does anyone know how it feels to live with a constant disforia through out your life, unable to relate to most people and live a life where people just don’t seem to be able to relate to you either? To know early on that you’ll never have children of your own? That you’ll never be able to get pregnant and be a mother? That the desire is there but it will never be fulfilled?

Does anyone know how it feels to be born in a religious cult, being told that the world is a horrible place with horrible people, being fed lies about the existence of a god that loves you but is highly judgmental and punishes anyone who steps out of the line? Being told that all the problems will magically disappear after an apocalyptic prophecy comes to life and god creates a paradise? That you’ll get to live forever, eternal happiness without pain and tears? Having to deal with the religious zealots, judging every step and breath? The constant need to better oneself, always renewing your personality because you are a dirty sinner? Being perfect or closest to perfect?

Does anyone know how it feels to be bullied in school? Because of your own religion, because you are different than everyone else? Being mocked everyday by boys and girls and even physically attacked by the hands of testosterone filled brain dead morons? Not only within school but also outside of it, graffiti on the walls that mock you and your family that have never been cleansed from the walls of your own neighborhood even to this today when you’re 27 years old?

Does anyone know how it feels to be in a religious cult, which was told to be the purest sanctuary from all the evil in this world and still even within those walls.. being mocked by those of your own generation? Being cast aside by them because you stood in the way of their own petty almost-political schemes to reach the invisible throne, to raise within the ranks of their own theocracy? Being a child of a father that held certain prestige with the religious, the spotlight on your own face and family, to dance the music being played and being used as an emotional tool to make themselves feel as if they were good and charismatic for the privileged? Pat on the head like a dog when the owner is near, kicked off the streets like a mongrel when no longer useful?

Does anyone know how it feels to be a woman, being treated as a man, taught to be one and having your every word.. emotion and action being automatically taken as if what a man said, felt or did? Being told that you are too complex and complicated to be understood by anyone and to give up on trying to find someone to relate to? To create all these barriers and loops, filters and walls around your own psyche because you hated the effects that puberty gave to your mind and you knew very well that those aspects weren’t really what you were deep down? Hating your own body and what it became of it? Being thrown sand in the eyes and told that you look great when you know very darn well that you could had looked much better and beautiful? Having people wanting to take pictures with you and you having to regret every moment you spent with them in the first place?

Does anyone know how it feels that, pathetically, the only salvation for your loneliness, discomfort and frustration is.. spending time with strangers on the internet? To feel that only strangers on the internet, who ironically are in general more social inept than your average person, are the only ones that can actually provide you a slight resemblance of a social life because pretty much everyone around you in reality are insensitive and uncaring self centered and pretentious fools?

Does anyone know how it feels to finally come to terms with your disforia, finally deciding to open your mouth and tell those around you about it? Does anyone know how it feels to be treated unfairly by the religious because of it? To be told to keep it quiet and pretend that there’s nothing wrong? That all you needed to do was to keep smiling and keep renewing your personality to make the pain go away until god waved his hand to solve all the problems in the world? To finally gain the courage to do your own research, be informed and to walk your path? That the only way to solve your issue is to be ostracized by (truly) literally everyone in the cult you grew up in? To lose all your “friends” and contacts from that cult and be forced to live in a world that you were told is evil and lacks morals by.. yourself?

Does anyone knows how it feels that, in order to get the treatment that will make your life better, you need to be examined by two entire different teams of doctors, public healthcare, and that it’s going to take ages to get access to those treatments? The need to find a job, despise your disforia, having to deal with people who will never understand you for most of the day? That, through words and actions, will make you feel that you are different at any given opportunity? The confliction in your mind when you are not sure if people support you or they are using you to virtue signal or to patronize for their own ego because that’s exactly what people did to you in your formal cult, given that their words of encouragement contradict their own actions and behaviors towards you? As if the same hand that gives you crumbled bread is also the same hand that slaps you when you are least expecting?

… and then, finally… you see the gate being unlocked, the very same gate you were waiting for. To be opened, allowing you to walk in…

Does anyone know the feeling to finally watching the body that you hated.. turning out to be what you wanted since the very beginning? The freedom that it gives? The empowerment, the confidence rising to an all time high? Noticing your mind changing, finally having the true freedom of breaking those walls, twists and turns and to be yourself because the effects of Testosterone are gone from your psyche?

Ahh, the freedom of just saying what goes on your mind and heart.. it felt soo good. Witnessing the body changing little by little but pleasantly. Having people that knew you since the very beginning awing at your appearance and personality, finally getting to know you for who you are. The thrill that it gave when finally.. it wasn’t you that was getting jealous of others.. but the other way around. Of people easily identifying you in public, treating and addressing you correctly.. instinctively! The weight being lifted from your shoulders, from all those years.. nothing but sunshine and rainbows.

… but then.. everything is taken away from you once again. Just when you were having fun and planning for the future.

Does anyone know how it feels to work hard for something, to suffer so much after so long.. you get to taste the freedom and the reward, you know it exists, you knew you were right, all felt well and so true.. just for all to be taken away that easily?

… All because of your GODDAMN liver?! 

 

The liver?! REALLY? Is this how it ends? After everything that I’ve suffered to get where I am, after being able to enter the other side of the gate, when I was enjoying life for the very first time.. the liver, out of everything, is the thing that gets in the way now?

The liver, out of anything, is the thing that may take my happiness away. That will take away my physical appearance, that I was yearning for, and was only going to get better. That’ll revert my mood and psychological changes to an earlier point in time.

I.. just can’t believe it. All I can do is look and remember what I had back in May as I try to crawl back to where I was while I’m being dragged on the mud, back to the gate! Because my liver is sick for some yet unknown reason and it isn’t even because of the treatment!

And yes! I am aware that is all most likely temporary. But that’s not the point, is it? The point is that I already had a taste of what freedom felt and it felt good! I already know how it feels like, people already knew how it looked like. This is a twisted yet cruel joke!

It is as if teasing someone that is hungry and thirsty in the middle of the desert with brunch; you give them a slice of plain bread as a taste of what is yet to come and then, suddenly, you take it all away and tell them that they need to starve a while longer because the eggs used to make the omelettes were rotten! Yes, it is that frustrating.. and the only “words of wisdom” that you get from those around you is “there will be better days, stay positive”, like an pre-recorded announcement on a train station that informs you that the train is half an hour late and that they apologize for the inconvenience… Given my track record, the omelettes will be thrown to the garbage, new ones will be made but, for some reason, they are out of eggs and need to wait for more eggs to be sold in some shady supermarket, the supermarket is still waiting for the provider to deliver them because oh dear oh my the chickens died in some tragic accident and now they need to wait for the new generation of chicks to grow and lay more eggs! And all you can say is that you don’t even care about the omelettes or the eggs or the supermarket or the provider.. you just want something to eat and drink..

 

 

Beauty is pain, isn’t it? I know I’ve mentioned that in the previous update but truly, people who have suffered so much are the ones that end up with such a beautiful soul and personality. But suffer too much and your heart will grow cold and distant. There’s a thin line between beauty and the hole that one calls insanity. People have limits to what they can endure in life without giving up on it entirely. I can say that, at this point as I write this, I’m balancing myself on a rope. For now, it is worth living because hope hasn’t been completely lost. I know that because I had a good opportunity to experience life just the way I’ve imagined. Though more needed to happen, it was still quite good, sooooo so fantastic and wonderful..

.. I need to hold onto that memory.

Because I can’t really trust anyone to give me the hope and emotional support that I need right now. Not even my psychologist I believe. Ever since I’ve told these news to some of the people on my life, all they did was spout cookie cutter one liner basic support. “Live one day at a time”, “Look at the bright side”, “What are you talking about, you still look great”, “Oh, it doesn’t really matter. You were always Sapphire, Sapphire was within you all along” (no shit)… … ugh. I’m aware people are trying to help, trying to be nice. But at this point, I don’t need people trying to be nice and helpful by using cliche phrases taken from within fortune cookies. I need actual help and support. I’m.. tired of the sand being thrown to my eyes, of people trying to trick me into believing that there’s nothing to worry about or that I should just try and ignore everything until everything’s back to normal.

 

Tell me, does anyone know the feeling when you are crying and you have people trying to encourage you.. and you close your eyes, despise the fact that you have people physically next to you or in your front.. you feel as if everyone is a mile away and you are all alone despise the voices being close to you? That is how I feel when I reach a state of despair rather than the familiar frustration. That it doesn’t matter if you have people that say that they love you and want the best of you, their heart and mind is still far, absent and/or distant. This is, for me, the feeling of loneliness. That you have no one that truly.. loves the real you. That even though people will claim that they love you, it is simply untrue since what they love is not who you are but what they believe to be you. That they do not look for your interest but they project their ideas and what believe to be the right thing for you rather than what you truly desire.

I do not need a sandstorm to cover what I can clearly see on a mirror, what I can feel on my mind. The effects of what I was already trying to get rid of.

No… What I need is a hug from someone that is bigger than me, strong yet with a warm heart. To make me feel that I’m not alone when I close my eyes and my whimpers turn into sobs. The physical contact that is missing soo much, that people avoided doing so during my life. A mere kind gesture on the shoulder or arm, from a friendly face. The heat of blood from another human, the odor. The touch that is missing and has made me apathetic, that turned my gentle heart to stone. The voice that comes from another heart and not the mind, that speaks honesty and tells me that “life is hard, you and I have suffered so much. We don’t know what is yet to come but we will survive, together.”

… But what I ask is too much, isn’t it? I’ve heard it from some people in the last few years. That even these mere gestures are too much to ask. That it is hard for me to find those type of people, because I’m that complicated and different from the rest of the world. Fuck all of you that have said such a thing to me, from the bottom of my heart.. I’m not even trying to be spiteful, I truly feel hatred right now for the people who have said that to me in the past. Because those people say such horrible things when they are near me, to “try and be nice”; turn their backs, forget that I exist and then go around posting on social media with their friends, carrying plastic smiles and drinks in hands; making it seem they have fulfilling lives surrounded with their friends.

I’m just a toy, aren’t I? A toy created for others to show their “kindness” and then abandoned and cast aside. A freak that nobody could possibly understand, undeserving of basic human interaction and warmth. I’m.. tired of being everyone’s prized dog that you just prepare a fancy little bow on the head when you walk outside for me to do my business and for your cute facebook pictures, then once the picture is taken, it is time to return home while the owners walk outside and to do what “humans do when they don’t have their dogs around”. Spending most of the day worrying and wondering when the owners will get home.. if ever. Only with a bowl filled with ration and another with water. And once the owners arrive home, frustrated from their lives, I become glad that I’m not alone anymore.. only to be kicked aside because the owners are no longer interested in taking pictures of you for their social medias. And when I bark, I get ignored. And when I bite, I get told that I’m ungrateful and hateful because the owners AT LEAST gave me ration and water.

 

Some of you people have no heart, it is clear to me. Social parasites and fleas, I truly feel sorry that you were taught with poor manners and truly privileged to the point you have no idea what pain feels like and feel the need to chuckle or laugh when I say that I want to hide myself in a cave because of these more recent events. I’m not joking, someone actually chuckled every time I have said that in these last few weeks and I’m left wondering if the person is just completely devoid of empathy or just isn’t aware of how painful this is. Long live the bourgeoisie, that weep for puppies and kittens on social medias but is completely devoid of kindness for those right next to them!

Yes, because nothing needs to be said more when you hear people say that they “support” me and they still think it is completely appropriate to say that they are on their period and how I’ll never get to experience that. OH my, can you feel me scream internally by the fact that one of my “supporters” is being helpful when they remind me I’ll never have children of my own? And how about that time that one of my “supporters” thought it would be funny to make a crude joke about my family jewels? Can you feel the love in the air? Because, after so long, I can either conclude that some of my “supporters” are either sociopaths or just incredibly petty.

 

… And yes, I’m aware that some of those “supporters” are going to read this eventually. I don’t care at this point, I haven’t revealed their identities anyway to “the public” so they can lower their pitchforks and ignore everything, as usual. Nor do I intend to, unless they decide to make a fool out of themselves in “public” over it. It’s okay, you can ignore it at will and wait for me to upload a photo of me on Facebook because then, finally, you’ll be able to put a “like” and show your “support”!

 

 

Hmhm.. either way, it is time to think about what to do in the meantime, while I slowly die inside as I wait to find out what is wrong with my liver.

 

There isn’t much I can do except to wait. Things will slowly revert in the next few months, since these things take some time. They are already slowly reverting, no need to throw sand and tell me that I still look great. Bitch, I had much better days and I have the potential to look even better once I (hopefully) resume my HRT.

What I can do, however, is avoid my body from altering too much now that it is at the full mercy of the Testosterone once again. As far as my hips and waist go.. I always had, even prior to transitioning, some form of curve (even though I’m already not on a perfect 0.75 ratio… I miss that so much..). I’ll have to deal with a more rectangular yet lean body shape.

To maintain my lean figure, I’ll have to eat less and not allow my muscles and fat to develop and redistribute. If I don’t eat a lot, hopefully, my muscles won’t be able to develop much at all. As far as fat goes, as long as I eat “enough”, the body won’t be able to deliver that fat on unwanted areas. I also need to drink plenty of water to get rid of the unwanted garbage in my system, which should be easy because it’s summer so, there won’t be a lack of need to drink.

The rib cage and back are going to be my main issue because, as I became highly aware with HRT and now from this ongoing withdraw, it is amazingly… err.. versatile, depending on the hormones in my system. This is going to be the main factor that will allow me to “pass” or not in society. This is not an easy feat, to prevent it from swelling too much or at a much lower rate. My only self admitting pseudo and dumb misinformed solution for this particular predicament is, besides the diet, to keep my bras tight as possible. I know I know… sounds silly but I really do not know what else I can do and this seems to be more based on wishful faith thinking. At least it will make me feel better than I’m trying and my bras aren’t being ripped apart anyway thus far. Please don’t convince me that this won’t work, let me believe that it does somehow!

On the positive side of things, I don’t really need to worry about my face or arms/hands. My hands and face were always feminine prior to HRT. That won’t change even with Testosterone. If it didn’t influenced that much during puberty, it sure as hell won’t now.. r-right? Right.. It may change my facial expressions by a little.. but, as I said, I always had a somehow pretty feminine face anyway. The face will never be an issue when it comes to “passing”. And my hands never caused me any form of dysphoria, they are one of my most “prized possessions”. My secret? Wearing tight watches around my wrists during childhood, plenty of video games and avoid heavy lifting as much as you can! What? It worked, didn’t it? I hope that same logic can apply to my rib cage and bras..

 

Besides those and depending on how much things will change.. I -will- give everyone a warning though, to those that have read thus far. The moment that I feel that I no longer “pass” in society given the physical changes… it will be the day that I will stop stepping my foot outside my house unless to deal with the things that need to be done in order to get my HRT back on the right direction.

This is non-negotiable. I’m aware that I have a job and the money is quite needed.. but I simply cannot, for the sake of my sanity, walk outside and.. hmm. I can’t. I’m sorry but I can’t! It’s not healthy. No. Just.. no. The least I want is to walk outside again and have people address me as a man again. If anyone thinks that unavoidably has to happen in the meantime because I need a job.. then rest assured that I know I need a job.. I need money. But I also need to live, I need my sanity and I don’t want to put my mental health into jeopardy just because I need money. And once I find out that I’ve reached a state on which people will look at me and think I’m a crossdresser.. then it is time to hide from the public eye.

Please stop telling me how to feel and how to act. I’m serious when I say that I would had to abandon my job if I had to in order to preserve. Don’t pretend now, after years of telling me that I’m hard and impossible to be understood, that you now got the right answers for me. I got this far not because I listened to every suggestion thrown at me, but because I know myself too well for my own sake and know what is best for me.

Anyway, if that time comes, I’m sure I can work it out with my co-workers and find a way to work at home in the meantime (a stranger online suggested me this recently. It’s a great idea!). The internet exists, my home PC is better than the one at work so, in a way, maybe work will go even faster here than in the office! I’m aware that I can’t do everything here as I would in the office but, at least, it would be better than to produce nothing and earn nothing..

 

 

As such, I’ll conclude this loooong blog post by informing everyone that I’ll keep everyone updated over at Twitter and my (public) Facebook Page. Yes, I’m aware that I post a lot of things on my twitter and public facebook page that not many people like or enjoy. Too bad.. because I’m seriously not a fan of Facebook by itself and I avoid talking a lot on my personal Facebook.  Any major news will require new blog posts and, as such, I believe that it will be only relevant to create one of these major updates once I learn what is wrong with my liver.

 

And before I say goodbye, I’ll share one last selfie (that I took on last Friday).. until I get my hormones back and I look presentable again. Thank you for reading and if you think I’ve been unfair in some way or another.. then I hope you at least understand why I am saying the things that I am instead of getting selfish and act on self defense of your own ego and self interest. Yeah.. I know that I’m an hypocrite. So are you, so it’s fine~

 

 

 

PORTUGUÊS

 

Olá… e sim, vocês leram bem. Fui forçada a retirar-me do Tratamento Hormonal. Por algum tempo, pelo que parece. Já nem sei bem ao certo..

 

Como mencionei na actualização anterior, eu tive que parar com o meu tratamento por seis semanas. Porque existiram valores que estavam altos, na colheita de sangue anterior. Valores relacionados com o fígado, que a minha médica pensou ser um efeito secundário da Ciproterona que estava a consumir. Durante essas seis semanas, foi-me dito para repetir as mesmas análises ao sangue e para fazer uma ecografia em toda a área à volta do fígado (incluindo o fígado em si).

 

A ecografia foi feita e revelou que o fígado tinha bom aspecto em geral. No entanto, revelou uma pedra de 2cm na vesícula. A minha médica assegurou-me que a pedra não iria ser problema, que não era algo muito importante para ser levado em conta visto ser algo insignificante e que não está a causar problema nenhum. Para ser sincera, eu também nem estou preocupada com a pedra de momento.. existem coisas mais importantes e perigosas que precisam de mais atenção que uma mera pedra.

“Oh mas uma pedra na vesícula é muito mau! Devias de tomar conta di–” Sim sim, não importa. Não estou preocupada com isso, nem a minha médica de momento. Aliás, é genético, a minha mãe teve uma exactamente do mesmo tamanho. Ela nem tem vesícula hoje em dia, removido cirurgicamente (óbvio).

 

A análise ao sangue que repeti, por outro lado, revelou exactamente os mesmos valores que outrora. Mesmo apesar de ter deixado de consumir os meus bloqueadores de Testosterona já por seis semanas. O que significa que existe algo mais sinistro a acontecer e que a médica não sabe o que poderá ser..

Como tal, esta médica (Endócrinologista) pediu-me para marcar uma consulta com um Gastroenterologista. Uma ressonância magnética e uma outra colheita ao sangue mais extensiva também irão ser necessários. Tudo está a ser planeado de momento e a minha Endócrinologista tentou deixar uma nota de como o meu caso deve ser tratado como uma emergência, para fazer com que o hospital se mexa mais rapidamente e marque estes exames e consultas sem muita perda de tempo.

Não porque esteja em perigo de momento (ou pelo menos é o que parece visto que tudo se manteve após seis semanas.. no diz respeito aos valores no sangue), nem porque sinta algum sintoma de dor ou efeitos associados a esses valores. Na verdade, os valores não estão altos os suficientes para sugerir alguma toxicidade ou hepatite. Eles asseguraram que esses valores necessitavam de ser mais altos e em evolução, com efeitos secundários, para isso ser o caso. Não sinto dores perto do fígado (apenas.. na caixa toráxica de vez em quanto e tenho a certeza que não é devido ao fígado, mas porque estou sem os bloqueadores de Testosterona e estou stressada), sem náuseas , sem falta de apetite, o meu sistema digestivo está a funcionar bem por aquilo que posso presenciar, nenhuma fraqueza física, nada está amarelado.

No entanto, tornou-se importante para mim não consumir nenhum tipo de medicamento por enquanto a não ser que seja de extrema importância para a minha saúde/vida. Porque fazê-lo poderá agravar algo no fígado neste momento. Para manter uma dieta saudável como se estivesse doente. Para não beber chás de ervas exóticas que as pessoas “pseudo-intelectuais que são fans das medicinas alternativas” que prometem que vai ajudar “garantidamente 100%” porque ouviram falar dessas folhinhas mágicas num programa de televisão de manhã ou porque o vizinho do prédio ao lado experimentou e “funcionou automaticamente”. Esta não é a altura de brincar com a minha saúde e fazer de “cobaia”..

 

De qualquer forma, sim. Tudo isto, em poucas palavras, significa que existe algo a acontecer no meu fígado que nada está relacionado com o Tratamento Hormonal, que tenho uma pedra na vesícula que ninguém quer saber por agora (porque é genético de qualquer forma) e.. não posso continuar com o meu Tratamento Hormonal até que tudo esteja resolvido (seja o que for).

Fantástico…!

 

 

.. Agora está na altura de eu ficar extremamente melancólica, começar a choramingar e a queixar da minha vida ser injusta.. e de começar a ser passivamente agressiva e com humor audacioso contra algumas pessoas da minha vida em geral. Porque ninguém é perfeito e isto é a minha forma de manter a minha sanidade e de preservar o meu ego, por apontar o óbvio de que algumas pessoas são mesmo.. reles por vezes.

Tenho consciência de que esta mentalidade não ajuda muito a obter a aprovação das pessoas que estão a tentar ser simpáticas.. mas eu não preciso daqueles que precisam de tentar para ser simpáticos. Eu preciso de pessoas simpáticas, não de pessoas que precisam de fazer um esforço para parecerem simpáticas. Por isso é que posso parecer ingrata por vezes mesmo contra as pessoas que estão “a tentar ajudar-me”, mordendo as mãos daqueles que me alimentam. Porque o que não falta na minha vida são pessoas que tentam. O que a minha vida tem falta é de pessoas que querem ajudar-me genuinamente, aqueles que são verdadeiramente, que não fazem esforço mas que apenas.. faz parte do seu ser e autêntico desejo de quererem estar comigo nesta montanha russa emocional horrorosa cheia de reviravoltas e curvas que ninguém pediu mas mesmo assim, é o que a vida me deu.

Se não és do estilo de pessoa que aprecia este estilo de posts que expõe as coisas mencionadas antes.. então aconselho-o a fechar esta janela agora, porque vai ser uma divagação como nunca outrora.

 

Alguém sabe o que é viver uma vida de constante disforia ao longo da vida inteira, sem ter direito a relacionar-se com as outras pessoas e viver uma vida onde as pessoas também não sabem relacionar-se contigo? Saber desde cedo que tu nunca irás ter filhos? Que nunca ficarás grávida e nunca serás mãe? Que o instinto e desejo está lá mas nunca irá ser realizado?

Alguém sabe o que é nascer dentro de um culto religioso, ser dita que o mundo é um lugar horrível com pessoas horríveis, ser alimentada com mentiras acerca da existência de um deus que nos ama mas que julga brutalmente e repreende qualquer pessoa que não caminhe exactamente na única linha de pensamento correcto? Ser dita que todos os problemas irão magicamente desaparecer depois do comprimento de uma profecia apocalíptica e da criação de um paraíso? Que poderás viver para sempre, felicidade eterna sem dor nem lágrimas? Ter que lidar com os religiosos zelosos, que julgam todo o passo e fôlego? A necessidade constante de aperfeiçoar-nos, sempre a renovar a nossa personalidade porque és uma pecadora? Tentar ser perfeita o máximo possível?

Alguém sabe o que é ser vitima de bullying na escola? Devido à tua própria religião, porque és diferente de todas as outras pessoas? Ser gozada todos os dias por rapazes e raparigas e até mesmo ser fisicamente atacada por idiotas cegos de testosterona? Não apenas na escola mas como também fora dela, graffiti nas paredes que fazem pouco de ti e da tua família que nunca foram retiradas do teu próprio bairro até ao dia de hoje mesmo quando tens 27 anos de idade?

Alguém sabe o que é estar num culto religioso, que te fez crer que era o santuário mais puro de todo o mal neste mundo e mesmo dentro daquelas paredes.. ser tratada mal por aqueles da tua própria geração? Ser posta de lado por eles porque tu “estavas na frente” e travavas os planos políticos internos e patéticos para eles chegarem ao trono invisível, para eles subirem o seu cargo e privilégio dentro de uma teocracia corrupta? Ser criança de um pai que tem algum prestígio com os religiosos, o foco na tua própria cara e na tua família, dançando a música que tocava e ser usada como uma arma emocional para os outros sentirem que eles eram bons e carismáticos e terem aprovação dos privilegiados? Festinhas da cabeça como uma cadela quando os donos estão por perto, posta de lado e ignorada como uma aberração quando já não era necessário a simpatia?

Alguém sabe o que é ser uma mulher, ser tratada como um homem, ensinada a ser tal e todas as tuas palavras.. emoções e acções serem automaticamente explicadas e raciocinadas do ponto de vista do que um homem disse, sentiu ou fez? Ser dita que és complexa e complicada demais para ser entendida seja lá por quem for e para desistir de encontrar alguém que o possa? O criar todas as barreiras e armadilhas, filtros e paredes à volta do teu ser porque odiavas os efeitos que a puberdade estava a criar na tua mente, sabendo bem que esses aspectos nunca te pertenceram e não eram o que tu verdadeiramente eras no fundo? Odiar o teu próprio corpo e o que este se tornou? Ser jogada areia nos olhos e dita que tu tinhas boa aparência quando tu sabias muito bem que poderias ter um aspecto muito melhor e bela? Ter pessoas a quererem tirar fotos contigo e fazendo tu ficares arrependida de todos os momentos que estiveste com essas pessoas?

Alguém sabe o que é sentir que, pateticamente, a tua única salvação para a tua solidão, desconforto e frustração é.. gastar tempo com pessoas estranhas na internet? O sentir que apenas os estranhos na internet, que ironicamente até são mais ineptos socialmente de forma geral em comparação com outras pessoas, são aqueles que podem providenciar com algo semelhante a uma vida social porque praticamente toda a gente à tua volta na vida real são insensíveis e despreocupadas e apenas pensam no seu próprio umbigo como idiotas pretensiosos que são no fundo?

Alguém sabe o que é finalmente aceitar a tua disforia, finalmente decidir abrir a boca para falar acerca disso com aqueles que são mais próximos? Alguém sabe o que é ser tratada de forma injusta pelos religiosos por causa disso? Ser dita que devias manter-te calada e fingir que estava tudo bem? Que tudo o que tinhas de fazer era sorrir e continuar a renovar a tua personalidade para fazer a dor ir embora até o dia que deus decida usar a sua varinha mágica para resolver todos os problemas do mundo? Finalmente ganhando a coragem para fazeres a tua própria pesquisa, seres informada e criares o teu próprio caminho? Que a única maneira de resolver os teus problemas é ser posta de parte por (verdade) todas as pessoas do culto onde cresceste? Perdendo todas as tuas “amizades” e contactos dentro do culto e ser forçada a viver no mundo onde disseram ser mau e com falta de morais.. sozinha?

Alguém sabe o que é sentir que, para obteres direito ao tratamento que vai fazer a tua vida melhor, precisas de ser examina por duas equipas totalmente diferentes, sistema de saúde público, e que vai demorar anos até teres acesso a esses mesmos tratamentos? O procurar um trabalho, apesar da tua disforia, ter que lidar com pessoas que nunca te irão compreender durante quase um dia inteiro? Que, através de palavras ou acções, vão querer fazer-te sentir diferente sempre que poderem? O conflito na tua mente quando não tens a certeza se as pessoas querem o teu bem ou se elas estão a usar-te para demonstrar que são boas pessoas ou para serem condescendentes para alimentar os seus próprios egos porque isso é exactamente o que fizerem no culto que pertencias, visto que as palavras de encorajamento contradizem as suas acções e comportamentos para contigo? Como que a mão que te fornece migalhas de pão é a mesma mão que te dá estalada quando tu não estás preparada?

… e depois, finalmente… tu vês a fechadura do portão a ser aberta, o mesmo portão que esperaste durante muito tempo. Agora aberto, para poderes entrar…

Alguém sabe o que é ver o corpo que odiavas.. a transformar naquilo que sempre quiseste desde o inicio? A liberdade que isso providência? O fortalecimento, a confiança a subir para algo como nunca antes sentido? Notar as alterações na tua mente, finalmente ter a verdadeira liberdade de destruir aquelas paredes, vidros e labirintos para seres tu mesma porque os efeitos da Testosterona estão longe do teu ser?

Ahh, a liberdade de simplesmente dizer aquilo que vai na alma.. sabe tão bem. Presenciar as alterações no corpo pouco a pouco mas de forma agradável. Ter as pessoas que sempre te conheceram desde o princípio ficarem impressionadas com a tua aparência e personalidade, finalmente terem a oportunidade de te conhecer por aquilo que verdadeiramente és. A emoção que senti quando finalmente.. já não és tu a teres inveja das outras.. mas elas terem inveja de ti. As pessoas facilmente te identificarem no público, tratando e falando contigo de forma correcta.. instintiva! O peso a ser levantado dos ombros, durante todos aqueles anos.. apenas raios de sol e arco-íris.

… mas depois.. tudo é retirada de ti de novo. Mesmo quando já estavas a divertir-te e a planear o teu futuro.

Alguém sabe o que é trabalhar arduamente para algo, depois de sofrer ao longo de tanto tempo.. o teres provado a liberdade e a recompensa, saberes que existe, saberes que tinhas razão, tudo bem e verdade.. apenas para tudo ser roubado de ti tão facilmente?

… Tudo por causa do RAIO do fígado?! 

 

O Fígado?! A SÉRIO? É assim que tudo acaba? Depois de tudo o que já tinha sofrido para chegar a esta etapa da minha vida, depois de entrar para o outro lado do portão, quando eu estava a aproveitar a vida pela primeira vez.. o fígado, de tudo, é aquilo que vai manter-se no meu caminho agora?

O fígado, de tudo, é a coisa que pode retirar a minha felicidade. Que vai retirar a minha aparência física, o que eu sempre quiz, e que iria continuar a melhorar. Que vai reverter o meu humor e mudanças psicológicas para um passado não muito longe.

Eu.. nem consigo acreditar. Tudo o que posso fazer é olhar e relembrar o que tive no passado em Maio enquanto tento rastejar com unhas e dentes para onde estava enquanto sou arrastada pela lama, de volta para o portão! Porque o meu fígado está doente por um motivo ainda desconhecido que nem é devido ao tratamento em si!

E sim! Tenho consciência que é bem provável que seja algo temporário. Mas isso não é o problema, não é verdade? O problema é que já sei o que é sentir essa liberdade tão maravilhosa! Eu sei o que é senti-la, as pessoas já sabiam o que era presenciar essa liberdade. Isto é uma piada cruel e macabra!

Isto é como ser provocada, quando se tem fome e sede no meio de um deserto, por um lanche; é te dada uma fatia de pão simples para provares o que vem adiante e depois, do nada, é retirado tudo e dizem-te que tens de passar fome só mais um bocadinho porque os ovos que foram usados para fazer a omelete estavam estragados! Sim, é muito frustrante.. e as únicas “palavras sábias” que tu recebes das pessoas à tua volta é “vai haver dias melhores, mantém-te positiva”, como se fosse uma gravação feita para anunciar que o comboio vai chegar meia hora mais tarde e que pedem desculpa pela inconveniência… Considerando a minha sorte até agora, as omeletes vão ser deitadas para o lixo, novas irão ser preparadas mas, por alguma razão, estão sem ovos e vão precisar de esperar que um supermercado obscuro ainda os venda, o supermercado ainda está à espera do fornecedor que venha trazer os ovos porque oh meu deus as galinhas morreram num acidente trágico e agora temos que esperar que uma geração inteira de pintainhos cresça e deita ovos! Depois ainda a carrinha com os ovos fica sem gasolina a meio do caminho porque esqueceram-se de o fazer, os ovos chegam ainda mais tarde que o previsto do atraso anterior, o chefe esquece do dinheiro em casa para comprar os ovos e volta atrás para buscar a carteira e agora sim.. toma a tua omelete e já vais com sorte! E tudo o que dizes é que tu nem queres saber das omeletes nem dos ovos ou do supermercado ou do fornecedor.. tu apenas queres algo para comer e beber..

 

 

A beleza é criada com muita dor, não é? Eu sei que fiz menção disso na actualização anterior mas é verdade, as pessoas que sofreram muito são aquelas que têm uma alma e personalidade tão bela e atraente. Mas se sofreres demasiado, o teu coração ficará frio e distante. Existe uma linha muito estreita entre a beleza e a cova que chamamos de insanidade. As pessoas tem limites no que podem suportar na pele ao longo da vida sem desistir dela por completo. Eu posso dizer que, neste momento enquanto escrevo, eu estou a balançar-me numa corda. Por enquanto, vale a pena viver porque a esperança ainda não desapareceu por completo. Eu sei disto porque eu já tive a oportunidade de viver a vida tal como imaginei. Apesar de muito mais ainda ser necessário, ainda foi muito bom, apenas fantástico e maravilhoso..

.. Eu preciso de manter essa memória por perto. 

 

Porque não posso confiar em ninguém para dar a esperança e apoio emocional que preciso neste momento. Nem mesmo a minha psicóloga neste momento. Desde que informei destas noticias para algumas pessoas da minha vida, tudo o que elas fizeram foi expressar aquelas únicas frases filosofias e baratas. Do “Vive um dia de cada vez”, “Vê pelo lado positivo”, “O que estás a falar, ainda tens bom aspecto”, “Oh, não importa. Sempre serás a Safira, a Safira estava dentro de ti este tempo todo” (não me digas)… … ugh. Eu tenho consciência que as pessoas estão a tentar ajudar-me, a tentarem ser simpáticas. Mas neste momento, eu não preciso de pessoas a tentarem ser simpáticas e ajudada com apenas frases cliché que foram retiradas de uma história para crianças. Eu preciso de ajuda e suporte verdadeiro. Estou.. cansada de tanta areia que tentam atirar para os meus olhos, das pessoas tentarem fazer acreditar-me que não tenho nada que me preocupar e que eu simplesmente devia tentar ignorar tudo até que tudo volte ao normal.

 

Digam-me, alguém se relembra daquele sentimento quando se chora e existe pessoas a tentarem encorajar-te.. e tu fechas os teus olhos, apesar do facto das pessoas estarem fisicamente ao teu lado ou à tua frente.. sentires como se toda a gente estivesse a milhas de distância e tu estás completamente só apesar das vozes estarem perto de ti? Isso é o que sinto quando chego a um estado de desespero em vez de apenas aquele sentimento de frustração bastante familiar. Que não importa se tens pessoas que te dizem amar e que querem o teu melhor, o coração e mente delas ainda estão tão longe, ausente e/ou distante. Isto é, para mim, o sentimento de solidão. Quando não tens ninguém que verdadeiramente.. ama o verdadeiro eu. Que apesar das pessoas dizerem que te amam, tu sabes bem que é mentira porque aquilo que amam não és tu de verdade mas apenas aquilo que acreditam seres tu. Que não querem saber dos teus interesses mas apenas projectam as suas ideas e aquilo que acreditam ser o melhor para ti em vez daquilo que verdadeiramente desejas.

Eu não preciso de uma tempestade de areia para cobrir aquilo que vejo claramente num espelho, que sinto na minha mente. Os efeitos que pelos quais já estava a livrar-me.

Não… o que preciso é de um abraço de alguém que seja maior que eu, forte mas com um coração quente. Para fazer sentir-me que não estou só quando fecho os meus olhos e os meus soluços se tornam gemidos. O contacto físico que está a faltar tanto, que as pessoas sempre o evitaram durante a minha vida. Um gesto simples e carinhoso no ombro ou braço, de uma cara amigável. O calor humano, o odor. O sentido do tacto que faz falta e que me fez sentir apática, que fez do meu coração frágil ser pedra. A voz que vem de um outro coração e não da mente, quando me diz com ternura e honestidade que “a vida é difícil sim, tu e eu já sofremos demasiado. Não sabemos o que o futuro nos reserva mas nós iremos sobreviver, juntos.”

… Mas o que peço é demasiado, não é? Eu já ouvi isso de algumas pessoas ao longo dos anos. Que esses pequenos gestos são demasiadamente caros. Que é difícil para mim encontrar esse estilo de pessoas, porque eu sou muito complicada e diferente do resto do mundo. Vão para a merda, todos vocês que me disseram coisas desse género, do fundo do meu coração.. eu nem estou a tentar ser vingativa e maldosa, eu sinto mesmo ódio neste preciso momento por todas essas pessoas que me disseram isso no passado. Porque essas pessoas dizem essas coisas horríveis quando estão perto de mim, para “tentarem ser simpáticas”; viram as costas, esquecem que eu existo e depois vão para as redes sociais para mostrarem as fotos com as amigas, com sorrisos amarelos e copos nas mãos; dando a entender que tem uma vida perfeita e rodeada das amizades que cultivaram durante anos.

Eu sou um brinquedo, não sou? Uma boneca criada especialmente para os outros demonstrarem a sua “bondade” e depois abandonada e posta de lado. Uma aberração que ninguém pode compreender, que não merece o mero contacto trivial e banal de um outro ser humano. Estou.. cansada de ser a cadela de luxo de todo o mundo pelo qual apenas tens que preparar um pequeno lacinho para a franja quando vais me levar a passear para eu fazer as minhas necessidades e para tirares uma foto fofa para o facebook e, depois da foto ser tirada, está na hora de voltar para casa enquanto que os donos vão dar uma volta lá fora e fazem aquilo que os “humanos fazem quando não tem os cães por perto”. Passando a maior parte do dia a preocupar-me e a questionar se os donos alguma vez irão voltar a casa. Apenas com uma tigela para a ração e outra para a água. E quando os donos chegam a casa, frustrados com a vida deles, eu fico grata que não estou sozinha finalmente.. eu levo com um chuto porque os donos já não estão interessados em tirar fotos comigo para as suas redes sociais. E quando ladro, sou ignorada. Quando mordo, é me dito que sou ingrata e má porque os donos AO MENOS deram-me ração e água.

 

Alguns de vocês não tem coração, isso é óbvio para mim. Parasitas sociais e carraças, eu tenho imensa pena que vocês foram educados tão mal e são tão privilegiados ao ponto de não fazerem a menor idea o que é sofrer seriamente e sentem a necessidade de rir ou de gozar quando eu digo que quero esconder-me numa caverna devido aos eventos recentes. Eu não estou a brincar, ouve alguém que se riu em todos os momentos quando eu utilizei expressões do género nestas últimas semanas e eu fico a pensar se esta pessoa é apenas incapaz de sentir empatia pelo próximo ou apenas não é capaz de discernir a dor que sinto. Longa vida à burguesia,  que choram por cãozinhos e gatinhos nas redes sociais mas é completamente alheia ao sofrimento dos outros mesmo à frente do nariz!

Sim, porque nada mais precisa ser dito quando tu ouves algumas pessoas a dizer que “suportam-te” e ainda acham que é completamente apropriado dizer que estão no seu período e que eu nunca irei saber o que isso é. CREDO, conseguem ouvir o grito dentro da minha mente quando eu ouvi uma das pessoas que me “suporta” a ser tão atenciosa e bondosa quando me relembra que nunca irei ter filhos do meu sangue? E então aquele dia em que uma dessas outras queridas “aliadas” pensou que teria imensa piada fazer uma piada de mau gosto com respeito às “jóias da minha família”? Conseguem sentir o amor a pairar no ar? Porque, depois de tanto carinho, eu apenas consigo concluir que, ou duas uma, algumas destas pessoas que me “suportam” ou são sociopatas ou são incrivelmente mesquinhas.

 

… E sim, tenho plena consciência que algumas dessas pessoas que me “suportam” vão ler este post eventualmente. Eu nem quero saber, não revelei a identidade dessas pessoas para “o público” portanto não vale a pena estarem com forcas e apenas basta ignorarem, como costume. Nem penso revelar, a não ser que decidam fazer figuras tristes para “o público” porque disse aquilo que sinto com base em acontecimentos reais. Deixa estar, podem ignorar à vontade e esperar que faça upload de uma foto minha no facebook que aí sim vão fazer “like” na mesma para demonstrar o vosso “suporte”.

 

 

Hmhm.. de qualquer forma, está na altura de pensar o que fazer no entretanto, enquanto eu vou morrendo aos poucos por dentro durante este tempo de espera para descobrir o que o meu fígado tem de errado.

 

Não existe muito que possa fazer excepto esperar. As coisas irão se reverter aos poucos nos próximos meses, visto que irá demorar algum tempo. Estas coisas já estão a reverter-se lentamente, não é preciso atirarem com areia para os olhos e dizerem-me que ainda estou linda de morrer. Por favor, já tive melhores dias e eu tenho potencial de ainda ser mais bela que antes assim que eu (espero) possa resumir o meu Tratamento Hormonal.

O que posso fazer, no entanto, é evitar que o meu corpo se altere demasiado visto que está à mercê da Testosterona de novo. No que diz respeito às minhas ancas e cintura.. eu sempre tive, mesmo antes da transição, alguma curva (apesar de eu já não ter aquela proporção perfeita de 0,75… vou sentir tanta falta disso..). Eu irei ter que conviver com a idea de ter uma figura mais rectangular mas mesmo assim magra.

Para manter um físico elegante, terei que comer menos e não permitir que os meus músculos e gordura se desenvolvam e se redistribuem. Se não comer muito, espero que os meus músculos não irão se desenvolver muito. No que diz respeito a gorduras, desde que coma o “suficiente”, o corpo não vai poder distribuir gordura suficiente para os lugares indesejáveis. Também irei precisar de beber bastante água para livrar-me do lixo indesejável no corpo, o que será bastante fácil visto ser verão portanto, não haverá falta de sede.

A caixa toráxica e costas é que irão ser o maior problema porque, como tomei consciência com o meu Tratamento Hormonal e agora com o facto que foi retirado os bloqueadores de Testosterona, é uma área fantasticamente… err.. versátil/flexível, dependendo das hormonas que estiverem em circulação. Isto vai ser o factor determinante que irá permitir-me “passar” ou não na sociedade. Isto não é algo fácil, de prevenir que a caixa toráxica se inche demasiado ou da forma mais lenta possível. Com base no meu conhecimento totalmente pseudo e idiota de alguém mal formada no que diz respeito a este problema muito específico, eu penso que, para além da minha dieta, manter o sutiã mais apertado quando possível irá ajudar. Eu sei eu sei.. é estúpido mas eu não sei mais o que poderei fazer e esta idea é mais baseada numa esperança muito cega e parva. Ao menos irei sentir-me melhor em saber que estou a tentar e os sutiãs ainda não se romperam até agora de qualquer forma. Por favor não me convençam de que isto não vai funcionar, deixem eu acreditar que isto vai ter algum impacto!

Num lado mais positivo, eu não preciso de preocupar-me muito com a minha cara ou braços/mãos. As minhas mãos e cara sempre tiveram um aspecto bastante feminino antes do Tratamento Hormonal. Isso não irá mudar agora mesmo com a Testosterona. Nunca foram factores muito influenciados com a Testosterona mesmo durante a puberdade, é óbvio que nada irá acontecer agora.. c-certo? Certo.. poderá alterar um pouco as minhas expressões faciais.. mas, como disse, eu sempre tive uma cara bastante feminina de qualquer forma. A cara nunca irá ser problema no que diz respeito a “passar”. E as minhas mãos nunca me causaram disforia, elas são as minhas “relíquias”. O meu segredo? Usar relógios apertados nos pulsos durante a minha infância, muitos jogos e evitar pesos fortes o máximo possível! O quê? Resultou, não foi? Eu espero que a mesma lógica se aplique no que diz respeito à caixa toráxica e sutiãs..

 

Apesar dessas coisas e dependendo do quanto as coisas irão se alterar.. eu -irei- dar um aviso importante a toda a gente, para aqueles que leram até agora. Quando chegar o momento em que eu sinta que já não “passo” na sociedade devido a estas mudanças físicas… vai ser o dia que irei deixar de sair de casa a não ser para lidar e resolver qualquer questão que seja necessária para voltar a recomeçar o Tratamento Hormonal.

Isto não é negociável. Eu tenho plena consciência que tenho um trabalho e que o dinheiro é bastante necessário.. mas eu não posso simplesmente, para o bem da minha sanidade mental, meter o pé fora e.. hmm. Não. Desculpem-me mas não posso! Não é saudável. Não. Nem.. pensar. O que menos quero que aconteça é voltar a sair de casa e ter as pessoas a voltarem a tratar-me como um homem. Se alguém pensa que simplesmente terei que suportar isso só porque preciso do trabalho.. então podem ficar descansados porque eu sei muito bem que preciso de um trabalho.. de dinheiro. Mas eu também preciso de viver, de manter a minha sanidade e eu não quero colocar a minha saúde mental em risco só porque preciso de dinheiro. E quando eu descobrir que cheguei a uma altura em que as pessoas olham para mim e pensam que sou crossdresser.. então é altura de esconder-me do público.

Por favor parem de dizer-me como devo de sentir e como devo de agir. Eu estou a ser bastante séria quando eu digo que eu iria abandonar o meu trabalho se fosse necessário para preservar o que tenho. Não façam de conta agora, depois de tantos anos a dizerem que sou difícil e impossível de ser compreendida, que agora é que tem as respostas certas para os meus problemas. Eu cheguei longe não porque ouvi todas as sugestões que me foram dadas, mas porque eu conheço-me a mim mesma até bem demais e sei o que é melhor para mim.

De qualquer forma, quando essa altura chegar, eu acredito que poderei negociar algo com as minhas superiores e arranjar maneira de trabalhar em casa no entretanto (isto foi o conselho que um estranho na internet me deu recentemente. É uma idea excelente!). A internet existe, o meu PC em casa é melhor que aquele que tenho no trabalho portanto, até de certa forma, o trabalho até poderá decorrer mais rapidamente aqui que no escritório! Tenho consciência que não consigo fazer tudo aqui da mesma forma que poderia fazer no escritório mas, ao menos, é melhor do que produzir nada e ganhar nada..

 

 

E assim, eu termino este post loooongo por informar todos que estarei disponível e irei actualizar-vos através do Twitter e da minha Página de Facebook (publica). Sim, tenho consciência que eu faço muitos posts no meu twitter e na minha página de facebook que muita gente não gosta muito. Temos pena… porque não sou fan do Facebook por si mesmo e eu tento evitar falar muito no meu Facebook pessoal. Qualquer notícia importante irá ser transmitida através do meu blog e, como tal, eu acredito que só irá ser relevante criar uma destas actualizações assim que souber o que o meu fígado tem de errado.

 

E antes de dizer adeus, eu irei partilhar uma última selfie (que fotografei na última Sexta Feira).. até que volte a ter as minhas hormonas e até ficar apresentável de novo. Obrigada por lerem e se acham que fui injusta de uma maneira ou outra.. então eu espero que ao menos entendam o porquê de eu falar da maneira que falo em vez de agirem como egoístas com vontade de preservar os vossos egos e interesses pessoais. Sim.. eu sei que sou hipócrita. Vocês também, deixa estar~

Pages:

[English and Portuguese] Transitioning – Fifth Month Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final)

  • 1st Month/ 1º Mês – Link
  • 2nd Month/ 2º Mês – Link
  • 3rd Month/ 3º Mês – Link
  • 4th Month/ 4º Mês – Link

 

ENGLISH

 

Hello. It’s time for another update. This one is quite important, as a few are aware of the appointment that I’ve been pointing out for a while. The 11th May.

This post.. is going to be quite different. I will not create any category. There’s no need for such this time..

 

I took my 147th Anti-Androgen on the 10th of May, Wednesday.

Wait, you may say. Wasn’t it supposed to be more 30 Anti-Androgen since last time, making it 150th on the 13th of May? There’s three missing, what happened? Unfortunately, I do have some bad news.

I’m writing this on the 11th May, on the evening. Though I’m sure that I’ll only publish this much.. much later. I’ll be out during the weekend (13th-14th), meeting new people, hopefully making new friends. I know I have been ranting about LGBT communities and other modern political aspects, being politically incorrect in my own way, preachy and bitchy about it. I’m temporary in a state of adolescence (emotionally speaking), people should already be aware of that! But, this weekend (13th-14th), I’ll be with people who, like me, suffer from the same specific issue. I’ve never been with them but.. I do feel they are different from the other groups I’ve tried and didn’t enjoy that much. I can’t generalize people, I know better than that.

 

 

Anyway, enough stalling and more direct to the point.

I’ve had the appointment. But, like I’ve hinted, there were bad news. The blood test results… weren’t good. The liver, in this case. The values have changed drastically, which has lead to the decision of.. having to stop taking any medication for the next six weeks. To find out if it’s my liver reacting badly to this medication in specific or, if there are bigger issues that need to be solved. There are Anti-Androgens that are far more friendlier to the liver. However, the liver needs to be fine in order to introduce Estrogen into my body.

In the meantime, during the next six weeks starting on the 11th of May, I won’t be taking anything. Which means that, during these weeks, there are.. aspects that will slowly degenerate back to before my transition. Of course, six weeks isn’t enough to bring me back to a state on which I was on December (Dear lord!). However, there will be a few things that will..  subtly be reverted. Hopefully, it won’t even be noticed. I hope.. Still, it won’t be anything that I won’t recover again.

 

Sadly, this does play quite a lot on my worst fears. Because thus far, life has given me obstacles to heal myself from this condition.

Life has given me a religion, that indoctrinated me, that made life difficult to fully understand and accept. But that obstacle didn’t stop me, as much grief as it caused for myself and others.

Life as given me the nationality, of a country that is economically broken, sharing the coin of the rich but having no pockets to keep it for too long and making the average citizen pay for it with their hard work and low salary. Fortunately, life as given me a good family and some form of income, despise the time it steals from my life. But it’s a painful obstacle that hasn’t stopped me thus far.

There are worst lives out there, I’m sure. However.. there would be nothing more devastating to me than, after the obstacles that I have crossed, that have stolen time, money and tears from me; the people that I had to abandon and those who have abandoned me, the roller coaster of emotions I have rode to get where I am.. Having the taste of freedom, of slowly healing myself from my dysphoria.. only to have life take it away from me because of an health issue.. that would be one of the cruelest things mother nature could do to me and.. I doubt I could live with that idea. I’m sorry..

Such thought, that it could happen, it makes me feel fragile. I’m not exaggerating when I say that, when I’m having such thoughts and what if’s, I do feel a knot on my throat.. the anxiety too much to handle and the pain can only go away with the tears that, fortunately, have become easier to roll. It would be sad if I lost that gift, among others.

 

I.. don’t want to go back. This was the best decision I’ve made in my entire life. I’ve been happier and, as said earlier, free. Free to be who I am. With evolving body tributes that were always rightfully mine since I could remember. In a way, though not completely faithful and perfect to what I envisioned when I was younger, I currently feel more beautiful than ever. No longer do I envy other women. Confident. Though I guess, at the moment, paranoia has settled given the news and the fact that it has been more than a week since I’ve stopped my medication..

 

 

Ignoring the bad news, this last month was great for me. As I’ve mentioned on the previous update, I still had to dress up as a woman everyday. Well, I’m doing so now for more than three weeks… and I feel great! Yes, people do gaze at me but I’ve learned that, when random people address me, they all treat me with “Miss/Girl”. Which is quite an achievement, considering that I’m tall and 27 years old.. still being treated as a young girl and not as “Ma’am/Lady”. In short, when people look at me, they do so because I’m tall.. among a few good features that I possess. I know this because there have been a few.. envious gazes towards me from other women. I know, I was in their position once. But now, it feels good to be on this side and to notice these things because it does make me believe that I don’t only “pass” but I’m “passing with flying colors”!

And yes, I’ve been experiencing some of that fabled “female social privilege”.. as also “annoyances”. But it’s fine, I’m just glad that I’m experiencing both the good and the bad. As in, people have been extremely nice towards me (mostly men) and there as also been some.. catcalling? Should I call it that? I still have no idea if a few men staring at me and smiling, as if asking me to smile back.. is catcalling. I have.. no idea. And I think one man, at one time, was trying to sing to me while we were on a train? I don’t know.. I couldn’t understand what he was saying, but he was extremely happy and looking at me while talking/singing from afar.

 

But I think the biggest random-encounter-with-strangers highlight this month was when I took the subway, it was quite filled with people and I had to stay next to a couple that were doing their PDA quite fervorously. The woman was the one that noticed me and she immediately stopped with her PDA just to stare at me, turning her body to fully face mine. I looked at her, to understand what was going on. She smirked, as if she was dismissing me in some way, then got back to her PDA with her boyfriend, whispering him in the ear. For a second, I thought something was wrong with my appearance.. which is a normal thing to still be a bit paranoid about now and then when someone starts staring at you for too long or starts acting strangely specifically towards you. But, during her PDA, she kept staring at me when she could and her boyfriend tried to look at me.. but she pulled his gaze away from me. And then I understood what was going on, and I shrugged inwardly, rolling my eyes subtly. She was insecure about her relationship with her boyfriend… HA!

I can’t lie. I do feel that I’m becoming extremely vain and I can’t help but flaunt my appearance. Yes, it’s shallow, I realize that. But I’m sure that this attitude of mine as of late is quite understandable, considering all the factors. I didn’t had the right teenage life where I could feel proud of my youthful body and appearance. Finally, at this age, I get to have the body and appearance that I deserve.. you can bet that I’m going to vaunt about it until I’m over this second puberty!

 

… Do you see why, dear reader, why I’m so afraid to lose all after having a taste of freedom from a crippling dysphoria? I can’t go back, I would rather live a short but a life on which I’m free than a hundred years of bitterness towards life and a dysphoria to deal with. I never understood the need for doctors to impose an healthy life (physically speaking) if, the consequence of doing so, is having a long and terrible life.

It begs the question. Would you rather live for only five more years on which you can achieve happiness and all the things you want… or would you rather live in a lonely cell, in jail for the rest of your life as long you are healthy? I know the answer, it’s a rather easy one. I do not care if I don’t get to live long, as long I can die happy. That is my current view, after experiencing the things I have in the last few months. I didn’t always think that way, mind you!

 

 

In short, I will never give up. This is yet another temporary setback in my life because; if there is karma, god, the devil or whatever, they decided my life was too easy and I needed yet another barrier because why not? If reincarnation is a thing, I must had been a terrible person in an earlier life. Or an extremely bored spirit that wanted the most bizarre new life they could think of.. for the “shits n’ giggles”.

Anyway.. I’m probably being a drama queen and my liver will be fine and it’s all a side effect from this specific Anti-Androgen. This specific medication, after all, has been banned in the United States. Why Europe still uses it is beyond me.. given that it can have a negative impact on some people. Not denying the good results, obviously.. but seriously, there are safer alternatives, why would any doctor find it appropriate to use the one that can cause 9%-20% chance of Hepatotoxicity (depending on the dose and the amount of time used)? Meh..

 

If there’s a message I want to pass to anyone that suffers from Gender Dysphoria is the following, based on my experience thus far:

No one said that it was going to be easy. No one said that all you needed to do to get rid of the cancer was to go to the doctor and take the medicine. Life is cruel and, for most people, it will impose on you events, people and other factors that will try to stop you from your path that leads to your happiness. As cheesy as it sounds, it is your willpower alone that will get you far. You need to be intelligent, patient and kind. Lose your temper and hope.. and you’ll never achieve the happiness you seek.

You need to be serious, don’t be a spoiled first world country brat that believes the world owns them anything. The world owns you nothing, you need to play by the rules. When life gives you lemons.. make lemonade, another cheesy saying but quite true in this case!

Be sensible, care for the emotions of even those that oppose you at first. Again, don’t expect anyone to understand you. Even those that, one day, say that they support you.. they will curse your very existence behind your back. Seek those that love you, that care for you and treat you like a normal human being, that want to include you in society with other people.. and not like a mystical unicorn that needs to be in a zoo with their own kind and only petted and fed once in a while (with the faint promise that they can take a picture with you and trick society, themselves and their friends that they are a very charitable humble soul.. to elevate their own egocentric and empty personality with a pretentious social status). Say no to segregation, to collectivism.. be an individual that is more than a mere cancer victim who didn’t had a childhood.

You are special and unique. Not because you have cancer, but because you are larger than life. Your personality is beautiful and people will naturally be drawn to you. Like all the others that have suffered in life, for whatever reason, you too.. can come on top graciously, with a smile on your face. Above the petty squabble from the masses who, for some reason, their biggest fears seem so small compared to the bigger issues that we (and others who suffer from much worse conditions than ours) have faced in life. They are shallow, pathetic, common, parasites.. we are not. Some will envy that, be prepared.

And, at the end, when you can finally say that you have beaten cancer.. be proud of yourself. Not because you had cancer or still has.. but because you are healing yourself from it, with your own strength and the aid of those that genuinely loved you enough and remained at your side during the whole process. They, too, are people that stand above the rabble and deserve all the love and care that you can offer. Don’t ever lose sight of them, not many of those exist in life.

Take care of yourself, be patient and kind to those around you, heal yourself with the aid of actual professionals.. be happy and a source of inspiration for those that look at you.

Beauty is pain. And those who have never suffered it, avoid it or cause unnecessary pain onto others.. are ugly.

 

 

As such, I end this post by saying that, until I know what’s happening with my liver and what the doctor has in mind, I won’t be creating more updates and I’ll not be counting these next 6-5 weeks as part of my transition. Until then, there will be other posts.. obviously!

Related to what I wrote on the other update, about sharing pictures.. if you read thus far, then I’m happy to announce that I have an Instagram account on which I just started to upload photos an’stuff! I won’t be posting a lot of pictures, since that’s not the type of gal that I am. But, if you look hard enough on this website, you’ll find a link to my Instagram! Yes, I’m filtering away the slackers and those that don’t read the things I post.. it has never been about the quantity, but about the quality of those that do read this insignificant grain of sand on the web. And no, I won’t be breaking the 4th wall anytime soon, this is the only paragraph that I’m doing so.. which is why I kept it last and on this specific post!

 

Thank you for reading this post and I apologize if I’m overreacting, if I’m being paranoid and/or dramatic.. but being neurotic is a defect that comes to the surface now and then.. specially when something unpredictable happens.

Oh.. and I’ve reached the 70-71 KG’s. It’s hard to believe that there was once a time I used to weight 113 KG’s haha..

 

 

 

PORTUGUÊS

 

Boa tarde. Está na altura de mais uma actualização. Esta actualização é bastante importante, devido à consulta que tenho feito alusão já por algum tempo. No dia 11 de Maio.

Este post.. vai ser um pouco diferente. Não irei criar categorias. Não vai ser necessário desta vez..

 

Eu consumi o meu 147º Anti-Androgeno no dia 10 de Maio, Quarta-feira.

Espera, poderão dizer. Não era suposto ter consumido mais 30 Anti-Androgenos desde a última vez, chegando aos 150 no dia 13 de Maio? Faltam três, o que aconteceu? Infelizmente, tenho más noticiais.

Estou a escrever isto no dia 11 de Maio, numa noite. Apesar de ter a certeza que apenas irei publicar este post muito… muito mais tarde. Estarei fora no fim de semana (dia 13 e 14), para conhecer novas pessoas, com a esperança de criar novas amizades. Eu sei que tenho falado muito acerca das comunidades LGBT e outros aspectos políticos da nossa actualidade, sendo politicamente incorrecta dentro da minha normalidade, exaustivamente e mázinha ao fazer tal. Afinal de contas, estou num estado de adolescência temporariamente (emocionalmente), as pessoas já deviam ter consciência disso! Mas, este fim de semana (dia 13 e 14), estarei com pessoas que, como eu, sofrem da mesma condição que eu em específico. Nunca estive com eles mas.. eu acho que eles são diferentes dos outros grupos que tentei e que não gostei muito. Não posso generalizar as pessoas, eu bem sei disso.

 

 

De qualquer forma, chega de postergar e finalmente ser directa ao assunto.

Eu tive a consulta. Mas, como aludi anteriormente, as noticiais foram más. As análises ao sangue.. não estavam boas. O fígado, neste caso. Os valores mudaram drasticamente, o que fez com que a decisão mais informada da médica fosse.. parar de tomar qualquer estilo de medicação durante as próximas seis semanas. Para saber se os valores alteraram-se devido à medicação em si ou se existem problemas mais graves que precisam de ser resolvidos. Existem Anti-Androgenos que são muito mais amigáveis para o fígado. No entanto, o fígado precisa de estar saudável antes de ser introduzido Estrogénio no meu corpo.

Portanto, durante as próximas seis semanas a começar no dia 11 de Maio, eu não irei consumir nenhuma medicação. O que significa que, durante essas semanas, vai existir.. aspectos que vão se degenerar lentamente para um tempo antes da transição. Claro, seis semanas não é suficiente para trazer-me de volta para aquilo que era em Dezembro (Credo!). Mesmo assim, vai existir alguns aspectos que vão.. subtilmente se reverter. Esperançosamente, pode ser que nem se note. Eu espero.. Felizmente, não é nada que não possa ser recuperado de novo.

 

Infelizmente, esta noticia brinca um pouco com os meus piores medos. Porque até agora, a vida tem-me fornecido obstáculos pelo qual se mantiveram à frente do meu objectivo de curar-me desta condição.

A vida me concedeu uma religião, que doutrinou-me, que fez com que a minha vida fosse difícil de entender e de aceitar. Mas esse obstáculo não foi suficiente para impedir-me, apesar do sofrimento que causei a mim mesma e a outros.

A vida me concedeu uma nacionalidade, de um país que está economicamente falido, partilhando a moeda dos que são ricos mas sem um bolso suficientemente largo para manter essa riqueza por muito tempo e fazendo com que os cidadãos da classe média e baixa paguem com o seu trabalho árduo e salário baixo. Felizmente, a vida me concedeu uma boa família e um salário, apesar do tempo que isso rouba da minha vida. Mas é um obstáculo doloroso que ainda não me impediu.

Existem piores vidas, tenho a certeza. Apesar disso.. não poderia existir algo mais devastador para mim do que, depois destes obstáculos que já atravessei; o tempo, dinheiro e lágrimas que esses me roubaram da minha vida; as pessoas que tive de abandonar e aquelas que me abandonaram, a montanha russa de emoções que eu tenho viajado para chegar a este ponto.. saborear a liberdade, da cura para a minha disforia.. apenas para a vida me retirar tudo devido a um problema de saúde.. isso seria uma das maiores crueldades que a natureza poderia fazer a mim e… duvido que conseguiria viver com essa idea. Desculpem..

Tais pensamentos, do que poderá acontecer, faz-me sentir fragilizada. Não estou a exagerar quando digo que, quando tenho esses pensamentos e os “e se’s”, eu sinto um nó no esófago.. a ansiedade demasiada e que apenas se vai embora com as lágrimas que advém logo após que, felizmente, tem se tornado fáceis de se obter. Seria triste perder essa dádiva, entre outras.

 

Eu.. não quero voltar atrás. Esta foi a melhor decisão que tomei na minha vida. Tenho sentido feliz e, como disse antes, livre. Livre de ser quem eu sou. Desenvolvendo atributos físicos que sempre me pertenceram desde que eu me lembro. Até de certa forma, apesar de não ser completamente fiel e perfeita em comparação com a minha visão que tinha quanto era nova, eu sinto actualmente mais bonita do que alguma fez fui outrora. Nunca mais invejei outras mulheres. Confiante. Mas acredito que, de momento, a paranoia está presente em mim devido às noticias e pelo facto de que já passou mais de uma semana desde que deixei de tomar a medicação..

 

 

Ignorando as más noticiais, este último mês tem sido muito bom para mim. Como disse na actualização mensal anterior, eu ainda tinha que vestir-me todos os dias com roupa adequada. Bem.. já estou a fazê-lo por mais de três semanas… e tenho sentido muito bem! Sim, as pessoas olham para mim mas eu descobri que, quando as pessoas da rua tentam se comunicar comigo, todas elas me tratam por “Menina/Jovem”. O que é uma grande conquista, considerando que sou alta e tenho 27 anos de idade.. ainda sendo trata como uma jovem rapariga e não como uma “Senhora/Dona”. Por poucas palavras, as pessoas quando olham para mim, o fazem porque sou alta.. e tenho alguns bons atributos físicos. Eu sei isso porque tem existo alguns.. olhares invejosos de outras mulheres. Eu sei, já tive na posição delas no passado. Mas agora, sabe bem estar neste lado e notar que isto agora acontece porque faz-me acreditar que eu não apenas “passo”, mas “passo e muito bem obrigada”!

E sim, tenho tido algumas experiências daquilo que se chama de “privilégio social de mulher”.. como também “inconveniências”. Mas tudo bem, apenas estou grata de que estou a ter esta experiência para o bem e para o mal. Como por exemplo, as pessoas tem sido mais simpáticas para comigo (mais os homens) e também tem existido alguns casos de.. “catcalling” (para falta de melhor expressão em português)? Será que devo de tratar esses casos por tal? Ainda não tenho bem a certeza se o olhar de alguns dos homens para comigo e a sorrirem, como se estivessem a pedir que sorrisse de volta.. é catcalling. Eu.. não sei. E eu acho que houve um homem, numa altura, que estava a tentar cantar para mim enquanto estávamos num comboio? Eu não sei.. eu não consegui perceber nada daquilo que ele estava a dizer, mas parecia estar bastante feliz e a olhar para mim enquanto falava e cantava com alguma distância de mim.

 

Mas eu acho que o melhor encontro-com-estranhos-em-locais-públicos neste mês foi quando decidi entrar num metro, estando tal cheio de pessoas e eu tive que ficar ao lado de um casal a demonstrar o seu afecto em público muito fervorosamente. A mulher foi aquele que tomou nota de mim e ela imediatamente parou com o seu teatro com o namorado apenas para olhar para mim, o corpo dela frente com o meu. Eu olhei para ela, para perceber do que estava a acontecer. Ela sorriu, com certo desprezo por alguma razão, e depois voltou para o seu romance com o namorado, falando-lhe ao ouvido. Por um momento, pensei que algo estava de errado com a minha aparência.. o que é algo ainda normal de acontecer visto que existe ainda alguma ansiedade de vez em quando quando alguém olha para mim por muito tempo ou começa a agir de forma estranha para comigo. Mas, durante a encenação pública, ela continuava a olhar para mim quando podia e, quando o namorado dela tentava olhar para mim, ela puxava a atenção dele para ela mesma imediatamente para não olhar para mim. E depois percebi o que estava a acontecer, e eu ignorei um pouco o que estava a acontecer, revirando os olhos subtilmente. Ela sentia-se insegura com respeito à relação entre ela e o namorado… HA!

Não posso mentir. Eu sinto que tenho me tornado bastante vaidosa e eu não consigo conter aquela necessidade de expor a minha aparência. Sim, é superficial, tenho consciência disso. Mas eu sei que esta minha atitude de recente é compreensível, considerando todos os factores. Eu não tive a mesma vida de adolescente que as outras mulheres em que poderia sentir algum orgulho pela minha aparência e corpo jovem. Finalmente, com esta idade, eu tenho o corpo e aparência que mereço.. podem ter bem a certeza que eu vou vangloriar-me até que esta segunda puberdade acabe!

 

… Será que agora percebem, caros leitores, do porquê eu ter receio de perder tudo depois de ter adquirido direito à amostra da liberdade para a disforia que me incapacitou? Eu não posso voltar atrás, eu prefiro viver uma vida curta mas uma vida pelo qual sou livre do que cem anos de amargura pela vida e pela disforia que tenho. Eu não percebo esta necessidade dos médicos imporem uma vida saudável (fisicamente falando) se, a consequência de tal, é ter uma vida longe mas terrível e infeliz.

Isso levanta uma questão pertinente. Preferiam viver por apenas mais cinco anos pelo qual consegues alcançar a felicidade e tudo aquilo que sempre quiseram… ou preferiam viver uma vida longa numa prisão, entre quatro paredes para o resto da vossa vida desde que estejam saudáveis? Eu sei a resposta, é muito fácil de responder. Eu não quero saber se acabo por viver menos tempo, desde que morra feliz e sem rancor. Esta é a minha posição actual, depois da minha experiência de vida que tenho tido nestes últimos meses. Eu não costumava pensar dessa forma, mas agora penso!

 

 

Por poucas palavras, eu nunca irei desistir. Isto é mais uma barreira temporária na minha vida porque; se existe karma, o diabo ou sei lá mais o quê, eles decidiram que a minha vida era fácil demais e de que eu precisa ainda mais de uma barreira porque não? Se a reencarnação é algo real, então eu devo ter sido uma pessoa horrível numa vida anterior. Ou um espírito qualquer que estava aborrecido desejou uma vida nova muito bizarra.. só porque “não tinha mais nada que fazer”.

De qualquer forma.. eu provavelmente estou a ser dramática e o meu fígado ficará bem e tudo não será mais do que um efeito secundário deste Anti-Androgeno em específico. Esta medicação em específico, afinal de contas, foi banida nos Estados Unidos. O porquê da Europa ainda utilizar esta medicação é estranho.. visto que pode ter um efeito negativo para algumas pessoas. Não estou a negar os resultados excelentes, obviamente.. mas existem melhores alternativas. Porque é que um médico iria achar apropriado usar um medicamento que pode causar entre 9 %-20% de chance de Hepatotoxicidade (dependendo da dose e do tempo que se tem consumido)? Meh..

 

Se existe alguma mensagem que desejo transmitir para alguém que sofra de Disforia de Género é a seguinte, baseado na minha experiência pessoal até agora:

Ninguém disse que iria ser fácil. Ninguém disse que tudo o que precisavas para livrares do cancro era de ir ao médico e tomar a medicação. A vida é cruel e, para muitas pessoas, irá impor-te eventos, pessoas e outros factores que irão tentar travar-te no caminho para a tua felicidade. Por muito cliché que seja, é a tua força de vontade apenas que te vai ajudar a chegar longe. Necessitas de ser inteligente, paciente e uma pessoa bondosa. Perde o temperamento e esperança.. e nunca chegarás à felicidade que procuras.

Precisas de ser uma pessoa séria, não sejas uma criança do primeiro mundo mimada que acredita que o mundo lhes deve algo. O mundo não te deve nada, tens que obedecer às regras. Quando a vida te fornece limões.. faz limonada, um outro cliché mas que é bastante verdade neste caso!

Sê sensível, preocupa-te com as emoções até mesmo daqueles que vão opor-se a ti. De novo, não esperes que alguém te compreenda. Até mesmo aqueles que, um dia, dizem que te aceitam e querem ajudar.. eles vão-te amaldiçoar-te quando estiverem longe dos teus ouvidos e outros sentidos. Procura aqueles que te amam, que se preocupam contigo e que te tratam como um ser humano normal, que querem incluir-te na sociedade com o resto do mundo.. e que não te tratam como um unicórnio místico que precisa de habitar um zoo juntamente com o resto da manada e que apenas têm direito a festinhas no pelo e comida de vez em quando (com a promessa oca de que eles poderão tirar uma fotografia contigo para enganarem a sociedade, elas mesmas e os seus amigos com a ideia de serem almas humildes e caridosas.. para elevarem o seu próprio ego e falta de personalidade com um estatuto social pretensioso). Diz não à segregação, ao colectivismo.. sê uma pessoa individual que é mais do que apenas uma mera vitima de cancer que não teve direito a uma infância.

Tu és especial e uma pessoa única. Não porque tens cancro, mas porque és impressionante. A tua personalidade é bonita e as pessoas vão sentir atraídas por ti. Como todas as outras pessoas que sofreram nas suas vidas, independentemente da razão, tu também.. podes ser alguém que vai superar as dificuldades no topo, com um sorriso na cara. Acima das disputas insignificantes do povo em geral que, por alguma razão, os maiores medos dessas pessoas são tão mesquinhos em comparação com os maiores problemas que nós (e todas as outras pessoas que também sofrem ainda piores coisas na vida) já enfrentamos na nossa vida. Eles são superficiais, patéticos, básicos, parasitas.. nós não. E muitas pessoas vão sentir inveja devido a isso, prepara-te.

E, no fim, quando tu finalmente conquistares o cancro que te aflige.. sente orgulho de ti mesmo/a. Não porque tiveste cancro ou ainda tens.. mas porque tu estás a curar-te de tal, com as tuas próprias forças e com a ajuda daqueles que te amaram genuinamente e o suficiente para ficarem ao teu lado durante todo o processo, a tua viagem pela vida. Eles, também, são pessoas que estão acima da escumalha e que merecem todo o amor e carinho que possas lhes oferecer. Não percas de vista essas pessoas, não existem muitas dessas ao longo da vida.

Cuida bem de ti, sê paciente e uma pessoa bondosa para todos os que te rodeiam, cura-te com a ajuda dos verdadeiros profissionais.. sê feliz e uma fonte de inspiração para aqueles que olham para ti.

Para ser-se uma pessoa bonita, tem que se sofrer. E todos os que nunca sofreram dor séria, ou evitam ou causam dor desnecessária a outros.. são criaturas feias.

 

 

E assim, eu termino este post por dizer que, até eu saber o que está a acontecer com o meu fígado e o que o médico tem em mente, eu não vou criar mais actualizações e não irei contar estes próximos 6-5 semanas como parte da minha transição. Até lá, haverá outros posts.. claro!

Relacionado com o que escrevi na actualização anterior, acerca da partilha de fotos.. se conseguiram ler até aqui, então fico feliz de informar de que eu já tenho uma conta de Instagram pelo qual irei começar a fazer upload de fotos e coizinhas! Não vou fazer upload de muitas fotos, visto que não sou desse estilo de rapariga. Mas, se procurarem bem neste site, irão conseguir encontrar o link para o meu Instagram! Sim, estou a filtrar os preguiçosos e aqueles que não prestam atenção ao que escrevo e faço.. nunca foi do meu desejo ter números, apenas pessoas de qualidade que lêem este grão de areia no meio da internet. E não, não vou quebrar a 4ª parede assim tão cedo, este é apenas o único parágrafo que estou a fazer isso.. e a razão de ter mantido esta notícia para último neste post muito específico!

 

Obrigada por lerem este post e peço desculpa se estou a ser dramática e/ou  paranóica.. mas ser neurótica é um defeito que vem à superfície deves em quanto.. especialmente quando algo imprevisível acontece.

Ah.. e cheguei aos 70-71 KG’s. É difícil de acreditar que ouve uma altura da minha vida que pesei 113 KG’s haha..

Pages:

A Non (Binary) issue

(Obligatory self pat on the back about the featured image)

 

Good afternoon!

We all knew this was going to happen sooner or later. The day I would post something this specific, about a very special group of individuals! The Non-binary. The people that claim there are more than two genders and call themselves “Trans”. Because labels are fun, specially when you don’t even know what the label means!

Of course, before I start spouting my own opinions as if anybody asked or cared, it’s best to describe a few terms.

A non-binary individual is someone that believes they are neither male or female. They claim to be somewhere in between, or nowhere, or all. They also believe that gender itself is a social construct, which ironically goes strictly against what a transgender/transsexual is and has been proven to be (in short, a belief that goes against scientific evidence itself). Normally, though I agree that it is a wide generalization (#NotAll), most of these individuals tend to be left leaning activists that adhere to the ideas and believes of Third Wave Feminism.

In short, non-binary individuals tend to be obnoxiously political about their own believes and feelings. Their evidence about their own core believes is never rooted on science and reality but, instead, on philosophical attempts to question the very basics of life and identity. Fuzzy logic and overall logic fallacies.

Obviouly, they are able to maintain their positions within the supposed “LGBT communities” given how they enjoy waving around the wrongly misplaced label of being “Trans”. Which, for many of the cisgendered people who don’t know any better, fall for it given that most Transsexuals (rightfully so) tend to lead average lives like most members of society (once they are able to “pass”) and don’t spend their entire lives waving around a flag and shouting on the megaphones about conspiracy theories, like the existence of a “patriarchal society”. Which only leaves the politically driven Non-Binary to lead the “movement” in the name of “the Trans”.

 

Yeah, you can tell that this is an issue that upsets me and other actual Transgender/Transsexual individuals. I’m not the only one that says that Non-Binary people have become an issue and a misrepresentation of what a Transgender and Transsexual is. Though that by itself doesn’t mean that our issues with them are automatically valid, I have yet to be convinced that I’m wrong. I am obviously open for debate on these issues! But I do warn that I am stubborn which, to my understanding, it’s a very neat trait. Oh and trying to appeal to my emotions won’t work, given that the damage provoked by Non-Binary individuals is greater than anything they take issues with.

 

The obvious problems with the Non-Binary movement can easily be solved if they, themselves, stop calling themselves “Trans”.

But what are the problems that the Non-Binary movement provoke to actual Transgender and Transsexual people?

 

 

ONE. MISREPRESENTATION.

The number of actual Transgender/Transsexual individuals in the world is roughly less than 1%. Though the exact number is incredibly hard to determine, given that most Transgender and Transsexual people do decide to lead average lives and not be open about their condition once they are able to “pass”. Or, some of them, have decided not to transition and to hide their true feelings from society.

Unlike those who are Gay, Lesbian and Bisexuals; Transgender and Transsexuals are not a sexual orientation but, in fact, are victims of both biological and psychological anomalies that have been wired in their genetics and misfortunes on themselves or in their mother’s womb on an hormonal level. In short, unlike a sexual orientation, that is natural; no matter if one is Heterossexual, Gay, Lesbian or Bisexual; Transgender and Transsexual people are not a natural occurrence, but an health condition. Which is why Transgender individuals search for medical aid to solve their health conditions (both mentally and physical aid).

To determine if someone is Transgender and qualified for proper treatment, it’s best to be absolutely sure that the person claiming to be Transgender does suffer from Gender Dysphoria. Gender Dysphoria is the only determine factor that separates someone psychotic or delusional from someone that has a mental disorder because they are biologically driven and mentally wired to be someone of the opposite sex. The dysphoria itself, though a mental disorder, it does not mean that the gender identity of the person is false/fake. The dysphoria exists because the gender identity (that is true and has to be proven by the doctors before any hormonal treatment) does not match the person’s biological sex.

When a Transgender person is given permission to start their treatment (if they so desire to transition), the correct label for that individual becomes the label of a “Transsexual”. A Transsexual is the term used to describe a Transgender person that has started their treatment, since it has been proven that the Transgender individual does suffer from Gender Dysphoria, therefore Transsexualism.

It is also important to note that, as everyone knows (hopefully), there are only two sexes and the rare condition called intersex, which is an anomaly that happens when someone has a mixture of both sexes and, unlike what some people say, it’s not a third sex. Gender, though something that, in case of an anomaly, can differ from someone’s biological sex, is still tied up to biological factors. And since there are only two sexes, it means there are only two genders. Male and Female. It is binary, though it is true that not every man is incredibly macho masculine and not every woman is a feminine princess/queen. And that is fine and lovely, but that does make it an entire new gender.

 

This is where the Non-Binary come in and misrepresent the facts about Transgender and Transsexual people.

First, they’ll claim that gender is a social construct which, by that logic, there wouldn’t be any Transgender and Transsexual people since that means that society taught them to behave and think exactly like those that share their biological sex. There wouldn’t be any Tomboys or Feminine boys either, since everyone would be close to a perfect male or female specimen. But that isn’t true. Which is why their whole existence and claim that they are “Trans” is, by itself, an offence to people who actually suffer from Gender Dysphoria and have a Gender Identity that doesn’t match their biological sex!

Second, they’ll claim that not every “Trans” person suffers from Gender Dysphoria. This belief comes from the obvious fact that Non-Binary people don’t actually suffer from Gender Dysphoria and, since they want to be called “Trans” soo badly, for god knows what reason since there’s absolutely no pride in calling yourself one (much like yelling out of your lungs “I have cancer”. Having cancer is nothing to be proud about), they try to shoehorn this belief into the “LGBT communities” and, therefore, society. Which is false, much like someone claiming to have cancer but saying that they don’t have cancerous cells in their body. This claim feels like a slap and an attempt to diminish the issues of those who still struggle with their Gender Dysphoria, which is infuriating at best! Given that they pass the belief that, those who suffer from Gender Dysphoria, are the ones that need to seek psychological aid since “not every Trans suffers from dysphoria” or, in short, a mental disorder. Again, it gives the wrong impression that, those who don’t suffer from the mental disorder, should be leading, aiding and speaking on behalf of those who do suffer from it.

Third, they’ll claim that there are more than two genders; which is something that Transgender and Transsexual people know to be false by heart (or I hope that they do because, more than anyone on this planet, our very existence is evidence of such). This diminishes and blurs the meaning of Gender Identity which is, for many people in this world, already a confusing aspect to grasp. Since Non-Binary people don’t seem to understand the difference between Gender and Personality/Quirks/Taste/Expression/Fashion. Again, if they were actually Transgender and/or Transsexual, they would know the difference by heart. But since they are not, they continue to spread this false belief that goes against reality and what being Transgender and Transsexual actually means. Don’t worry though, most cisgender people don’t know the difference either!

 

 

TWO. POLITICS.

We can all pretend that the Non-Binary movement is “Trans” for the sake of being inclusive and sensitive. Which, again, doesn’t work since, ironically, it excludes and is highly infuriating for actual Transgender and Transsexuals who find themselves not identifying with these so called “Trans”, given how their believes are opposite to anything that has already been proven.

But let us point to the elephant in the room in this movement and call out the fact that almost every non-binary person is, in fact, a Third Wave Feminist. Or, if not, they are inclined to agree and support social justice movements directly or indirectly. Which makes it seem as if their claims and activism is nothing more than a way to revolt “against society”. Which is why they are against what they call “cisnormativity”. Against “the patriarchy” (a conspiracy theory that claims that western society is brain washed to always favor men over women given centuries of indoctrination provoked by powerful bigoted men).

It is no wonder that some Non-Binary people, besides being obnoxiously political, have waved the flags of Anarchy and Communism. Let alone that those are two completely different and almost opposite political views (one is extremely authoritarian, the other is extremely libertarian. There’s no way both can co-exist in the same society. And while at it, liberal does not mean libertarian and right does not mean authoritarian. There are left leaning authoritarians and there can also be right wing libertarians. Politics is not a line, but a mostly two dimensional spectrum).

In short, besides, again, misrepresenting actual Transgender and Transsexual individuals (which most of them don’t even care about politics and, some of them, are even right winged); it feels as if non-binary people have a problem against society and, claiming to be non-binary, is yet another attempt to revolt against society rather than a genuine struggle that they might be suffering. It is rather strange, though not surprising that when most people nowadays, when they think of someone that is Trangender/Transsexual; their idea is that they are people who are politically driven and want to change society, challenging the status quo. That Transgender and Transsexual people are showing society that men can wear skirts too and women can be incredibly manly. Again, it is very frustrating that this is the image that society has of actual Transgender and Transsexual people when they see obnoxious left leaning radicals speak on their behalf with their conspiracy theories and what can be, unfortunately, compared to a teenage/mid-age rebellion/identity crisis. In short, it makes it seem like we are all Cultural Marxists! No thank you, that’s not what actual Transgender and Transsexual people are (of course there might actually exist a very small percentage of those that are, because we are individuals and not a hive mind collective/cult).

 

Transgender and Transsexual people are individuals and, most of them, don’t want anything to do with politics or these recent rebellions. They are people who are trying to solve their dysphoria and difference between their gender identity and biological sex. Not all of them are left leaning. Not all of them are communists or socialists. Not all of them are right leaning. Not all of them are libertarian. Not all of them are authoritarian. We are normal people like everyone else who, unfortunately, we’re tricked by nature.. NOT SOCIETY.

We don’t need to be “liberated” from a “heteronormative and patriarchal society”. We don’t need people to think that our condition is “natural” (it isn’t), as if we were Gay, Lesbian or Bissexual. What we need actually, is people to be educated about our HEALTH CONDITION! Not pitied, patronized by simple minded buffoons that refuse to listen. But helped by professionals, who know what they are doing because they didn’t take a feminist degree but studied and spent days and nights doing something in their lives besides complaining about a “wage gap” and that they didn’t get a job because the “patriarchy” didn’t allow them to work or achieve much with a useless feminist diploma!

 

…I hope people realize that this is how I got myself in a political rabbit hole in the last two years. Not because I like politics. Not because I want to “change the world”, politically speaking. But to be aware and be able to debunk these believes that are shared in the left leaning society, thanks to these “LGBT communities” that have blindly and ignorantly submitted themselves to the ideologies that I’ve came to despise more and more with time. And every time I’ve tried to speak up my mind, I’ve always been patronized and silenced by those with opposing views. As if, in their perspective, my “ignorance” is cute and they are the epitome of morality, knowledge and truth; the instructors that have to teach me, to open my eyes.

Bitch, I’m a cult survivor who came to the top and was still able to wait patiently for five years to be diagnosed, given permission to the appropriate treatments. I have a job because I didn’t surrender to the despair of my dysphoria for all eternity. Because I didn’t took a useless degree in gender studies or glued myself to online blogs and eco chambers. Someone that is more than a Transgender, more than your average basic “normie” pop cultured woman. I draw, I have passions and motivations. Dreams. I’m creative, a storyteller, also a designer. I also once took a three year course in programming that, though I don’t remember much since it was nearly 10 years ago, it only means that I have a certain autonomy in most things related to software and customization of webpages and coding (if I’m feeling inclined and motivated). Someone that, despise all the odds, still is able to have a healthy relationship with her family. Because I wasn’t a self entitled rebel adult teenager who cried “bigoted” and ran away from home, giving up on their own parents and loved ones just because they first reacted violently or negatively. Someone who, despise some of you crying that society is “bad” towards Transgender and Transsexual people, I am slowly being accepted (though quite easily may I add) by my own neighbors. Someone who even had an positive effect on certain people that held conflicting views of the world, people that now root for me in silence and prayer. Not because I held signs, flags and megaphones in the air like a pretentious snob; but because I was discreet, kind and respectful towards even my worst enemies. That’s how you change the hearts and minds of those who, at first, oppose you. Not with laws and screeching. So, who are YOU to patronize or pity me and my ideas? I’m a winner that keeps winning, like every other actual Transgender/Transsexual and people who suffered injustice in their lives who, despise all the odds, came out on top with their heads held high and humble after being victims of misfortune. The fact is that most of you wouldn’t be able to survive if you had the lives that we had because you lack the willpower, patience, intelligence and empathy to keep going gracefully! Side rant over!

I’m aware that this previous paragraph wasn’t humble and was quite self congratulatory. It was a rant, a necessary one in hope that some people will wake up, an insignificant mumble in cyberspace. Being Transgender and Transsexual is not something to be proud, much like having cancer. But beating cancer, however, is something to be proud of. And what I admire is, people who actually suffer from major issues and injustices in their lives, they never look down on anyone. They remain humble, kind and respectful towards others, despise the fact that they succeed at life. And it boggles my mind how there are people who look down on those that, despise all odds, came on top as winners. People who look at those as different and inferior, despise being successful while, funny enough, those judgmental assholes probably never had anything that stopped them from having a successful life but, somehow, they ended up with a mediocre boring life in a corner, never to be remembered by history and forgotten after their grandchildren start having children of their own… if they are even lucky enough to have children of their own!

 

 

THREE. BAD ADVISES.

Let us imagine this scenario:

You are genuinely a Transgender individual. Someone that suffers from Gender Dysphoria. You feel that you are alone in this world and you decide to seek aid from those you’ve learned that they are qualified for such. An “LGBT community”. Of course, you are desperate and you are emotionally vulnerable, so you seek this “community”. You are approached and you express your emotions and predicaments. They seem to receive you well and they are ready to offer their aid.

Now, obviously, the best aid a Transgender person can get is directions on which hospital, clinic or doctor they should seek. To be properly diagnosed and given the necessary care. The “LGBT community” role should be to, not only give the necessary directions on how to get the process started, but to also aid the Transgender-soon-to-be-Transsexual individual to have a normal and satisfying life among the other people in society. Help them with their professional life. Advise them on how to talk to their family members and friends. So on.

To some extend, that’s what a Transgender individual gets in most “LGBT communities”. But, again, life tricked you and gave you a non-binary activist as your life coach. You explain that your family and friends don’t understand you. The activist will say that the “patriarchy” is to blame, screw society. You expose your fears of never being able to “pass”, even with your transition. The activist will say that it’s “cisnormative/heteronormative” and that’s bad, blame society. Maybe you aren’t even sure that you are transgender and you explain how you feel about your gender identity. The activist clasp their hands with a smile and suggest that, maybe, that genuine Transgender is.. perhaps Non-Binary. Or maybe you don’t earn enough money for your process and you fear that you’ll never be able to be yourself. The activist will ponder for a moment and suggest that, maybe, you don’t need to transition at all; that maybe it’s best to self-identify as a “Non-Binary”, because it’s cheaper (I wish that I was joking but I’ve heard tales of this happening several times in the past in certain communities and it wouldn’t be far-fetched to believe that this actually happens).

Since you are emotionally vulnerable, you actually consider the things the activist advised to you. The activist starts seeking you to join them and their friends to some good ol’fashioned political activism. To make you feel that you are part of a community (while, at the same time, giving away your precious time and money that you won’t get back. Time that could had been wasted trying to find a job or, god forbid, seeking actual aid from those “gosh darn bigoted” professionals. Ah well, free labor and donations for the community). Slowly, you look around and you find yourself in an eco chamber. All your friends are part of the “LGBT community”. All your friends have the same political position. All your friends are victims of a “patriarchal society”. You start to hate society as it is and blame it for your condition. Those with opposing views… … Oh and you still suffer quite a lot from Gender Dysphoria, and the only suggestions you’ll get is to dye your hair every color of the rainbow and to wear clothing from both the men and women’s aisles.. because that’s exactly how you help someone with Gender Dysphoria (obvious sarcasm)!

Congratulations, you have been indoctrinated and you are now part of a political social movement. In short, a cult. Because cults aren’t a thing that exist only on the spiritual/religious sense. It’s okay, people fall for tribalism all the time, me included.

 

Seriously, do yourself a favor and seek professional aid if you are an actual Transgender person. From an actual psychologist, even if you have to spend some money. Find out how you can find a clinic or medical team in some hospital that can diagnose you, that can aid you with your transition (if that’s what you end up deciding to do).

If you really need to feel like you are part of a community with people that share the same issue as you, find one that is strictly for people with Gender Dysphoria. Not one that is part of a wide umbrella of alphabet soups, since you are less than likely to find someone like us. These smaller communities that only deal with Gender Dysphoria tend to not be politically driven and they will help you with your treatments and to have a mostly comfortable and normal life in society, together with everyone else. They will not suggest segregation, but for you to be an happy individual among other individuals in this world.

And don’t give up on your family and friends. Even if they reject you, don’t throw selfish tantrums around. There are no bad people, only people who have been badly educated. Don’t act with anger, but with kindness. Be nice, even to those that hate you. Do them favors anyway, try to do the things that they ask of you.. even if you know it won’t work. They don’t know it won’t work, they need to see their own advises failing to make you happy. And once they get to see that their aid is making you even more miserable, they will become human and they will start listening to you. Give them time and they will learn to accept you. And who knows, they may even end up supporting you!

 

 

SUGGESTIONS FOR THE NON-BINARY

I know I know. First I mocked your believes. Then I’ve claimed that you are delusional. Then I said that people shouldn’t listen to you.

Trust me when I say this, I don’t hate you. I’m not even upset about what you believe in or identify as. I will respect your pronouns because I like to make people feel good. I gain nothing from being insensitive towards you.

I even had the pleasure to speak and talk to one Non-Binary person before. Someone that has tried to reach out for me plenty of times, which I’m aware that I’ve been declining every attempt by that person to approach me. Though, to my defense, it’s because this person has only been trying to invite me to activities and gatherings that are “LGBT themed”. Sorry, that’s not my thing, I have tried, not a fan… but next time, if you just want to have some coffee or an average lunch/dinner somewhere (without the need to bring a group/gathering of “Trans” or “LGBT folk” with you), feel free to invite me! I would love that, actually. I’m an introvert, not much into “large gatherings of strangers for parties/events”. But small thought out simple yet warm, calm and cozy hangouts are my favorite! Just don’t arrange anything in nature, in the forests or outdoor parks. It’s spring, I have allergies!

 

The issue I take is that, because of your believes and labels, people can’t distinguish between someone that is Non-Binary and someone that is Transgender/Transsexual. It’s not about exclusion or segregation, it is not because you are not “Transgender/Transsexual” enough. Being Transgender/Transsexual is.. not something to take pride of. It’s an issue, much like cancer or even a genetic disease or mutation. You either have it or you don’t. You need to have Gender Dysphoria in order to be Transgender. A Transgender/Transsexual individual only identifies as either male or female.

I don’t mind that you believe there are more than two genders. I don’t even mind that you believe gender is a social construct. The same way I don’t mind that some religious people believe that I’m a sinner. However, the only solution I came up with thus far to make this fair for both groups is… if you stop calling yourself “Trans”. You’ve already labeled yourselves as “Non-Binary”, you already have your own flag. Use those things if it makes you happy and part of something big.

Just.. for the love of everything nice, please do not use genuine Transgender and Transsexual people as your shield for your believes and political agenda. Do not change the laws that support genuine Transgender/Transsexual people just so you can feel more “included”.

I’m already safe, from whatever damage you may cause to the law from this point forward. But I’m thinking about the future of others who will be influenced by your political movements in the name of the “Trans community”. I’m here to say, as someone who wants to also better understand the Non-Binary dilemmas, that I will not remain this silent for too long about your movement. Once my transition (and life overall) becomes more stable, I will take more visible steps to spread my concerns about the Non-Binary movement and how that is an issue for genuine Transgender and Transsexual people. Do not think that I will remain here in this little and insignificant blog for too long, talking to these digital walls.

 

I’ve grown.. extremely tired of this cultural war, of having the “LGBT communities” and certain dominant feminist figures and groups spreading their conspiracy theories about society and misinformation about actual Transgender/Transsexual individuals. I fear for the future of those that have yet to step forward, because I do feel that I have been lucky, considering how I’ve started my treatment and was diagnosed in the right time in history and political climate in my country. If it were one or two years too late, things could had went much worse for me and the laws would be working against me. If it were before 2010-11, the laws would be working against me as well.

I want things to get better, not worse. And I won’t be unfair for the Non-Binary either. But right now, things are heading in a direction that is unfair for those that suffer from Gender Dysphoria. and there aren’t many people in this country offering fair counterpoints to these “LGBT communities” and political movements that support these opposing believes.

 

 

Anyway, I believe that I’ve shared enough about this issue for now. I’m going to enjoy the rest of the afternoon and evening, it’s holiday here (Worker’s Day).

Tomorrow it’s the 2nd May. It’s going to be my birthday! Going to request a new ID (yay, changing my name and sex legally with the approval and diagnosis from a good number of doctors and professionals), going to work and then.. going to have a pleasant dinner~

Pages:

[English and Portuguese] Transitioning – Fourth Month Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final)

  • 1st Month/ 1º Mês – Link
  • 2nd Month/ 2º Mês – Link
  • 3rd Month/ 3º Mês – Link

 

ENGLISH

 

Hello everyone! It is time for the fourth monthly update, a different one at that.

I took my 120th Anti-Androgen on the 13th of April, Thursday. I’ve been writing this since Tuesday, since I work during week days and these take a while to write and, specially, to translate! Now, this month will be a little different. The way that I’ll structure this post at least, adding a new section for this and maybe future updates! Which means that this post may get a little lengthy. My advise to the people that really want to read this and lack time? To read while on a public transportation, either on the way to work or on the way home. Anyway.. this month’s update will include, in order: the Physical changes, the Psychological changes, News (related to the process itself, what awaits, what has happened, etc) and Final Thoughts.

 

 

Physical changes:

Probably the aspect on which there has been less changes.

We have always started by keeping the weight in check. To keep traditions, I’ll remind that, last month, I was complaining that my weight was between 77-78 KG’s, and that I was going to try and lower it to the 75 KG’s… allow me to correct that with an update. My weight is now between 72-73 KG’s, and has kept that way for nearly a week now. I.. have no idea how and what part of my body lost that weight but yes! In one month, 5 less KG’s.

It’s still between the healthy average range of a woman, so I’m not preoccupied. However, a lot of people have shown concern over my lost of weight. No need to worry, you’re just thinking within the male average… and that’s not how you’re supposed to think, sillies. You must think within the female range, since that’s the whole point. What do you think hormones do? Really, please consider the point of taking Anti-androgens and, in the near future, Estrogen. Exactly, the fat is not going to the belly, but to my hips (& friends)! And no, I’m not eating less or wrongly. I’ve been eating the same way that I’ve been eating even before my transition, the supposed portions and spread out meals that allow me to keep my weight exactly the same. So no, I’m not starving myself. It’s just muscle loss and fat redistribution.

 

As far as muscle loss and fat redistribution, there have been almost no changes. However, I took the liberty of measuring my body shape again. That is, my shoulders, hips and waist. This time, I asked for aid to measure my shoulders, which will provide more accurate measurements and ratio. So here goes my current-after-four-months-no-estrogen ratio:

  • Compared to my shoulders, my hips are currently around 0.96 (last month was 0.93)
  • Compared to my shoulders, my waist is currently around 0.75 (same as last month… though my waist got slightly even narrower, so either my shoulders somehow shrunk or it was measured correctly this time!)
  • Compared to my hips, my waist is currently around 0.78 (last month was 0.81)

In short, I should no longer need to worry about my body shape!

I was worried, given my shoulder length, that it would ruin the silhouette. Not that my shoulders have a ridiculous length (in fact, they look like regular broad shoulders), but considering my height and compared to the general height of other women that share my nationality (Portugal).. I’m more German approved. What helps is the fact that my waist looks proportionally healthy compared to the shoulders and hips.. and my hips are almost just as wide as my shoulders (again, I’m not yet on estrogen). So, as long I choose the right clothing that flatters this body shape (specifically, making sure that my waist line and hips can be seen) and also making sure that I have the right hairstyle (though I’ve figured that out correctly long before my transition, because I’m that self conscious and a visionary).. I will be more than fine~

 

Besides these aspects, there’s little else to add. I still continue to feel as if my chest and bum are behind the changes. Obviously that is because I’m not yet on Estrogen. Still, even without those changes in the meantime; I can still “pass”, given my body shape and face.. but as long I keep putting some effort into my appearance as well!

In short, not so much has happened physically. Waiting for the Estrogen..

 

 

Psychological changes:

Psychologically speaking, it’s hard to tell if there were any major changes as well. This month has been an emotional roller-coaster overall, given a few events in my life and also frustration and stress that comes with the process itself! It’s great when the changes happen and I do feel quite happy with these. But that doesn’t mean there aren’t obstacles in the way, provoked by outside sources and things that are beyond my control.

For a little more than a week, I felt apathy.. for no apparent reason. I wasn’t feeling much joy and sadness. It felt strange, considering how much more in contact I am with my own feelings and others. It could had been with the change of weather, with Spring. It happens, sometimes my mood can be a little influenced by the change of seasons. It could be because there hasn’t been any major holiday in my country since January, the lack of creative expression, the fact that my friends (and myself) have been busy and, thus, we haven’t been spending that much time together, etc. Perhaps because of the insecurities that still prevail, as my ego still fluctuates easily from being more confident with my own appearance to “oh no, someone’s staring at me. Is something wrong with me?! THEY KNOW!”. Seriously, with the amount of uncommitted people that already compliment my appearance, it’s anyone’s guess why I still panic over someone’s gaze on the streets..

But I’m fine now, that apathy was gone the moment I cried for “no apparent reason”!

 

Another thing that I’ve noticed along the months, is how my cognitive functions have been gradually changing.

Some people are going to roll their eyes when I say this but, as some people know, I like to play (video) games. I’m a geek, deal with it.. normies that don’t even know the difference between a geek and a nerd! And it’s interesting how my treatment has affected my performance in these games.

I’ve noticed that, in games that require the player to act fast and well (ex. First-Person-Shooters), I’m under performing quite a lot compared to before. In fact, these games now frustrate me more than they provide me with some recreation. I stopped enjoying those overall. Again, it makes sense since my instincts have changed. After all, I get scared and panic more easily.. which doesn’t help in situations that require to think fast and well.

Strangely, when it comes to solving puzzles (and this isn’t strict to a single genre, but several genres of games), I’ve also took notice that I’m performing much better in puzzles that require a combination of awareness to several tasks at once, being able to focus and solve several issues at once without leaving anything behind. In short, multi-tasking! I’ve become aware of it the moment I tried to play a game that I haven’t played for a year or two. I was never able to fully complete it, since it could get quite chaotic! Well.. I played it and I solved the puzzles without losing a single time. It felt easy and I somehow felt disappointed because I remember it being much harder. After thinking about what it could possibly meant and if there were other (actual real) scenarios and evidence that proved it, I came to the conclusion that, multi-tasking, no longer produces as much stress as it used to. However, puzzle games that have a time limit have become harder for me since, again, panic overwhelms my ability to solve problems. But, if I have a good night sleep, 2D puzzles have become easier than before.

I’ve also noticed that, if I’m feeling emotional or merely upset over something, I’m no longer able to abstract my mind away from the issues and keep playing. My performance in games is heavily influenced by my mood, which is something that didn’t happen that easily before. If I’m thinking about something that affects me personally on an emotional level, I now have to close the game and forget about playing it since I become completely incapable of enjoying it or do anything right. And nowadays, it’s easier to perceive most things as personal, therefore emotional.

In short, certain tasks have become easier, while other tasks have become harder. This is no surprise to anyone, since I’ve been hinting at that for a while on the other updates. But I thought this would be fun and interesting to share nonetheless! I was just avoiding sharing this until now because I don’t like to talk about my own geeky interests with my normie friends.. and they do read these specific blog posts! Not because I’m ashamed of it but because I feel bad for them~

 

Another change, and this is an important one, has been the fact that.. I’ve been feeling more the need to be in a relationship.

Without dwelling too deeply into my sexuality, since I feel that’s more private than sharing these updates.. yeah, don’t ask me why that’s my line on the sand in privacy, compared to everything I’ve shared. Before this month, it has always been a problem for me, to imagine myself with someone. Because I didn’t felt comfortable with myself and, thus, subconsciously, these thoughts and needs never came to the surface legitimately.

There were only two people in my life that came close to any kind of love and desire to be with. Maybe someday, I’ll have the courage of sharing those two experiences. But, for now, it’s important to note that those two experiences never came close to come true nor did I genuinely loved those two people. I only loved the thought of being in a relationship, though I didn’t felt the need and true desire to be with these two people.

But now, since I’m growing more comfortable on my own skin and appearance (despise the obvious insecurities), I can see why my mind is finally allowing itself to think about having relationship. I don’t think my sexuality changed at all, but it is finally awakening and not just a dormant and distant aspect that I was fully aware of but was incapable of reaching. Which is why I knew I liked men, I just.. didn’t felt that much for men. That is, until now. It’s awakening slowly, and the needs and desires that come with it as well!

However, it’s important to note that I’m only into hetero relationships.. in a rather complete sense. So this means that there are things that I really want to complete in this process before engaging in “very specific and colorful activities”. I don’t think I can make this more obvious without being blunt and I honestly don’t feel like being blunt in a subject like this..

 

 

News:

During this month, I’ve came to the conclusion that, physically speaking, I’m more than ready to carry an ID that reflects the name that I have chosen for myself.

As such, it has become the current short-term goal to make the necessary preparations to change my ID legally. To reflect the name I’ve chosen and for the ID to reflect my actual gender. In fact, it is important that I do so as quickly as possible! My body has changed drastically since December.

It’s true, I still don’t currently present myself as a women every day in public. I’ve been doing it twice a week at least as for now. Because of my insecurities. Because I want to keep saving money. But what’s actually happening right now.. is that I feel more hostility from the general public when I’m dressed as a man rather than a woman. This must be because, even dressed as a man, there are things that I just can’t hide (not that I want to hide these changes but.. I’m sure you get the point). It has become so bad that I’ve got shouted out recently (dressed as a man) by a man on a public bus, called a “faggot”. And I could had sworn I saw two teenage girls, on another day, trying to take photos of me (again, dressed as a man) while we were inside the same train. I’m too.. curvy to be dressed as a man. Only if I were to wear baggy clothing, I would probably be able to blend with the crowd as a man. And that’s not going to happen.. because then I would look like a man trying to hide a frail and anorexic body. Just no. Or maybe I just don’t know how to dress as a man anymore without feeling some repugnance!

But I have to turn a blind eye to my savings and waste a good amount of time (and money…) expanding my wardrobe. Among other things. It’s time to prepare, be rational for once and leave the fears behind. To think that I get more of the wrong type of attention when dressed as a man and, when dressed as a woman, the only thing I get is glances and a few compliments from some people that know me and from a few random uncommitted people that appear out of nowhere.

It is time to dress up as the woman that I am.. every day. I’m almost certain that I’ll be paranoid most of the days, for the first few weeks. But it is something that I want and it has to be done, adding to the fact that I have to do it for my own safety at this point.

 

Speaking of money, I was finally able to talk to a surgeon. A very well known one, since he mostly operates transsexuals. And there aren’t many of those in my country. There’s only one that’s trustworthy, the one I talked to. I was able to learn about the pricing.. and I can’t deny that it’s rather high. High enough to make me ponder seriously on how will I ever get my hands on that type of money! Obviously, this surgery is very important for me. But it has to be done under the supervision of this surgeon, if I want to get it done in this country.

It’s true, you can get a surgery by using the public healthcare system. But, as every transsexual in this country knows, the queue is long and everyone is advising against it (including my doctors). It could only be done in a very specific hospital and the conditions aren’t.. good. No way I’m going under the knife in a “back alley”, specially with such an important and delicate surgery!

So no. I have to ponder, on how will I be able to get such a surgery. How will I gather such money? Do I need a “second job”? Do I need to invest in my artsy dreams and cross my fingers that it will actually produce any type of revenue? I.. don’t know!

…I have no choice. For the sake of my sanity, I need to place this specific major issue on the back of my head and live a day at a time. Focus on the good things that my transition is providing thus far and will continue to provide. Wait for the conditions to change and hopefully make it possible to find a way to get the surgery done. Maybe.. who knows? The surgeon did say that he was trying to get the price lower and, if he eventually is able to, the price will be far more tolerable for my wallet!

 

 

Final Thoughts:

There have been plenty of ups and downs this month.

 

Mostly, I’ve been feeling insecure. Uncertain about the future. Paranoid over the public’s gaze. The money that I have to spend in the near future. The money I need to save, though it doesn’t seem like I’ll ever reach it by doing what I’ve been doing so far. The whole process and the lack of proper rest, the weekends filled with nothing but the need to rest and not doing anything productive. The fact that I haven’t been spending time with the people that I care for a good number of weeks. The appointments that I have at least once a week..

But also the joys that I’ve felt. The compliments I’ve been getting. Already feeling the first hints of inner desires and passions as I slowly become more confident in my body. We’re near May, Estrogen will hopefully become available to me. New changes ahead, which will be embraced as the solution to my dysphoria! Knowing that I’ll become even more feminine than I am, physically and psychologically speaking. Being able to fully pass, no longer worrying about a wondering gaze discovering my “dark secret”. Being able to think even more clearly.

 

I’ll.. be fine. This is probably the most awkward stage that I’ll ever get during my transition. The sudden shifts between feeling as if everything is fine and it’s only going to get better.. and feeling as if it’s all wishful thinking while, in reality, I look terrible and that’s what the general public sees when they glance at me. The difference between feeling confident for a moment and feeling the exact opposite a few seconds afterward just because someone dared to look at you longer than they should, or second glanced.

But I need to leave those fears behind. As one of my secret admirers (that knows me since my childhood) said to someone else while I wasn’t around to hear (but was told later by a 3rd party).. I look better as a woman than as a man. Someone please tell that fan of mine that I’m very grateful for that comment and I’ll try to keep it in mind for now on.. since we can’t really talk face to face! Jehovah Witnesses’ shunning an’stuff.  Or just share her the link to this blog post or whatever. Don’t worry, I won’t tell, I keep my Jehovah Witness fans identity a secret~ And if there’s anything that I’m good at, it’s keeping secrets.

 

When I publish my 5th Month Update, I will probably be consuming my first or second Estrogen.. err.. medication. I’ll be crossing my fingers in hope that my blood test is going to be fine. I’ll try to gain the confidence I need to reveal a photo or two. A few photos to keep safe, as a reminder on how I look currently, without Estrogen and with only Anti-Androgen. No promises.. I still have to consider if it’s worth revealing under my public pseudonym or to keep it between friends. I’m leaning more towards.. keeping it private with my friends. I rather enjoy my somehow online anonymously and the safety that it provides!

 

Thank you and I’ll see you next month, with Estrogen maybe!

 

 

 

PORTUGUÊS

 

Bom dia a todos! Uma boa Sexta-feira de feriado e fim de semana prolongado! A quarta actualização mensal já está aqui disponível, uma actualização um pouco diferente das outras.

Eu consumi o 120º Anti-androgéno no dia 13 de Abril, Quinta-feira. Estou a escrever este post desde Terça-feira, visto que eu trabalho durante a semana e estes posts demoram algum tempo a serem escritos e, especialmente, a serem traduzidos! Como disse, este mês vai ser um pouco diferente. A estrutura deste post vai conter uma nova secção que poderá ser adicionada em actualizações no futuro! O que quer dizer que este post poderá ser um pouquinho grande. O meu conselho para as pessoas que querem mesmo ler este post mas não tem tempo? Leiam nos transportes públicos, a caminho do trabalho ou a caminho de casa. De qualquer forma.. este mês vai incluir, por ordem: Mudanças físicas, Mudanças psicológicas, Notícias (relacionadas com o processo em si, o que virá, o que aconteceu, etc) e Últimas Palavras.

 

 

Mudanças físicas:

Provavelmente o aspecto onde houve poucas mudanças.

Nós sempre começamos por manter o peso sobre controle. Para manter a tradição, vou relembrar que, no mês passado, eu expressei preocupação visto que o meu peso manteve-se entre os 77-78 KG’s, e que eu iria tentar baixar esse peso para os 75 KG’s… permitem-me que corrija isso com esta actualização. O meu peso está agora entre os 72-73 KG’s, e continua a manifestar esses novos valores já por quase uma semana. Eu.. não sei como e que parte do meu corpo perdeu esse peso mas sim! Em um mês, perdi 5 KG’s.

Ainda se encontra dentro da média aceitável e saudável para uma mulher, por isso não estou preocupada. Infelizmente, muitas pessoas demonstraram preocupação com a minha perda de peso. Não precisam de se preocupar, vocês estão apenas a pensar dentro da média aceitável de um homem… e isso não é a forma que deviam estar a pensar, suas criaturas tontas. Vocês têm que pensar que eu agora tenho de ter, em muitos aspectos, os mesmos cuidados de saúde e de higiene que uma mulher. É esse o objectivo! O que vocês pensam que as hormonas fazem? A sério, por favor pensem bem antes de se preocuparem com aspectos que não fazem sentido, estou a tomar Anti-andrógenos e, dentro de breve, Estrogénio. Claro, a gordura não está a ir para a barriga, mas para as minhas ancas (& arredores)! Também perdi muito músculo, e os músculos pesam muito mais que a gordura! E não, não estou a comer menos ou mal. Eu tenho comido da mesma forma que já comia muito antes da minha transição, as porções correctas e espalhadas nas várias refeições ao longo do dia que ajudam a manter o peso. Portanto não, não estou a morrer de fome. Apenas estou a perder músculo e a gordura está a ser distribuída de forma diferente.

 

No que diz respeito a perda de músculo e redistribuição de gorduras, ouve poucas mudanças. Mesmo assim, eu tomei a liberdade de medir o meu formato de corpo de novo. Quer dizer, os meus ombros, ancas e cintura. Desta vez, pedi ajuda para medir os ombros, o que vai providenciar medidas mais precisas e um melhor cálculo das minhas proporções. Portanto vou partilhar as proporções actuais-depois-de-quatro-meses-ainda-sem-estrogénio:

  • Comparado com os meus ombros, as minhas ancas tem uma proporção actual aproximada de 0,96 (no mês passado era 0.93)
  • Comparado com os meus ombros, a minha cintura tem uma proporção actual aproximada de 0.75 (a mesma proporção que no mês passado… apesar da minha cintura ter ficado um pouco mais estreita, portanto ou os meus ombros encolheram ou os meus ombros foram medidos correctamente desta vez!)
  • Comparado com as minhas ancas, a minha cintura tem uma proporção actual aproximada de 0.78 (no mês passado era 0.81)

Por poucas palavras, já não preciso de me preocupar com o formato do meu corpo!

Eu estava preocupada, devido à largura dos meus ombros, que poderiam arruinar a minha silhueta. Não que os meus ombros sejam ridiculamente largos (na verdade, os meus ombros apenas são largos, dentro da normalidade), mas considerando a minha altura e comparando com a altura das outras mulheres que partilham a mesma nacionalidade que a minha (Portuguesa).. eu sou mais Alemã. O que ajuda é o facto de que a minha cintura tem uma medida proporcionalmente saudável em comparação com os meus ombros e ancas… e as minhas ancas são quase tão largas como os meus ombros (de novo, relembro que ainda não estou a consumir estrogénio). Portanto, se continuar a escolher as roupas certas para a minha silhueta (especialmente, manter em foco as medidas da minha cintura e das minhas ancas) e ter a certeza que tenho um penteado que me ajude (apesar de já ter descoberto o penteado correcto muito antes da minha transição, porque sou assim tão auto-consciente e uma visionária).. eu estarei mais que bem~

 

Para além destes aspectos, não existe muito mais que dizer. Eu ainda continuo a sentir que o meu peito e traseiro estão a ficar para trás em comparação com as outras mudanças. Claro, isto porque ainda não estou a consumir Estrogénio. Mesmo assim, mesmo sem essas mudanças no entretanto; eu ainda consigo “passar”, devido ao formato do meu corpo e cara.. desde que continue também a esforçar-me para manter uma boa aparência!

Por poucas palavras, pouco aconteceu em termos físicos. Ficarei à espera do Estrogénio..

 

 

Mudanças Psicológicas:

Em termos psicológicos, é difícil de saber se existiram muitas mudanças. Este mês tem consistido de muitos altos e baixos em termos emocionais, devido a uns poucos eventos na minha vida e também frustrações e stress que advém do processo em si! Sinto-me bem quando tomo nota das mudanças que ocorrem, felicidade. Mas isso não quer dizer que não existam obstáculos pelo meio, provocados por fontes exteriores e coisas que estão fora do meu controle.

Por mais de uma semana, eu senti apatia.. por nenhuma razão aparente. Não senti muita felicidade ou tristeza. Isso foi estranho para mim, visto que tenho estado mais em contacto com as minhas e emoções dos outros. Poderá ter sido pela mudança no clima, com a Primavera. Acontece, às vezes o meu humor é influenciado pela mudança de estação. Pode ser também devido à falta de feriados no meu país desde o mês de Janeiro, a falta de meios para exprimir a minha criatividade, o facto de que as minhas amizades (e eu) têm estado ocupadas e, logo, não temos passado o tempo juntas, etc. Se calhar pode ser devido às inseguranças que ainda existem, visto que o meu ego ainda oscila com facilidade entre o sentir auto-confiante com a minha aparência e o “oh não, alguém está a olhar para mim. Alguma coisa de errado comigo?! ELES SABEM!”. A sério, com o número de pessoas não cometidas que já elogiaram a minha aparência, é um mistério porque ainda entro em pânico quando alguém olha para mim nas ruas..

Mas eu estou bem agora, essa apatia sumiu-se no momento que chorei por “nenhuma razão aparente”!

 

Um outro aspecto que tenho notado ao longo destes meses, é a forma como as minha funções cognitivas tem se alterado de forma gradual.

Eu sei que algumas pessoas vão revirar os seus olhos quando eu dizer isto mas, como algumas pessoas sabem, eu gosto de jogar (video jogos). Sou geek, temos pena..  criaturas básicas com gostos banais que nem sabem a diferença entre geek e nerd! E é interessante como o meu tratamento tem influenciado a minha performance nesses jogos.

Tenho notado que, em jogos que pedem da parte dos jogadores para agir rapidamente e bem (ex. First-Person-Shooters), o meu performance tem sido bastante baixo em comparação com antes. Na verdade, esses jogos agora causam-me maiores níveis de frustração, mais do que providenciam com algum entretenimento. Deixei de gostar desses jogos de forma geral. De novo, faz sentido porque os meus instintos mudaram. Afinal de contas, eu fico com medo e entro em pânico com mais facilidade.. o que não ajuda em situações que exigem reacções rápidas e bem feitas.

Estranhamente, no que diz respeito a resolver puzzles (e isto não é algo restrito a uma única modalidade, mas para várias modalidades de jogos), eu também tenho notado que estou a ter uma melhor performance em puzzles que exigem de mim uma combinação de atenção/consciência das várias tarefas apresentadas ao mesmo tempo, conseguindo focalizar e resolver várias situações ao mesmo tempo sem deixar nada para trás. Em poucas palavras, Multi-tarefas! Eu tomei conta deste aspecto quando eu tentei jogar um jogo que já não jogava à um ano ou dois. Nunca fui capaz de completar o jogo de forma completa, porque os níveis se tornavam caóticos! Bem.. eu joguei e resolvi os puzzles sem perder nem uma vez. Senti que o jogo era fácil e isso fez eu sentir desapontada porque eu lembro-me de que o jogo era muito mais difícil. Depois de pensar bem no que isto poderia significar e se existiriam outras situações (reais) e provas que poderiam comprovar esse aspecto; eu cheguei à conclusão, no que diz respeito a multi-tarefas, que essas actividades já não produzem tanto stress como antes. No entanto, puzzles que contém um tempo limite, tornaram-se mais difíceis visto que, de novo, o pânico impede a minha habilidade de resolver problemas. Mas, se tiver uma boa noite de sono, puzzles a 2D tornam-se ainda mais fáceis.

Também já notei que, quando sinto-me mais emocionada ou apenas zangada com algo, eu já não consigo abstrair a minha mente desses problemas e continuar a jogar. A minha performance quando jogo depende muito do meu humor, o que é algo que não acontecia com muita facilidade. Se estiver a pensar em algo que me afecta a mim pessoalmente a nível emocional, eu agora tenho que desligar o jogo visto que sou incapaz de me distrair ou de fazer a actividade de forma correcta. E hoje em dia, é muito mais fácil encarar muitos dos eventos e situações como algo pessoal, logo emocional.

Em poucas palavras, algumas actividades se tornaram mais fáceis, enquanto que outras actividades são agora mais difíceis. Isto não devia surpreender ninguém, porque tenho deixado algumas alusões a tais mudanças quando escrevo estas actualizações. Mas achei que seria divertido e interessante partilhar esta informação de qualquer forma! Eu estava a evitar de partilhar esta informação até agora porque eu não gosto muito de falar dos meus interesses mais geeky com as minhas amizades com gostos e interesses mais “básicos”.. e essas amizades até lêem estes posts no meu blog! Não porque tenha vergonha dos meus interesses mas porque sinto mal pelo sofrimento de algumas dessas amizades estarem a ler algo que não compreendem~

 

Uma outra mudança, e esta é bastante importante, é o facto de.. eu ter sentido mais a necessidade de estar numa relação.

Sem estar a falar exaustivamente acerca da minha sexualidade, visto sentir que estas questões são muito mais privadas do que a partilha destas actualizações.. sim, não vale a pena perguntarem-me qual a razão, em comparação com tudo o resto que já partilhei. Antes deste mês, a minha sexualidade foi sempre um problema para mim, de imaginar-me com alguém. Porque não me sentia confortável comigo mesma e, logo, no meu subconsciente, esses pensamentos e necessidades nunca surgiram e foram expostas à superfície de forma legitima.

Apenas existiram duas pessoas na minha vida que estiveram perto de fazer-me sentir aquele amor e desejo de estar com. Talvez qualquer dia, eu terei a coragem de partilhar essas duas experiências. Mas, por agora, é importante tomar nota de que essas duas experiências nunca chegaram perto de se concretizar ou me fizeram genuinamente amar essas duas pessoas. Eu apenas amava a idea de estar num relacionamento, apesar de não sentir a necessidade e verdadeiro desejo de estar com essas duas pessoas.

Mas agora, visto estar a sentir-me cada vez mais confortável na minha própria pele e aparência (apesar das inseguranças óbvias), eu até percebo o porquê da minha mente estar agora finalmente a permitir-se a pensar nestas questões e de estar num relacionamento. Eu penso que a minha sexualidade não mudou, mas que apenas está a despertar-se e já não é algo distante e inactivo que tinha plena consciência mas que era incapaz de alcançar. Por isso é que sabia que gostava de homens, apenas.. não sentia muito por homens. Quer dizer, até agora. Está a acordar, devagar. Como também as necessidades e desejos que advêm disso!

De qualquer forma, é também importante levar em consideração de que eu apenas gosto de relações hetero.. no sentido pleno. Isso significa que existem coisas pelo qual tenho que completar neste processo antes de participar em “actividades muito específicas e coloridas”. Eu acho que não posso ser mais óbvia sem ser directa e eu sinceramente não quero ser tão directa num assunto tão privado para mim..

 

 

Notícias:

Durante este mês, eu cheguei à conclusão que, fisicamente falando, eu estou mais que pronta para obter um cartão de cidadão que reflecte o nome que escolhi para mim própria.

Como tal, tornou-se o meu actual objectivo de curto-alcance fazer as possíveis preparações necessárias para alterar esses dados no meu cartão de cidadão, de forma legal. Para reflectir o nome que escolhi e para o meu cartão de cidadão reflectir o meu género. Na verdade, é importante que faça isso o mais rápido possível! O meu corpo sofreu muitas mudanças drásticas desde Dezembro.

É verdade, eu ainda não me apresento actualmente como mulher todos os dias em público. Eu agora o faço pelo menos dois dias por semana, por enquanto. Devido às minhas inseguranças. Porque quero poupar dinheiro. Mas o que está a acontecer agora.. é que sinto mais hostilidade do público em geral quando estou vestida com roupa de homem do que quando estou vestida com roupa de mulher. Isto porque provavelmente, quando estou vestida com roupa de homem, existem aspectos que não consigo esconder (claro que também não quero esconder estas mudanças mas.. acho que vocês compreendem o que quero dizer). A situação tornou-se tão crítica que até já fui gritada recentemente (quando estava vestida com roupa de homem) por um homem num autocarro, chamada de “paneleiro”. E eu até tenho quase a certeza que eu vi duas adolescentes, num outro dia, a tentarem tirar umas fotos de mim (de novo, estava vestida com roupa de homem) enquanto partilhávamos o mesmo comboio. Eu tenho.. curvas demais para estar a vestir-me com roupas de homem. Apenas se vesti-se com roupas largas, eu poderia misturar-me com o público como homem. Mas isso nunca vai acontecer.. porque depois eu parecia um homem a tentar esconder um corpo anoréxico e frágil. É que nem pensar. Ou se calhar sou eu que já nem sei vestir-me como um homem sem sentir certa repugnância!

Mas eu tenho que ignorar as minhas poupanças e gastar uma boa porção de tempo (e dinheiro…) para expandir o meu armário. Entre outras coisas. Chegou a hora de preparar-me, de ser racional uma vez na vida e deixar esses medos para trás. De pensar que adquiro mais o estilo de atenção impróprio quando me visto com roupa de homem e, quando me visto com roupa de mulher, o que apenas tenho de suportar é alguns olhares e de alguns elogios feitos por algumas pessoas que me conhecem e de algumas pessoas aleatórias e não cometidas que aparecem do nada.

Está na altura de começar a vestir-me de acordo com a mulher que sou.. todos os dias. Eu tenho quase a certeza que vou ficar paranóica na maior parte dos dias, nas primeiras semanas. Mas é algo que eu quero e que tem de ser feito, ainda mais considerando que agora tenho de o fazer pela minha própria segurança.

 

Por falar em dinheiro, eu finalmente consegui falar com um cirurgião. Um bastante conhecido, visto que ele opera, na grande maioria das vezes, pessoas transsexuais. E não existem muitos desses cirurgiões no meu país. Existe apenas um que é de confiança, aquele pelo qual falei. Tomei conhecimento do preço.. e não posso mentir quando digo que o preço é alto. Alto o suficiente para me fazer reflectir de modo sério o como é que vou conseguir alcançar esse tipo de dinheiro! Obviamente, esta cirurgia é bastante importante para mim. Mas tem de ser feito debaixo da supervisão deste cirurgião, isto se quiser o fazer neste país.

É verdade, uma pessoa pode obter esta cirurgia debaixo do sistema nacional público de saúde. Mas, como qualquer pessoa transsexual neste país sabe, a lista de espera é muito grande e todas as pessoas estão a sugerir para evitar o sistema público (incluindo os meus médicos). Apenas poderia ser feito num hospital muito específico e as condições não são.. boas. Eu não vou fazer esta cirurgia importante e delicada num “beco”!

Portanto não. Eu tenho de pensar bem, em como é que vou conseguir fazer esta cirurgia. Como é que vou conseguir obter tanto dinheiro? Preciso de um “segundo trabalho”? Preciso de investir nos meus sonhos artísticos e de cruzar os meus dedos com esperança de que vou conseguir algum rendimento? Eu.. não sei!

…Eu não tenho escolha. Pela minha sanidade mental, eu tenho de deixar este problema grande e específico de lado e viver um dia de cada vez. Focalizar nos aspectos bons que a minha transição está a providenciar até agora e irá continuar a providenciar. Esperar que as condições alterem e que esperançosamente seja possível encontrar uma maneira de obter esta cirurgia. Se calhar.. quem sabe? O cirurgião disse que ia tentar baixar o preço e, se ele conseguir essa descida, o preço será muito mais tolerante para a minha carteira!

 

 

Últimas palavras:

Ouve muitos altos e baixos neste mês.

 

De forma geral, tenho sentido insegura. Incerta com respeito ao futuro. Paranóica com o olhar do público. O dinheiro que tenho de gastar no futuro próximo. O dinheiro que preciso de poupar, apesar de sentir que nunca vou conseguir alcançar essa quantia se continuar a fazer aquilo que tenho feito até agora. O processo todo e a falta de descanso, os fins de semana sem fazer nada de produtivo e apenas saciar a vontade de descansar. O facto de que não tenho gasto tempo com as pessoas que gosto já por algumas boas semanas. As consultas que tenho pelo menos uma vez por mês..

Mas também as alegrias que tenho sentido. Os elogios que tenho recebido. O sentir os primeiros indícios de desejos e paixões à medida que sinto mais confortável com o meu corpo. Estamos perto de Maio, o Estrogénio estará possivelmente disponível para mim dentro de breve. Novas mudanças pela frente, que serão aceites como a solução para a minha disforia! Saber que vou ficar ainda mais feminina com que estou actualmente, fisicamente e psicologicamente falando. Ser possível passar de forma plena, sem ter que preocupar com algum olhar que poderá ter descoberto o meu “segredo pecaminoso”. Ter a capacidade de pensar de forma ainda mais clara.

 

Eu.. ficarei bem. Isto é provavelmente a fase mais estranha que alguma vez tive e terei na minha transição. As mudanças bruscas entre o sentir que tudo está bem e que as coisas ficarão ainda melhores.. e o sentir que estou a enganar-me a mim própria enquanto que, na realidade, poderei ter um aspecto horrível e que é isso que as pessoas do público vêem quando olham para mim. A diferença entre o sentir confiante num momento e sentir o oposto uns segundos depois só porque alguém teve a ousadia de olhar para mim mais tempo do que devia, ou porque olhou pela segunda vez.

Mas eu tenho que deixar esses medos de parte. Como uma das minhas admiradoras secretas (que conhece-me desde criança) disse a outra pessoa enquanto não estava por perto para ouvir (mas que depois ouvi por uma outra pessoa de qualquer forma).. eu sou mais bonita como mulher do que como homem. Para quem conhece esta admiradora secreta, será que podem-lhe dizer que estou muito grata pelo comentário e que irei ter isso em mente a partir de agora.. visto que não podemos falar directamente cara a cara?! Testemunhas de Jeová, desassociada e tal. Ou podem apenas partilhar-lhe o link para este post de blog em privado ou sei lá. Não se preocupem, eu não digo a ninguém, eu gosto de manter a identidade dos meus fans Testemunhas de Jeová em segredo~ E se à coisa que sou boa a fazer.. é manter segredos.

 

Quando eu publicar a minha 5ª Actualização Mensal, eu estarei provavelmente a consumir a minha primeira ou segunda dose de Estrogénio.. errr.. medicação. Eu irei cruzar os meus dedos com esperança de que as minhas análises sanguíneas estarão bem. Eu vou tentar ganhar a confiança de que necessito para revelar uma foto ou duas. Umas fotos para manter em segurança, como lembrança do meu aspecto actual, sem Estrogénio e com apenas Anti-Androgéno. Não prometo nada.. eu ainda tenho que considerar se é boa idea revelar essas fotos debaixo do meu pseudónimo público ou manter essas fotos em privado apenas para as minhas amizades. Estou mais inclinada a.. manter essas fotos privadas entre as minhas amizades. Eu até gosto da minha anonimidade online e da segurança que isso providencia!

 

Obrigada e vejo-vos no o próximo mês, com Estrogénio provavelmente!

 

Pages:

[English and Portuguese] Transitioning – Third Month Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final)

  • 1st Month/ 1º Mês – Link
  • 2st Month/ 2º Mês – Link

 

ENGLISH

 

Hello everyone! The third monthly update is now available, though a late update!

I took my 90th Anti-Androgen on the 14th of March, Tuesday. So, technically, as I write this, I already took my 94th Anti-Androgen and will probably publish it on Sunday, on the 95th day. As I suspected on my second update, not much as changed. Though, as usual, there’s always one thing or another that changes or perfects itself. As tradition, first we’ll get physical. Second, emotional and psychological. Lastly, last thoughts and predictions.

 

 

Physical changes:

Again, my weight remains the same. Though, in these last few days, I feel like it has been more inclined to be between 77-78 KG’s. I’m going to work on that and get it back to the pleasant 75’s. Shouldn’t be that hard!

 

There has been more lost of muscle mass. I’ve noticed that much of that lost has been on my back and neck. You don’t really realize just how much muscle you had until the Testosterone is taken away. I’m genuinely surprised how much muscle I had and how much is just.. gone! That’s awesome! In contradiction, I continue to notice that the major focus of my fat has been still on my hips.

With less mass on my back and neck, a thinner waist and still a focus on my hips, I feel that my chest and bottom are lagging behind. But it is true that there has been some very slow and hardly noticeable changes on those two areas. I do feel that what is needed is some Estrogen to hasten up some of these changes.

In fact, I’ve took the liberty to measure my shoulders, hips and waist. While I won’t be revealing the values (I mean, why would I?), I guess I can share the current-after-three-months-no-estrogen ratio:

  • Compared to my shoulders, my hips are currently around 0.93
  • Compared to my shoulders, my waist is currently around 0.75
  • Compared to my hips, my waist is currently around 0.81

Overall, what I’ve noticed this month was my body trying to perfect the aspects that was already working on last month, with more focus on less muscle mass and redistributing fat on areas that needed more work.

 

I also do feel that my HRT is finally having more influence on my body hair. It’s true that I’m having laser sessions, as mentioned on the second month but, despise that, I have noticed that the growth has been slowing down drastically.. and thinning. I know this because I had to miss this month’s laser session unfortunately and still, somehow, there were changes regarding that aspect!

 

All in all, these changes during this month have been enough to the point that even the neighbors have started to notice! I’ve heard comments about me from conversations that weren’t done with me near but told about later from other sources that my body has become more feminine than even certain cis-women. “Her body is even more feminine than mine”, those kind of comments. Obviously, this flatters me immensely and has given me some confidence and even higher hopes for the future, regarding my HRT! In fact, it has given me some pride. I mean, I’m not even on Estrogen yet and it only has been 3 months. I have no idea what will happen ahead but if that’s what some people already talk about when I’m not around according to my sources.. hmm~

Anyway, it may sound vain but, from someone dealing with this predicament and finally having a chance to diminish the frustration from Gender Dysphoria; being highly insecure about your own body and appearance.. and hearing those things from the mouth of somehow strangers instead of a few friends that may or not just be telling you the things you want to hear and not the truth.. I’m sorry but I have every reason to glee! Deal with it, skeptics.

 

 

Psychological changes:

Ironically, this month has been the one that have given me less psychological and emotional changes thus far.

That initial emotional and psychological euphoria is gone, though the changes have obviously remained. I’m just less hyper aware about those changes, as they settled in my own psyche. I don’t think too much about these emotions anymore. Yeah, they’re there. I’m still just as sensitive as last month and so on. But I no longer actively think about the things I’m feeling or acting as something I didn’t do before the HRT.

In short, I’m already used to this and I’m waiting for the Estrogen. For the grand opening of yet another completely new wild ride on the emotional roller coaster.

 

However, that doesn’t mean that hasn’t been a few changes. Nothing ground breaking, but the fact that my primal instincts are changing and manifesting in rather fascinating ways. Though I admit.. I don’t think it’s fascinating when it happens on the moment.

Perhaps I need to be a little more specific, yet blunt and simplistic. For example, I get scared more easily. I panic more easily. When there’s an issue, it becomes harder to solve it on my own and it has become easier to ask for help. In fact, I’ve had very interesting interactions because of this that has made me chuckle later. Because, on the spot, I’m definitely not laughing!

An example would be the time when I was at work and was given a task to do while my co-workers were away. I was by myself, to do a series of small tasks on which some I’ve done in the past while other aspects were completely new. Despise the explanation given a few days before, even though I’ve written everything down to make sure I wouldn’t fail.. STILL, as I tried my best to follow the instructions, there was a piece of software that was not exactly.. collaborating with me when I was writing down the things I needed to in order to print later on. I didn’t know what was wrong with what I was doing, I followed what was told and even tried to reintroduce the information into the software. It wasn’t working! So I immediately called one of my co-workers to aid me with this problem. My co-worker was busy but she still aided me the best she could. “Have you tried X?”, “Have you done Y?” Yes and yes, to most of the things said. Until she asked “Have you pressed Enter?” Enter.. right.. I didn’t. That was the solution. Enter. How come I didn’t think of that? Seems quite obvious and I did felt dumb.

I wish I could say that was the only example.. but it wasn’t. It makes me wonder.. has it become easier to ask for aid than to solve some of these things that are actually simple? I do believe panic and asking for help has become the instinct that has overshadowed the ability to think during a moment of alarm and/or anxiety.

I will need more time to make sense of this new aspect of mine, since I’ve also noticed that my reflexes are starting to slow down.. since my instinct is now to gasp first and then react later. Doesn’t mean that my movements are slower, just that I first gasp for some reason when, before HRT, it was reflexes first, and then think later what just happened and how frightening it was.

Not that I’m unhappy with this change, I actually think it’s funny when I later think about these episodes! But I want to see how far is this instinct going to affect my daily life in the future.

 

And, lastly, more empathy. I’ve felt the need to make sure that the people I care about are well. And, when they are not, make sure that they’ll be fine. Or share their sorrow. Mostly, emotional support and sometimes even be worried if someone has eaten. The inability to even watch a surgery on TV or the internet. To feel concerned if someone exposes a wound in front of me, the need to be there and show that I care..

.. I needed this emotional change and I know it’s only going to expand later once I get some Estrogen. I know that this particular aspect it’s still in its infancy and still is only being exposed on very exclusive and selective moments.

 

 

Final Thoughts:

This has been a long month. And I don’t mean this as a not-so-clever remark to the delay of this post! It felt longer compared to the other two months. Perhaps because I got sick for a few days (not even a full week), given the clash between spring and winter at the moment and the sudden drops and rises in temperature from one day to another. I don’t know how my HRT is going to affect my allergy (rhinitis) during this spring but I don’t believe these affect each other at all. I could be wrong though, because this time, when I got sick during this month, I’ve felt a few side effects differently. So really, who knows?

 

I have no major predictions for next month. I believe that there won’t be major changes from now on.. until I start taking Estrogen on May. Mostly, I’m sure it will be more of the same, perfecting the changes already described on this and previous month updates.

If that’s the case, I’ll have to improvise something fun to keep the attention from those that read these update posts~

Thank you and I’ll see you next month!

 

 

 

PORTUGUÊS

 

Boa noite a todos! A terceira actualização mensal está aqui disponível, apesar de ser uma actualização tardia!

Eu consumi o 90º Anti-androgéno no dia 14 de Março, Terça-feira. Portanto, tecnicamente, ao escrever isto, eu já consumi o meu 94º Anti-Androgéno e vou provavelmente publicar este post no Domingo, no 95º dia. Como suspeitei na minha segunda actualização, muito não mudou. Mas, como hábito, existe sempre uma coisa ou outra que muda ou aperfeiçoa-se. Como tradição, iremos falar primeiro de aspectos físicos. Segundo, mudanças emocionais e psicológicas. Por último, últimos pensamentos e previsões.

 

 

Mudanças físicas:

De novo, o meu peso manteve-se. Apesar de, nestes últimos dias, eu tenha sentido que o meu peso esteja mais inclinado entre os 77 e os 78 KG’s. Vou ter que fazer algo com relação a isso e diminuir esse peso para os maravilhosos 75’s. Não deverá ser difícil!

 

Tem existido mais perda de massa muscular. Eu tenho notado que muito dessa perda tem sido localizada nas minhas costas e pescoço. Uma pessoa não nota mesmo a massa muscular que tinha até que a Testosterona é retirada. Estou genuinamente surpreendida com a quantidade que tinha antes e que agora.. desapareceu! Isso é maravilhoso! No lado oposto, eu continuo a notar que o maior foco da minha gordura tem continuado a ser as minhas ancas.

Com menos volume nas minhas costas e pescoço, uma cintura mais fina e ainda um grande foco nas minhas ancas, eu sinto que o meu peito e posterior estão a ficar para trás. Mas é verdade que tem existido algumas mudanças muito lentas e muito difíceis de detectar nessas duas áreas. Eu sinto que é realmente necessário o Estrogénio para acelerar essas mudanças.

De facto, eu tomei a liberdade de medir os meus ombros, ancas e cintura. Apesar de eu não revelar os valores (obviamente que não vou o fazer), eu penso que não haverá problema nenhum partilhar as proporções actuais-depois-de-apenas-três-meses-sem-estrogénio:

  • Comparado com os meus ombros, as minhas ancas tem uma proporção actual aproximada de 0,93
  • Comparado com os meus ombros, a minha cintura tem uma proporção actual aproximada de 0.75
  • Comparado com as minhas ancas, a minha cintura tem uma proporção actual aproximada de 0.81

De modo geral, tenho notado que, durante este mês, o meu corpo tem tentado aperfeiçoar os aspectos que já estavam em desenvolvimento durante o último mês, com um maior foco na perda da massa muscular e na redistribuição de gordura nas áreas que precisam de mais trabalho.

 

Eu também sinto que o meu tratamento hormonal está a ter alguma influência no pelo do corpo. É verdade que estou a ter sessões a laser, como mencionei no mês passado mas, apesar de tudo, eu tenho notado que o crescimento tem drasticamente ficado mais lento.. e a ficar mais fino. Eu sei disso porque eu tive que perder a sessão deste mês infelizmente e mesmo assim, por algum motivo, ouve mudanças no que diz respeito ao pelo!

 

Contudo, essas mudanças durante este mês tem sido suficientes até ao ponto de que os meus vizinhos tem começado a notar! Eu tenho ouvido comentários acerca de mim, vindas de conversas em que não estive presente mas que foram me ditas mais tarde, no que diz respeito ao meu corpo estar a tornar-se mais feminino que até mesmo algumas mulheres cisgéneras. “O corpo dela está mais feminino que o meu”, esse estilo de comentários. Obviamente, isto me agrada imensamente e tem me fornecido mais confiança e ainda uma maior esperança para o futuro, no que diz respeito ao meu tratamento hormonal! De facto, até me deu certo orgulho. Quer dizer, eu ainda nem estou a consumir Estrogénio e ainda só estamos no terceiro mês. Não sei o que irá acontecer no futuro mas se isto é o que algumas pessoas já comentam quando eu não estou presente, de acordo com as minhas fontes.. hmm~

Eu sei, isto pode estar a gerar alguma vaidade mas, vindo de uma pessoa que está a lidar com este predicamento e está finalmente a ter a oportunidade de diminuir a frustração vinda da Disforia de Género; sendo uma pessoa muito insegura no que diz respeito ao corpo e aparência.. e depois ouvir estas coisas de bocas de pessoas um pouco estranhas em vez de algumas amizades que o poderão estar a dizer estas coisas só para nos agradar e não porque é verdade.. Peço desculpa mas eu tenho todas as razões para ficar satisfeita! Temos pena, céticos.

 

 

Mudanças Psicológicas:

Ironicamente, este mês tem sido o que tem fornecido menos mudanças psicológicas e emocionais até agora.

Aquela euforia emocional e psicológica no inicio já passou, apesar das mudanças terem obviamente permanecido. Eu apenas estou menos hiper consciente no que diz respeito a essas mudanças, visto que essas já se estabeleceram dentro do meu psique. Eu não penso muito nessas emoções agora. Sim, claro, estão em mim na mesma. Estou tão sensível como no mês passado, entre outras coisas. Mas eu não estou activamente a pensar nas diferenças de comportamento e emoções entre o agora e antes do tratamento hormonal.

De forma resumida, eu já estou habituada e estou à espera do Estrogénio. Para a grande abertura de mais uma nova aventura louca na montanha russa de emoções.

 

Apesar de tudo, isto não significa que não tenha existido algumas mudanças. Nada de especial, mas apenas o facto de que os meus instintos primários estão a ser alterados e estão a manifestar-se de formas bastante fascinantes. Mas admito.. eu não sinto fascinada quando as coisas acontecem no momento.

É provável que tenha de ser mais específica, mas directa e simplista. Por exemplo, eu fico com medo com mais facilidade. Eu entro em pânico também com mais facilidade. Quando existe um problema, torna-se difícil de o resolver por mim própria e começou a ser mais fácil pedir ajuda. De facto, eu até já tive algumas interacções bastante interessantes por causa disso mesmo e que me fez rir mais tarde. Porque, nos momentos, eu não estou a rir!

Um exemplo será o dia em que estive no trabalho e foi-me dada uma tarefa para fazer enquanto que as minhas colegas de trabalho estavam fora. Eu estava sozinha, fazendo as tarefas que me foram incumbidas pelo qual algumas eu já tinha feito no passado enquanto que outras eram completamente novas. Apesar da explicação dada uns poucos dias atrás, apesar de eu ter anotado tudo para ter a certeza que não iria falhar.. MESMO ASSIM, quando tentei o meu melhor para seguir as instruções, existia um software que não estava exactamente.. a colaborar comigo quando eu estava a copiar as coisas que necessitava para imprimir mais tarde. Eu não sabia o que tinha feito de errado, eu segui tudo o que me foi dito e eu tentei seguir os passos de novo desde o princípio ao reintroduzir a mesma informação para o programa. Não estava a funcionar! Portanto eu imediatamente contactei uma das minhas colegas de trabalho para me ajudar com o meu problema. A minha colega estava ocupada mas mesmo assim ela ajudou-me no melhor que podia. “Já tentaste fazer X?”, “Já fizeste Y?” Sim e sim, para quase tudo o que foi dito. Até que ela perguntou “Carregas-te no Enter?” Enter.. claro.. não carreguei. Essa era a solução. Enter. Como é que eu não pensei nisso? Pareceu algo muito óbvio e eu senti-me uma idiota.

Gostaria de dizer que esse foi o único exemplo.. mas não foi. Faz-me pensar.. será que se tornou mais fácil pedir ajuda em vez de resolver algumas destas coisas que até são simples? Eu acredito que o pânico e o pedir ajuda se tornou o instinto que tem ofuscado a habilidade de pensar num evento de alarme e/ou ansiedade.

Eu ainda preciso de mais tempo para fazer sentido deste novo aspecto da minha pessoa, visto que eu também tenho notado que os meus reflexos têm-se lentificado.. visto que o meu instinto é agora é sobressaltar em primeiro lugar e depois reagir. Não significa que os meus movimentos estão mais lentos, apenas que primeiro tenho de sobressaltar por alguma razão enquanto que, antes do tratamento hormonal, primeiro eram os reflexos, depois é que pensava no que tinha acontecido e o quão assustador foi.

Não é que esteja infeliz com esta mudança, eu até acho piada quando penso nestes episódios mais tarde! Mas eu quero ver até quão longe estes instintos irão afectar a minha vida diária no futuro.

 

E, por último, mais empatia. Eu tenho sentido a necessidade de ter a certeza que as pessoas pelo qual me preocupo estão bem. E, quando não estão, ter a certeza que ficarão bem. Ou de partilhar o seu sofrimento. Principalmente, apoio emocional e até por vezes preocupar-me se as pessoas comeram. A incapacidade de ver uma cirurgia na TV ou na internet. De sentir-me preocupada quando alguém expõe uma ferida à minha frente, a vontade e necessidade de estar perto e demonstrar a minha preocupação para com a pessoa..

.. Eu precisava desta mudança emocional e eu sei que isto apenas continuará a expandir-se mais tarde assim que começar a consumir Estrogénio. Eu sei que este aspecto em particular ainda está na sua infância e que só é apenas demonstrado em momentos muito exclusivos e específicos.

 

 

 

Últimas palavras:

Este tem sido um mês longo. E eu não estou a dizer isso para fazer uma alusão não-muito-inteligente no que diz respeito ao meu atraso com esta actualização! Senti que foi um mês comprido em comparação com os outros dois meses. É provável que seja pelo facto de que fiquei doente por uns dias (nem chegou a fazer uma semana inteira), devido às mudanças drásticas entre a primavera e o inverno de momento e as descidas e subidas de temperatura repentinas de um dia para o outro. Eu não sei o quanto é que o meu tratamento hormonal vai afectar a minha alergia (rinite) durante esta primavera mas eu não penso que irá existir problemas. Eu poderei estar errada porque, desta vez, quando eu estive doente durante este mês, eu tenho sentido alguns dos efeitos secundários de maneira diferente. Portanto, sei lá?

 

Eu não tenho muitas previsões para o próximo mês. Eu acredito que não existirá mais mudanças radicais a partir daqui.. até que comece a consumir Estrogénio a partir de Maio. Apesar de tudo, eu tenho a certeza que irá ser mais ou menos a mesma coisa, aperfeiçoamento das coisas já descritas aqui e anteriormente nas outras actualizações mensais.

Se isso for o caso, irei ter que improvisar algo divertido para manter a atenção das pessoas que lêem estes posts de actualização~

Obrigada e vejo-vos no o próximo mês!

 

Pages:

[English and Portuguese] Transitioning – Second Month Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final)

  • 1st Month/ 1º Mês – Link

 

ENGLISH

 

It’s that time of the month and another blog post’s in the making!

When I made the first post about my HRT, I received some positive feedback. Which has given me enough reason to continue and make this a monthly update! Overall, people are curious as to how much HRT affects an MtF Transgender. Both psychologically and physically. I’ve also heard someone saying that these blog posts allow them to witness the differences between a man and a woman, personality wise. Though I somehow disagree with the way that sentence was presented to me, I can understand how someone would look at it that way… which is fine, I guess.

 

As I write this, it’s the 59th day, I’ve already taken the 59th Anti-Androgen. I had time, it’s weekend and I’m already writing a few things ahead to finish it tomorrow, on the 60th day and 60th Anti-Androgen. Most of the changes since last time were, to no surprise, psychological and emotional. And oh my, what changes! Physically, there’s little to say, though there is still a few things to point out. Perhaps, this time, I’ll write up the physical aspects first.. since it’s short and quicker!

 

 

Physical changes:

Physically, my weight remained the same after the sudden drop to 77 KG’s. There are some days that I have 76 KG’s. It seems that it settled between those two numbers, which is perfect for me, considering my height. Wouldn’t want it much lower or, worse, higher.

There has been some minor fat redistribution. I don’t know what exactly happened, if it’s the lost of muscle mass (since I’ve felt a little lost on my physical strength on a few minor trivial day to day activities.. such has opening doors) or just overall fat redistribution. I feel my waist has remained somehow the same but, on the other hand, my hips are the ones getting most of the fat nowadays. Honestly? If I was an average cisgender woman, I would definitely have a pear body shape. Since I’m not cisgendered, I think that, with time, I’ll reach an hourglass figure. Or, if not, something quite close to it. All I know is, when I eat, everything goes down to the hips rather than my waist/stomach!

Overall, despise the fact that I’m getting thinner on certain areas and rounder on others, I feel fatter! Though I’m sure that’s just how it’s supposed to be so I’m getting used to it. I feel my chest is also getting bigger on a rather subtle note? But it could be because, from my perspective, my waist is slightly thinner, which makes my chest area look bigger than before. I’m not really sure but something changed and has made it so that my chest looks a “liiiiil’bit bigger”.

My skin feels.. different also. Smoother. Less rough. It could be because of the laser sessions I’ve been having.. so it’s best not to assume things. There’s already been quite a few changes in a short period of time, which is fantastic!

Also, all the pains I’ve described on the first month? Yeah, those are gone. Maybe those were not related to my HRT and it was all a major coincidence.

 

 

Psychological changes:

This is perhaps where all the major changes have been happening thus far. I will be far more nuanced with my ardent exposure of those same changes.

Most of you simply have no idea how it feels, how fulfilling it feels! For my whole life, given my own predicament; my gender dysphoria has given me, mixed with my own natural outlook in life and own subconscious, a few personality issues. The feeling that you can’t reach a satisfying personality.. and you keep trying to reach a state of being where you are happy with who you are, emotionally and mentally. The feeling that you know exactly who you are, you know what you are capable, you know yourself too much.. but, for some reason, there’s something that stops you from reaching the same personality traits you know you have locked in somewhere in your heart and mind.

You are.. incomplete, unsatisfied. Frustrated. And now.. in mere two months of HRT, you finally gain access to those same things you knew you had within you. You are free. You.. are finally starting to be.. you! There’s less weight and you feel like you can finally experience the world that was around you the whole time. You can finally react, think, act.. the way you knew you always would if it weren’t for the bizarre chains that kept you down. The chains that didn’t allow you to express your true self. Freedom, laughter. You are now happier in general, even though you now cry far more. Nothing is holding back the tears and the emotions that you always felt. The invisible gag is no longer there, people will be able to hear you now. It feels.. soooo goooood!

 

It’s true, I’ve been crying more in general. Sure, more based on the less pleasant daily events that come and go.. but also happy tears! I’ve cried more in a week than the whole previous year (2016).. and I’m glad I can finally cry when the emotions are there. I’m not on estrogen yet but I believe that I’m going to be quite a crybaby once I get there.. which is fine. I already knew I had it within me.

 

Even my creativity has been affected by HRT. Though I wasn’t sure what was wrong with me given how I spent the entire month of January without knowing what to draw and, once finally deciding on what to draw, I’ve been failing to reproduce the art style that people have been familiar with… I now know why. Because my dreams are different. I no longer have the same dreams that I used to have, which is a big deal! Since creativity comes from dreams, from one’s imagination, perspective, understanding and mental state. If my dreams are different, among other things, then it’s no wonder that the artist that I once was is.. also gone!

I thought I was going to be sadder about losing a talent but I’m not! I think this will be a fine opportunity to take things slowly, find myself has an artist again and take the chance to change my art style.

My dreams are far less.. action based. Less violent. I used to wake up, thinking why was I dreaming such things. I didn’t enjoy most of my dreams. Those were abstract in nature, based on things that I wasn’t even sure. And the things I knew they were based of, I was disgusted with myself. The best nights spent where the ones I didn’t knew what I dreamed of, or dreaming about nostalgic encounters with people I once considered friends.

Now, my dreams are, has I said, less action based. Less violent. The transition (haaaaa!) between sleep and waking up is far smoother, even on those nights between work days where I sleep less and, therefore, wake up tired. No longer questionable dreams! Though I can’t exactly remember any dream in specific, I know that my dreams are now mostly based on social gatherings. Talking, imagining people that I know encountering with others. Sometimes confrontation and drama, which transpires a feeling of uncertainty and emergency. My dreams have been.. lovely. Calmer. I quite enjoy dreaming now, even when it’s not a lucid one. In fact, I haven’t had a lucid dream since I’ve started my HRT. Those where somehow more frequent before!

 

I’ve also been sharing and expressing more the things that I feel. I don’t exactly know what drives me to do so but part of me just lost the shame in informing people about a good number of things. That’s nice.. though I do worry if I’m oversharing when I tell people one thing or another. Oh well.. doesn’t matter. I’m happy either way.

 

There also has been a few changes in the way that I react towards people in general when I feel they are doing something wrong or bad in general towards me. Of course, as much some people don’t really enjoy hearing this, it ends up being true in my case. I’m more sensitive, words have more power now than they used to and those are capable of doing some damage.

I already knew that, I was always sensitive. Certain words, expressions and behaviors always wounded me one way or another. People, their personalities, their intentions. I was always someone who could easily read people’s personality and intentions like an open book. There’s very little that goes unnoticed with me, and I always hated people who think they can get away with so many things. They cannot, I’m well aware of most things that happen on my surroundings. Even when not looking, even when not told. The words not spoken, the things that are told instead. The tone of the voice, the childish behavior that some people have when they are trying to hide something from me. I always knew and felt those things… trust me. I never forget and I easily connect behaviors with events that seem unrelated, much like web of patterns. And it always been most people’s mistake for thinking that my overall passivity means that I’m oblivious. A fair mistake, given my overall perpetual saint/innocent-looking face and mannerisms, but it has never been the case.

Before, I would try to take a more logical approach and evaluate the situation. If it was not the first time the person had done such a thing and the person showed no remorse, though I no longer would hold any love for said person, I would consider to stay near and wait and see where things were heading if the person continued down that path. Out of amusement, or because I wanted to be near when the inevitable came and, perhaps, do something about it for a change. Or, if I really held no regard for the person after the things done and said (and didn’t really cared for the person’s “fate”), abandon them if possible. I never had issues doing that to people I don’t fully like. Or, if somehow, despise everything, they were still somehow useful for my own interests, keep them around until they are no longer useful. A fair deal, for those that abuse their luck when mistreating me.

But something changed. I’m less tolerant towards those that wound me. I can no longer hold the same mindset I used to. Though I still maintain the same ability, to read people’s personalities and intentions quite easily (even from those that think they are quite clever. Those tend to be the most amusing to deal with… /sarcasm), I can no longer remain quiet. Or, if I do remain quiet, I somehow transpire my disapproval or mood one way or another. Unable to conceal what I feel towards a situation, even in silence when the person is near. I just.. can’t fully conceal, hold it perfectly has I used to. No matter who that person is. There’s this irrational and emotional need to make sure they have at least a sample of what I’m feeling, even without the use of subtle choice of words.. or words at all!

For me, this is great. For people who often act carelessly towards me personally.. this is somehow bad news, depending how much they value my words and presence in their lives. Sucks for them.

 

Given these changes that I’ve listed, there is one last thing that I want to, urgently, remind the people that I deal with daily/in Real Life.

Whenever you are for or against my transition. Whenever you understand or not. Whenever you consider me a woman be treated like any other or not. It matters not what you believe or feel towards my transition. The truth is, this transition is happening quite fast. Specially on an emotional level. If you do deal with me on a regular basis, my suggestion is, if you do care, if you already don’t do so, to start realizing that the person you knew until a month or two ago.. it is quickly “dying”.

Much is changing and I’ve noticed that the approach that some people have towards me, that always had, it.. no longer works. Quite the opposite, I’ve felt that some people have become quite toxic. Not because they’ve changed, but because I did. I’m not saying that you should treat me that differently either, as a precious flower that will tumble if even a breeze tickles one of the petals. I’m not becoming that frail and it would be terrible if people were afraid to even make a simple darndest joke around me! But I’ve noticed that some people say or act in a way that I may disapprove of.. and notice that, right afterwards, they hold no form of empathy and expect me to laugh at whatever clever joke they came up with after the quite defined slap. In the past, I could play along, despise the offense. Now I can no longer do that. If you slapped me, unironically, don’t pretend it didn’t happen. Do not expect me to “brush it off”, to “take it and shush”. I won’t, it’s personal. And remember, I don’t forget. And I only forgive those who actually and genuinely feel remorse.

And yes, I know the difference between having a bad day and “lashing out” on the nearest person.. and a bitch. The former being mostly understandable if it’s a rare occasion, deserving of some care and exchange of compassionate words. The latter is unacceptable in any shape and form. There’s plenty of people in this world, there’s no need to spend too much time with people who aren’t compatible just to fill a fictitious quota. One good friend is better than hundreds of fools that have been mistaken has friends just for a false sense of prevention against loneliness.

And no, absolutely no one gets a free jail card out of this reminder. I hope I made myself clear…

Or you could call it a phase. It’s fairly possible that this could be a “tantrum” provoked by someone that entered a pseudo form of puberty. I wouldn’t bet on it though because I do feel stable, more than ever before.

As long you are genuine and honest, we’ll get along just perfectly. Lie and abuse me often for your own selfish interests, and I’ll be gone as soon as I can. Simple.

 

I could go on about a few other psychological changes. But I’m afraid those are too confidential and too many!

 

 

Final Thoughts:

Though I’m sure there are some people feeling quite awkward after those last few paragraphs, which I apologize but there are some people that needed to receive that urgent reminder (despise all the warnings I gave them before the HRT, since I was foreseeing these psychological changes a mile away.. and it’s amazing how there have been a small number of people that think they are above those warnings. They are not and they’ll realize it the hard away), I do hope that you have enjoyed and/or gained the knowledge you needed to have a better understanding on HRT.

 

On my own personal life with my family, it has been amazing as well! Noticing my parents becoming accepting towards my transition, learning that even my father is finally understanding where this is heading and what it means for him as a father.. also accepting it. Things with my parents are turning out better than I’ve ever imagined, given the religious believes that separate us! In fact, so well that the things I thought would be impossible and a mere dream.. are coming true and will most likely happen, as far as my relationship with my family goes.

Though I’ve waited so long to start my transition, I do believe it wasn’t without any sort of benefit at the end. This is the benefit, giving my family time to understand, to meditate on the predicament.. instead of rushing and not trying to accept some of the religious demands (that would never work) that they have imposed and failed. They needed evidence and an example, they needed to do their research. They needed to see how much I was suffering for not doing my transition, in a way that it wouldn’t be possible to doubt that this path is the best solution. Those things take time, but it all pays off at the end. Patience, understanding and some temporary compliance. Choosing the right words, self disciple, it can soften the hearts of even the most zealots. Though I wasn’t able to “revolutionize” a religious doctrine, I was still able to have my family at the end. And that’s better than any type of “revolution” or “rebellion” made out of anger, selfishness and lack of empathy towards those who think differently, against a society that “abandoned” them. :’)

 

I do not know what to expect in the next 30 days. There have been a lot of changes and I think the other more drastic changes will occur at a much later stage (at the beginning of the 4th-5th month). Then again, given how fast things have been changing in these last two months, I am fairly certain that my body is being quite receptive towards the treatment. Just embracing everything that the therapy can do to change! Not many transgenders get that privilege and I acknowledge that, despise all odds, I’m still incredibly lucky! The odds were low.. on a lot of things that could had happened. But I do feel that I’m transitioning well~

Thank you and I’ll see you next month!

 

 

 

PORTUGUÊS

 

Chegamos ao fim de mais um mês e, portanto, chegou a altura de um novo post no meu blog!

Quando fiz o primeiro post com respeito ao meu Tratamento Hormonal, eu recebi algum feedback positivo. O que me deu a mim razões suficientes para continuar e fazer uma segunda actualização para mais um mês! De forma geral, as pessoas estão curiosas dos efeitos de um Tratamento Hormonal no que diz respeito a Transsexuais MtF. Tanto em sentido psicológico como físico. Também ouvi da parte de alguém de que estes posts de blog permitem com que as pessoas tenham mais consciência das diferenças entre um homem e uma mulher, em termos de personalidade. Apesar de discordar pela forma como essa observação foi apresentada, eu sou capaz de compreender esse estilo de mentalidade da parte de algumas pessoas.. o que não me faz importância se é isso que as pessoas pensam.

 

Ao escrever isto, estou no 59º dia, já consumi o 59º Anti-andrógeno. Tive tempo, neste fim de semana e já estou a adiantar algum texto para completar depois amanhã, no 60º dia e 60º Anti-andrógeno. Muitas das mudanças desde a última vez foram, para surpresa de ninguém, psicológicas e emocionais. E que mudanças! Fisicamente, à pouco que dizer, apesar de existirem algumas mudanças que merecem alguma atenção. Desta vez, irei descrever as mudanças físicas primeiro.. visto serem poucas e mais fáceis de listar.

 

 

Mudanças físicas:

Fisicamente, o meu peso manteve-se após a perda até aos 77 KG’s. Tem existido alguns dias em que o peso desce para os 76 KG’s. Portanto, o peso tem se oscilado entre esses dois números, o que é perfeito para mim, considerando a minha altura. Não ficaria bem com menos ou, pior ainda, mais.

Tem existido alguma redistribuição de gordura. Eu não sei ao certo o que aconteceu, se é porque a minha massa muscular tem diminuído (visto que sinto que perdi alguma força física em algumas das funções mais triviais do dia a dia.. como, por exemplo, ao abrir portas) ou apenas redistribuição de gordura. Eu sinto que a minha cintura permaneceu mais estreita mas, por outro lado, as minhas ancas são as que tem recebido a maior parte da gordura hoje em dia. Para dizer a verdade? Se fosse cisgénera, eu teria um formato pêra… sem dúvida. Mas como não sou, penso que, com o tempo, irei chegar a um formato ampulheta. Ou, se não for o caso, algo bastante parecido com tal. Apenas sei que, quando como, tudo vai parar as ancas em vez da minha cintura/estômago!

De forma geral, apesar de estar a ficar mais magra em algumas áreas e noutras redonda, eu sinto gorda! Apesar de ter a certeza de que este sentimento é normal e apenas terei que me habituar a tal, pelo que não tem sido muito difícil. Eu sinto que o meu peito também tem ganhado algum volume, de uma forma mais subtil? Mas pode ser que seja, na minha perspectiva, devido à cintura estar mais estreita, que a área do meu peito esteja maior que antes. Não tenho muito a certeza mas algum está diferente e isso tem feito com que o meu peito se pareça “um pouquinho maior”.

A minha pele também.. parece diferente. Mais suave. Menos irregular. Pode ser que seja das minhas sessões a laser… portanto seria bom não assumir coisas. Já tem existido muitas mudanças em pouco tempo, o que é fantástico!

Também, todas aquelas dores que descrevi no primeiro mês? Sim, essas já passaram. Se calhar não tinha nada a ver com o Tratamento Hormonal, uma coincidência.

 

 

Mudanças Psicológicas:

Esta talvez seja a fonte das muitas mudanças que tem acontecido até agora. Irei descrever essas mudanças de forma mais detalhada e mais emotiva na minha exposição das mesmas.

Muitos de vocês nunca saberão o que é sentir o que eu sinto, o quão realizada eu sinto agora! Durante toda a minha vida, devido ao meu dilema; à minha disforia de género, juntamente com a minha própria forma de viver e meu subconsciente, o surgimento de problemas na minha própria personalidade. O sentir que uma pessoa não consegue alcançar uma personalidade satisfatória.. e o tentar alcançar um estado em que sente-se feliz por aquilo que somos, emocionalmente e mentalmente. O sentir que tu sabes exactamente quem és, daquilo que és capaz, o conheceres a ti mesma tão bem.. mas, por alguma razão, existe algo que não te permite alcançar esses mesmos aspectos da tua personalidade, que estão escondidos algures no teu coração e mente.

Tu sentes.. incompleta, insatisfeita. Frustrada. E agora.. em apenas dois meses de Tratamento Hormonal, tu finalmente tens acesso a muitas dessas mesmas coisas que sabias que tinhas dentro de ti. Estás mais livre. Tu.. finalmente estás a tornar-te.. tu! Existe menos peso e tu sentes que finalmente podes visualizar o mundo que estava à tua frente este tempo todo. Podes finalmente reagir, pensar, agir.. da forma que sabias que sempre farias se não fosse pelas correntes bizarras que sempre colocaram-te em baixo. As correntes que não te permitiam exprimir quem tu eras de verdade. A liberdade, as gargalhadas. Estás mais feliz de forma geral, mesmo apesar de chorares mais. Nada trava as lágrimas e emoções que tu sempre sentiste. A mordaça invisível já não se encontra lá, as pessoas vão te poder ouvir agora. Sabe… tãaaaooo beeeeeeeeeem!

 

É verdade, eu tenho chorado mais de forma geral. Óbvio, mais de tristeza com base nos eventos diários.. mas também lágrimas de alegria! Chorei mais numa semana que no ano de 2016 inteiro.. e estou grata de poder finalmente chorar quando as emoções estão lá. Ainda não estou a tomar estrogênio mas acredito que vou ser uma chorosa assim que chegar a esse ponto.. o que é bom. Eu já sabia que era assim bem lá no fundo.

 

Até mesmo a minha criatividade tem sido influenciada pelo Tratamento Hormonal. Apesar de não ter tido a certeza do que estava a passar-se de mal comigo durante o mês inteiro de Janeiro, devido a não saber o que desenhar e, assim que cheguei a uma decisão, não conseguir reproduzir o estilo de arte que as pessoas já conhecem bem.. eu agora sei porquê. Porque os meus sonhos são diferentes. Eu não sonho as mesmas coisas com que antes sonhava, o que é algo bastante significativo! Porque a criatividade vem dos sonhos, da imaginação, perspectiva, entendimento e estado mental. Se os meus sonhos são diferentes, entre outras coisas, então é óbvio que a artista que antes era.. já não existe!

Eu pensava que ficaria mais triste de perder um talento mas não estou! Eu acho que isto vai ser uma excelente oportunidade para descontrair, encontrar-me de novo como artista e aproveitar e fazer mudanças no meu estilo de arte.

Os meus sonhos tem menos.. acção. Menos violentos. Eu costumava acordar, pensando na razão de estar a sonhar tais coisas. Eu não gostava muito dos meus sonhos. Eram abstractos na sua forma natural, baseado em coisas que nem tinha a certeza. E as coisas que sabia, eu ficava com nojo de mim mesma. As melhores noites foram aquelas pelo qual não sabia o que tinha sonhado, ou sonhos nostálgicos com pessoas pelo qual considerava amigas.

Agora, os meus sonhos são, como disse, com menos acção. Menos violentes. A transição (haaaaa!) entre o dormir e o estar acordada é mais suave, mesmo naquelas noites mais difíceis entre dois dias de trabalho e pelo qual acordo cansada. Nunca mais tive sonhos questionáveis! Apesar de não saber exactamente com o que eu já sonhei em específico, eu sei que os meus sonhos são agora baseados em encontros sociais. Conversas, imaginando pessoas que conheço a encontrarem-se com outras. Ás vezes confrontação e drama, o que transmite um sentimento de incerteza e emergência. Os meus sonhos tem sido.. adoráveis. Calmos. Eu agora adoro sonhar, mesmo sem serem sonhos lúcidos. Para dizer a verdade, nunca mais tive um sonho lúcido desde que comecei o Tratamento Hormonal. Esses eram muito mais frequentes!

 

Eu também tenho partilhado e expressado mais no que diz respeito às coisas que sinto. Não sei exactamente a razão pelo qual me leva a fazer tal mas parte de mim perdeu a vergonha de informar as pessoas acerca de um bom número de coisas. Isso também é bom.. apesar de sentir que talvez esteja a partilhar demais quando digo uma coisa ou outra a certas pessoas. Bem.. não importa. Estou feliz de qualquer forma.

 

Também tem existido algumas mudanças na forma como reajo perante as pessoas de forma geral pelo qual sinto que estejam a fazer algo de errado ou mal contra mim. Claro, mesmo que existem pessoas que não gostam muito de ouvir isto, acaba por ser verdade no meu caso. Estou mais sensível, as palavras tem mais poder agora do que tinham antes e essas mesmas são capazes de causar algum dano.

Eu sempre soube disso, de que era sensível. Algumas palavras, expressões e comportamentos sempre me magoaram de uma forma ou outra. Pessoas, com as suas personalidades, suas intenções. Sempre soube ler as intenções e personalidade de uma pessoa como se fossem um livro aberto. Existe pouca coisa que passa por mim sem eu dar conta. Mesmo sem olhares, mesmo sem ser dito. As palavras não faladas, as coisas que são ditas em vez das que deviam ser. O tom da voz, o comportamento infantil de algumas pessoas quando tentam esconder algo de mim. Eu sempre soube e sempre senti essas coisas.. acreditem. Eu nunca me esqueço e eu tenho capacidade de facilmente fazer as ligações entre eventos e comportamentos que parecem não existirem, como uma teia de aranha com os seus padrões únicos. E foi sempre um erro grave das pessoas pensarem que a minha passividade de forma geral é sinónimo de desatenção. Um erro que até compreendo, devido à minha aparência e maneirismos inocentes, mas nunca foi o caso.

Antes, sempre adoptei uma posição mais lógica, avaliando a situação. Se não fosse a primeira vez que a pessoa tenha feito algo de errado e a pessoa não demonstra-se remorsos, apesar de já não ter amor pela mesma pessoa, eu iria considerar ficar por perto e esperar e ver onde as coisas iriam parar se a pessoa continua-se no mesmo caminho. Por pura curiosidade, ou porque eu queria ficar por perto e ver o inevitável e, talvez, fazer algo com respeito a isso. Ou, se eu mesmo não quisesse mais saber da pessoa depois das coisas ditas e feitas (e não quisesse saber da pessoa para absolutamente nada), abandonar-lhes quanto mais rápido possível. Nunca tive problemas em abandonar pessoas que não gosto completamente. Ou, por alguma razão, mesmo apesar de tudo o que está de errado com a pessoa, a pessoa ser ainda útil para os meus próprios interesses, mantê-la por perto até deixar de ser util. O que é completamente justo, para aqueles que abusam da sua sorte ao maltratarem-me vez após vez.

Mas algo mudou. Estou menos tolerante no que diz respeito às pessoas que maltratam-me. Já não sou capaz de manter a mesma mentalidade que tinha antes. Apesar de manter a mesma habilidade, de ler a personalidade e intenções de uma pessoa de forma fácil (mesmo aqueles que julgam ser espertos. Esses são tão engraçados de lidar… /sarcasmo), eu não consigo me manter calada. Ou, se conseguir manter-me calada, eu de uma forma ou outra demonstro a minha insatisfação ou humor. Incapaz de esconder o que sinto perante uma situação, mesmo em silêncio quando a pessoa está próxima. Não importa quem seja. Existe esta necessidade irracional e emocional que faz com que eu sinta que as pessoas em questão tem de receber uma amostra daquilo que eu sinto, mesmo sem o uso de palavras subtis.. ou sem qualquer palavra!

Para mim, isto é óptimo. Para as pessoas que agem de forma descuidada para comigo.. isto poderá ser más noticias, dependendo do quando a pessoa me valoriza. Temos pena, é o que é.

 

Devido a estas mudanças pelo qual descrevi, existe uma última coisa pelo qual eu quero, urgentemente, relembrar as pessoas pelo qual lido no dia a dia (na vida real).

Independentemente de seres a favor ou contra a minha transição. Independentemente se percebas ou não. Independentemente de me considerares uma mulher que deve ser tratada como qualquer outra ou não. Não importa o que possas crer ou sentir com respeito à minha transição. A verdade é, esta transição está a ocorrer de forma rápida. Especialmente a nível emocional. Se lidas comigo regularmente, a minha sugestão é, se quiseres saber, se é que já não tens isso em mente, seria bom que tivesses consciência plena de que a pessoa que conhecias à um mês ou dois atrás.. está a “morrer” rapidamente.

Muito está a ser alterado e eu sempre notei que a forma de algumas pessoas me tratarem, que sempre o fizeram da mesma forma, já… não funciona. Muito pelo contrário, eu sinto que algumas pessoas se tornaram uma companhia tóxica. Não porque mudaram, mas porque eu mudei. Também não estou a querer dizer que as pessoas têm de me tratar de uma forma bastante diferente, como se fosse uma flor que vai murchar logo que sentir uma brisa a fazer cócegas nas pétalas. Não estou a tornar-me numa pessoa assim tão sensível e seria terrível saber que as pessoas tem medo de fazer até mesmo uma piada inofensiva na minha presença! Mas tenho notado que algumas pessoas falam e agem de uma forma que eu não concordo.. e notar que, logo depois, essas pessoas não sentem qualquer forma de empatia e até têm a lata de pensar que eu tenho de rir de uma piada qualquer que criaram no momento após a chapada bem definida. No passado, eu ignorava mais a situação e aceitaria a piada após a ofensa. Agora não sou capaz de fazer isso. Se me magoaste, sem ironia, não finjas que isso não aconteceu. Não esperes que eu “ignore”, ou que “aceite e cale”. Não o farei, é pessoal. E lembrem-se, eu não esqueço. E eu apenas perdoo as pessoas que sentem remorso genuíno.

E sim, eu sei a diferença entre uma pessoa que está nos seus piores dias e está a “descarregar essa energia negativa” para a pessoa mais próxima.. e uma cabra. O primeiro caso sendo aceitável em muitos casos se for uma ocasião rara, merecendo alguma atenção e palavras ternas. O último caso, por outro lado, é completamente inaceitável. Existe muitas pessoas neste mundo, não existe necessidade de passar demasiado tempo com pessoas que não são compatíveis só para preencher um número fictício de amizades. Uma excelente amizade é melhor que centenas de idiotas que são chamados de amigos só para manter uma falsa sensação de prevenção contra a solidão.

E não, absolutamente ninguém é livre deste lembrete. Não posso ser mais explicita…

Ou poderão chamar a isto de uma fase. É bastante possível que tudo isto não é nada mais que uma “birra” provocada por alguém que entrou numa forma de puberdade. Eu não apostava nisso porque eu até sinto bastante estável, mais do que nunca.

Desde que sejas uma pessoa genuína e honesta, nós iremos nos entender perfeitamente. Sê mentirosa e abusiva para os teus próprios interesses, e eu desaparecerei o mais rapidamente possível. Simples.

 

Eu poderia continuar a descrever outras mudanças a nível psicológico. Mas receio que o que resta é demasiado e confidencial!

 

 

Últimas palavras:

Apesar de não duvidar que existam algumas pessoas que se sintam perturbadas depois daqueles últimos parágrafos, pelo qual peço perdão mas existem algumas pessoas que necessitavam de receber esse lembrete urgente (apesar de todos os avisos que forneci antes do Tratamento Hormonal, visto que já estava a prever estas mudanças a nível psicológico a um quilómetro de distância.. e é impressionante como tem existido um número bastante pequeno de pessoas que acham que estão acima destes avisos. Eles não estão e vão ser relembrados à força, quando for tarde demais), eu espero que tenham gostado e/ou tenham obtido mais conhecimento que necessitavam no que diz respeito ao Tratamento Hormonal.

 

Na minha vida pessoal com a minha família, as coisas tem estado lindamente também! Notar que os meus pais estão a aceitar a minha transição cada vez mais, tomar conhecimento de que o meu pai está finalmente a compreender onde isto irá terminar e o que isso significada para ele como pai.. também aceitando-me. As coisas estão melhores do que eu poderia alguma vez imaginar com respeito aos meus pais, apesar das crenças religiosas que nos separam! Aliás, tão bem que as coisas que pensava ser impossíveis e apenas um sonho.. estão a tornar-se realidade e poderá muito bem acontecer de forma plena, no que diz respeito ao meu relacionamento com a minha família.

Apesar de ter esperado tanto pela minha transição, eu acredito que não foi tudo em vão e sem benefício algum. Este foi o benefício, foi o tempo necessário para a minha família compreender, meditar no que diz respeito a este dilema.. em vez de apressar e não tentar aceitar algumas das exigências religiosas (que nunca iriam resultar de qualquer forma) que apliquei, sem os resultados positivos que esperavam. Eles precisavam de uma prova viva e um exemplo, eles precisavam de fazer a sua pesquisa. Eles precisavam de saber o quanto eu estava a sofrer por não fazer a transição, de forma a que não seria possível existir dúvidas algumas no caminho que escolhi para mim mesma, a melhor solução. Essas coisas levam o seu tempo, mas tem os seus resultados positivos. Paciência, entendimento e alguma humildade. Escolher as palavras certas, disciplina e auto controle, pode suavizar os corações até mesmo dos mais zelosos. Apesar de não ter criado uma “revolução” nesta doutrina religiosa específica, eu ainda fui capaz de ter uma família no fim. E isso é melhor do que qualquer estilo de “revolução” ou “rebelião” criada com ira, egoísmo e falta de empatia por aqueles que pensam de forma diferente, contra a sociedade que os “abandonou”. :’)

 

Eu não sei o que esperar nos próximos 30 dias. Tem existido muitas mudanças e eu acho que as mudanças mais drásticas irão ocorrer mais à frente no processo (talvez no princípio do 4º-5º mês). Também é verdade que, devido à quantidade de mudanças rápidas que tem ocorrido nestes últimos dois meses, estou confiante que o meu corpo está a ser bastante receptível a este tratamento. Abraçando todas as mudanças que a terapia pode fornecer! Nem todas as pessoas Transsexuais tem esse privilégio e eu tenho consciência disso, apesar de muita coisa que poderia ter corrido mal, eu tenho muita sorte! A probabilidade era baixa.. em muitos aspectos. Mas eu sinto estou a fazer uma excelente transição~

Obrigada e vejo-vos no o próximo mês!

 

Pages:

[English and Portuguese] Transitioning – First Month Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final. Não se habituem!)

 

ENGLISH

 

Yeah… I could easily make a Portuguese option for this website or make two separate blog posts, one for each language. But, to be completely fair, I believe both sides benefit from having these new blog series made this way. The people that can’t speak English may be curious enough to the point of not being lazy and learn to speak a language that is quite necessary for our daily lives. While those who can’t speak Portuguese may become fascinated by an entire different language and, who knows, broaden their horizons as well! Anyway, there are a few differences in the way I’ll express the message depending on which language I’ll be using. So it’s not a faithful translation.

The main reason I’ve decided to write on both languages this time is simple. This is a topic that concerns those I know in Real Life as well and there’s no better way than to write a blog post about it and share it with them. But do not get used to it! Online, I only speak one language. And that is English! So get learning, not because of what I write here in this corner but because you really need to learn how to speak, read and write in this language. The majority of the information found on the web is written in English and, as we know, it is important to keep informed about the topics that concern us.

Anyway.. enough justifications and rambling as to why I’m writing in both languages! Let’s get to the main topic at hand.

 

 

Wait, you started your transition (HRT)? How come I wasn’t informed?

Well, most people don’t pay too much attention to my twitter feed and I feel that this topic, though a very important step for me that brings me happiness and relief; is more personal and more of concern to those that actually have to deal with me in Real Life. I did share the news on my personal Facebook and when I was with those people face to face.

However, I did not made it public. I am now, because I think these updates is where it gets interesting for those that, for some reason, stumble on this blog and read about a Portuguese trans woman’s experience and perspective. And no. I’ve not been taking pictures of myself during this transition. Not even days before I started the therapy. There’s no need for that kind of exposure that, though a trend among transgender to start taking pictures and compile an image or slide show to expose the before and afters… it’s just not my thing. I’ll take a few random and rare pictures now and then but, when I start doing that, I’ll upload those on Instagram and then share once I’m confident enough to do so. For now, enjoy the drawings!

But yes, I started on the 15th of December.

 

What’s HRT?

Hormone Replacement Therapy. Seriously, this is not the blog post to ask those questions. I’ve wrote an entire blog post about the basics and my own view on the whole subject… HERE.

 

Okay so, you are taking hormones now?

Actually, for now, I’m taking Anti-androgens. In short, that pesky Testosterone is being dragged to the place that it belongs: Within the female range. Which means that all of those secondary male features are fainting away. It will take a good number of months, obviously but still, I’ve felt some of the effects already. We’ll talk about those! That’s the whole point of this new monthly blog update.

 

What about the estrogen?

According to my andrologist/endocrinologist, if everything works as intended, on the 11th of May. Obviously, I cannot wait for that day to come, 9 days after my 27th birthday! But still, I’m already quite glad and pleased with the Anti-androgens. I mean, it IS something already, even if half of what the HRT involves!

 

Alright alright. Enough with the side track questions! How is the process coming along, how have you been feeling, the changes!

Yes, now we get to the main point and the 1st month update!

I’ve started taking the anti-androgens on the 15th of December. Today it is the 14th of January. I’ve taken the 31st Cyproterone pill today. So yes, technically, it’s a anti-androgen and progestogen. Either way, though it has only been a month, I’ve already felt a few effects.

 

The first effect caught me by surprise. Because it was from the very first day to another! I thought it would take a little more than that but yes, I already knew it was the first major thing to happen. Decrease in libido and everything that one can imagine that is connected to that word and bodily reactions. I’ve always had a very low sexual desire so, when I started feeling the effects associated with that, I was more surprised by just how sudden, quick and effective it was. This is a good thing for me and all I can say is.. my mornings are much better now. Well.. minus the winter and the shock of getting out of bed and freezing.

And yes, I realize I’m leaving a lot of details related to that effect but I doubt anyone (that isn’t weird) is interested in knowing. Or in short, I just don’t want to go into details except mentioning it briefly and saying that it was a pleasant surprise.

 

The second effect is already starting to show, though it is creeping in slowly. And I’ve only started to notice since a week ago. These changes are related to my emotions and the way I now experience certain emotions.

At first, I thought it was just a natural reaction based on several events happening in my life. As in, for example, feeling that the Teaser I’ve made for my .Graveyard project didn’t had the type of response I was expecting. But once I’ve felt more sadness based on that event, I actually thought I was getting a depression because, honestly, that type of sadness is something that I’ve felt in the far past when I had one. It couldn’t be it.. it was just a video and the video was fine the way it is. A few flaws and yes, not the type of response I was expecting but it was not really world shattering. But it did demotivate me of doing anything remotely associated with art or even post on social medias. But, at the same time, on that very same day I felt that intense sadness, I’ve also laughed at something random that I thought it was funny. A few moments after that change of mood, I paused and thought to myself what just happened. What I saw was amusing and I would normally smile at best. Because it was amusing but it was not something completely absurd and motive to laugh out loud in the past. But I did. And I’ve notice that this is now a thing.

What I’m trying to say is that now, when it comes to the core and basic emotions and moods such as Sadness and Happiness, I now feel.. more of those. When I feel sad, I actually do feel quite sad. When I feel happy, I am actually laughing or doing more than just smile. Even if a temporary snicker.. and it doesn’t have to be THAT amusing or funny.

Of course, this is a slow process and these emotions have been intensified. And, with time, I’ll be sure to adapt to these because I know I’m not getting a depression. There’s no motive for such in my life at the moment. My emotions are expanding and intensifying. I love it, though it does have a darker side and I guess that’s why it’s usual for trans women to get into depression when taking these pills. I can see it happen though I am confident enough that I’ll be able to control myself.

 

Another effect that I’ve been feeling is weight lost. Though this is mostly a secondary effect because, honestly, it could had gone the other way. But, to have an idea, I’m 1,83’ish cm’s tall (I know, I’m tall and yes, I hate it but that’s life). When I started, I had 80 KG’s. I’ve checked two days ago, I have 77 KG’s now. I have been feeling, in general, thinner. If I start losing too much weight, I’ll have to eat more, though I am hesitant to do so.

 

And, lastly, another secondary effect that I’ve been feeling is some minor pains in some locations of the body. They remind me of those pains I used to have during puberty, growth pains. Those have mostly been found on my rib-cage or around it. I have no idea what this could mean or be associated with but, since it doesn’t happen all the time and the intensity is not always the same, I’ll refrain from using my imagination. Because it could just be that my organism is adapting to the decrease of T’s.

 

That’s still a few changes

Indeed and some of them I was expecting to take longer. But it seems my body and mind are cooperating with this medication. At least that’s what it seems.

 

Final thoughts

It only has been one month. And yes, I will try my best to create a blog post every month with updates about my transition. For now, until 11th May, it’s my body and mind reacting to the Cyproterone. So yeah! I’ll be expecting a little more of the samey in the next month. Though it’s not easy to know what will happen. Things have been evolving.. faster than I’ve imagined. Which isn’t bad. Quite the opposite but it does make it seem unpredictable.

So yeah! If you are interested in these types of blog posts, be sure to express it in a way that I’ll know! Either by liking or sharing on whatever social media you found this link. Else, it’s hard to know if there’s people that actually read these blog posts I make.

 

 

 

PORTUGUÊS

Sim, chegou a vez de falar para os meus queridos e queridas da minha terra. Não se habituem, gosto de escrever as coisas em Inglês para toda a gente do mundo entender.. em vez de apenas agradar as pessoas do meu país que, por alguma razão ou outra, não aprenderam ainda o Inglês. O que está aqui descrito, não é igual ao que está descrito em Inglês. Rica paciência traduzir tudo à letra! Meu site, minhas regras.

De qualquer forma, a única razão porque estou a abrir uma excepção neste caso é simples. A minha transição envolve algumas pessoas que convivo no dia a dia. E essas pessoas são, obviamente, Portuguesas. Por isso, estes posts de blog mensais irão conter ambas as línguas. Mas a sério, para quem não sabe Inglês, acho que estão a perder muita informação na internet (de forma geral) e um mundo muito mais vasto do que as coisinhas que os nossos canais nacionais fornecem. Claro, isto é a minha opinião. Opinião que já levou pelo menos uma pessoa ou duas a chamar-me de Marxista Cultural só por não ter aquele aquele orgulho típico pelo país que temos. A nossa gastronomia é boa, o nosso clima também. As praias são boas. Quando os campeonatos de futebol europeu ou internacionais dão na televisão, aí torno-me mais Portuguesa. Fora dessas coisas.. Portugal não me diz muito. Mas ser chamada de Marxista também é um exagero!

… De qualquer forma, estamos muito fora do tópico.

 

 

O quê, tu começas-te a tua transição (Tratamento Hormonal)? Como é que não fui informado(a)?

Se estás no meu Facebook pessoal, é porque não reparaste no post. Ou porque não nos vimos ao vivo. Se és uma pessoa que sabe Português e, por milagre, estás aqui.. .. bem.. pois. Seja bem vindo(a)! É um assunto pessoal e é natural que não esteja a gritar para o mundo inteiro com respeito a isto. Apesar de ser um passo que vai contribuir bastante para a minha felicidade e bem estar, claro que isto influencia apenas as pessoas que conheço e convivo com e mais ninguém.

Ironicamente, neste momento, estou a publicar para o mundo algo pessoal. Mas estou a fazer isto por algumas razões. Primeiro, porque é mais fácil de partilhar. Segundo, porque poderá ajudar algumas pessoas que estão a pensar dar os mesmos passos que os meus. E também poderá informar às outras pessoas que uma transição.. não é fácil nem é para toda a gente.

Não, não vou tirar fotos da minha transição. Eu sei que muitas pessoas transgêneros o fazem mas, com toda a honestidade, não sou muito fan dessas coisas. Poderei fazer upload de uma foto ou outra por acaso, raramente, no meu Instagram. Evidentemente, só partilharei o meu Instagram quando tiver mais confiante. Portanto, por agora, os meus desenhos existem!

Mas sim, comecei no dia 15 de Dezembro.

 

Tratamento Hormonal?

Sim. Mas este post de blog não é para responder a tais perguntas. Eu escrevi um post de blog inteiro que responde a algumas das perguntas mais básicas que uma pessoa poderá ter com respeito a este tópico. Está aqui… mas está em Inglês!

 

Portanto, estás a tomar hormonas?

Quer dizer, por enquanto, eu estou a tomar anti-andrógenos. Por poucas palavras, a testosterona está a ser informada que ela já não tem o papel principal neste teatro que é a minha vida. O que significa que todas aquelas características típicas masculinas secundárias estão a desaparecer aos poucos. Ainda irá demorar um bom número de meses, obviamente mas, apesar de tudo, eu já sinto alguns dos efeitos. E iremos falar desses efeitos aqui! Foi por isso que decidi criar esta categoria de blogs com actualizações mensais!

 

E o estrogênio?

De acordo com a minha médica de Andrologia/Endocrinologia, se tudo correr como previsto, no dia 11 de Maio. Obviamente, eu mal posso esperar por esse dia, 9 dias depois do meu 27º aniversário! Apesar de tudo, já estou muito feliz e agradecida de ter acesso a esta medicação. Porque significa que os dias estão contados e que, ao menos, já é metade do que está envolvido no Tratamento Hormonal!

 

Vamos direito ao assunto! Como é que está o processo, como tens sentido, que mudanças têm ocorrido?

Okay okay, de volta ao tópico com respeito a este primeiro mês!

Eu comecei a tomar anti-andrógenos no dia 15 de Dezembro. Hoje é dia 14 de Janeiro. Hoje tomei a 31ª Ciproterona, comprimido. Portanto sim, tecnicamente, é um anti-andrógeno e progesterona. De qualquer forma, apesar de ter passado apenas um mês, já sinto alguns dos seus efeitos.

 

O primeiro efeito apanhou-me de surpresa. Porque foi do primeiro dia para o segundo! Eu sabia que era a primeira coisa importante a acontecer mas nunca pensei que fosse tão repentino. Menos libido e tudo o que uma pessoa possa imaginar que esteja relacionado com essa palavra e funções corporais. Eu sempre fui uma pessoa com poucos desejos sexuais portanto, quando comecei a sentir esses efeitos associados com tal, fiquei mais surpreendida pela rapidez, eficácia e o quão repentino foi. Para mim isso é bom e o que posso mais dizer com relação a este assunto é que.. as minhas manhãs são muito melhores agora. Bem, sem contar com o sair da cama no meio deste inverno gelado.

E sim, eu sei que não estou a ser muito específica com os detalhes com respeito a este efeito mas eu duvido imenso que alguém (normal) esteja interessado em saber. Por poucas palavras, eu não quero falar deste assunto em detalhe, excepto informar que foi um efeito que aconteceu quase de imediato e que foi uma surpresa agradável.

 

O segundo efeito já se sente, apesar de lentamente. E eu apenas notei esse efeito na semana passada. Essas mudanças estão relacionadas com as minhas emoções e a forma como eu agora sinto essas mesmas emoções.

À primeira, eu pensei que fosse uma reacção natural com base nos vários eventos da minha vida. Como que se trata-se de emoções que fazem sentido existirem com relação ao que está a acontecer em vários departamentos da minha vida privada (e não só). Por exemplo, sentir que o Teaser que fiz para o meu projecto .Graveyard não teve a resposta que estava à espera. Mas quando senti mais tristeza com respeito a esse evento, eu senti que estava a entrar em depressão porque, para dizer a verdade, esse tipo de tristeza é algo que apenas senti num passado mais distante quando tinha depressão. Mas não fazia muito sentido, era apenas um vídeo e o vídeo não estava mal feito. Sim, tinha alguns defeitos e sim, não teve a resposta desejada mas nada que fosse motivo para tanta tristeza. Mas foi uma tristeza que fez-me perder a vontade de fazer qualquer estilo de desenho/arte ou até mesmo post nas redes sociais. Mas, ao mesmo tempo, naquele mesmo dia que senti essa tristeza, eu também ri por algo muito insignificante que tinha achado piada. Depois dessa mudança repentina de humor, eu parei e pensei para comigo mesma o que se tinha passado. O que tinha visto era divertido e eu normalmente sorriria, e não mais que isso. Porque foi divertido mas não era nada completamente absurdo e motivo para rir abertamente. Mas eu ri-me abertamente. E eu comecei a notar isso mais vezes. É um aspecto que agora faz parte de mim.

O que estou a tentar dizer é que, no que toca a sentimentos mais básicos e estados de humor como Tristeza e Alegria, eu agora sinto.. mais. Quando sinto triste, eu agora sinto mesmo triste. Quando sinto-me feliz, eu sou capaz de rir ou de fazer mais do que apenas sorrir. Mesmo que seja uma breve risadinha de um ou dois segundos… e nem tem de ser uma coisa com imensa piada!

Claro, este é um processo demorado e estas emoções estão a ser intensificadas. E, com o tempo, eu sei que vou conseguir adaptar-me porque eu sei que não estou a entrar em depressão. Não existe nenhum motivo para tal na minha vida neste momento. As minhas emoções estão a expandir e a intensificar. Eu adoro isto, mas também tem um lado mais sinistro e deve ser por isso que muitas Trans mulheres ficam com depressão quando tomam esta medicação. Eu consigo imaginar como mas estou confiante que vou ser capaz de controlar-me.

 

Um outro efeito que tenho sentido é perda de peso. Apesar de ser um efeito secundário porque, na verdade, poderia ter resultado no lado oposto. Mas, para terem uma idea, eu tenho 1,83 cm’s de altura (sim eu sei, sou alta e sim, odeio isso mas é a vida). Quando comecei o tratamento, tinha 80 KG’s. À dois dias atrás fui verificar de novo e reparei que tinha 77 KG’s. Eu tenho sentido, de forma geral, mais magra. Se começar a perder demasiado peso, vou ter que comer mais.. apesar de não gostar muito dessa idea.

 

E, por último, um outro efeito secundário é que tenho sentido algumas dores pequenas em algumas partes do corpo. Fazem relembrar-me daquelas dores que costumava sentir durante a puberdade, as dores de crescimento. Essas dores tem se verificado mais na minha caixa torácica e áreas próximas. Não faço a menor idea o que isso significa ou o que poderá estar associado com isso mas, visto que isso não acontece a toda a hora e a intensidade nunca é sempre a mesma, eu vou tentar não usar muito a minha imaginação. Porque poderá apenas ser o meu organismo a adaptar-se à quantidade menor de T’s.

 

Isso foram algumas mudanças

Exacto e estava à espera que algumas demorassem mais tempo. Mas parece que o meu corpo e mente estão a cooperar com esta medicação. Pelo o que parece.

 

Últimas palavras

Apenas passou um mês. E sim, Eu vou tentar o meu melhor para criar um post de blog destes todos os meses com noticias com respeito à minha transição. Por enquanto, até dia 11 de Maio, o meu corpo e a minha mente estão a reagir à Ciproterona. Portanto sim! Estou à espera as mudanças continuem à mesma velocidade e ritmo que tem acontecido até agora até ao próximo mês. Apesar de não ser fácil prever o que possa acontecer. As coisas têm evoluído.. mais rapidamente do que imaginei. O que não é mau. Pelo contrário, mas isso faz com que as mudanças sejam um pouco mais imprevisíveis.

Claro! Se estiverem interessados neste estilo de posts de blog, expressem essa vontade de maneira que eu saiba! Por partilharem, fazerem like na rede social que encontraram este link. Caso contrário, torna-se mais difícil de saber se as pessoas lêem estes posts de blog que faço.

Pages: