[English and Portuguese] Transitioning – Withdrawal Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final)

  • 1st Month/ 1º Mês – Link
  • 2nd Month/ 2º Mês – Link
  • 3rd Month/ 3º Mês – Link
  • 4th Month/ 4º Mês – Link
  • 5th Month/ 5º Mês – Link

 

ENGLISH

 

 

Hey.. and yes, you read it right. I’ve been forced to withdraw from my HRT. Temporary it seems. I don’t know anymore..

 

As I’ve mentioned on the earlier update, I had to stop my treatment for six weeks. Because there were values that were high, on the previous blood exam. Values related to the liver, that my doctor thought were a secondary effect from the Cyproterone that I was taking. During those six weeks, I was told to repeat the same blood test and to do an ultrasound on every area around the liver (including the liver itself).

 

The ultrasound came out and the results revealed a liver that appeared fine. However, it did revealed a 2cm stone on my gallbladder. My doctor assured me that the stone won’t be an issue, it’s not even really important to consider doing anything about it since it’s insignificant and it’s not causing any issues. To be honest, I don’t even care about the stone for now.. there are more important and dangerous things to take into account than a mere stone.

“Oh but a stone on the gallbladder is really bad! You should take care of–” Yeah yeah, whatever. I’m not concerned about it and neither is my doctor for now. Besides, it’s genetic, my mother had one exactly the same size. She doesn’t have a gallbladder nowadays, surgically removed (obviously).

 

The blood test that I repeated, however, revealed exactly the same values as the other one. Even though I’ve no longer have been taking my T-blockers for six weeks. Which means there’s something more sinister going on and the doctor has no idea what it is..

As such, this doctor (Endocrinologist) told me to arrange an appointment with a gastroenterologist. A magnetic resonance and another more extensive blood test will be needed as well. All is being arranged at the moment and my Endocrinologist tried to write my case as an emergency, in order to get the hospital moving faster and scheduling things without too much delay.

Not because I’m in danger at the moment (or so it appears since everything is the same after six weeks.. as far as blood values go), nor because I feel any sort of pain or effects from those values. In fact, my values aren’t high enough to suggest a form of toxicity or an hepatite. They assured that those values needed to be much higher and evolving, with side effects, for that to be the case. I feel no pain around the liver (just.. rib cage now and then and I’m sure it’s not about the liver, but because I’m without my T-blockers and I’m stressed), no nausea, no lack of appetite, my digestive system is working fine as far as I’m aware, no physical weakness, no yellowness anywhere.

However, it has become important for me to not consume any sort of medication in the time being unless strictly necessary for my life/health. Since doing so could compromise the liver at this point. To keep an healthy diet as if I were sick. To not go around drinking tea from herbs that “pseudo-intellectual new age medicine fans” assure me it’s going to help “100% garante” because they heard it from a morning TV show or because their neighbor (or themselves) took and it “totally worked”. This is not the time to play “guinea pig” with my health..

 

Anyway, yes. All of this, in short, means that there is something going on with my liver that isn’t related to the HRT, I have an irrelevant stone on my gallbladder that nobody cares for now (because it’s genetic anyway) and.. I can’t continue my HRT until this is solved (whatever it is).

Great…!

 

 

.. Now this is the time I get highly melancholic, start to whine and complain about life being unfair.. and start to make passive aggressive and witty swipes towards people in my life in general. Because nobody is perfect and this is how I’m able to keep my sanity and self preserve my ego, by pointing out how certain people are just.. scummy sometimes.

I’m aware this mentality isn’t exactly helpful to those who are trying to be nice.. but I don’t need people who need to try in order to be nice. I need nice people, not people that need to make an effort to be nice. Which is why I may seem ungrateful at times towards even those who are “just trying to help”, biting the hands of those that feed me. Because my life isn’t lacking on people who are trying. My life lacks people who actually genuinely want, those who truly are, that don’t make efforts but simply.. it is in their nature and true desire to be with me in this messed up emotional roller coaster filled with twists and turns that nobody asked for but still, it is what life as given.

If you are not the type of person that appreciates the type of posts that expose the things mentioned earlier.. then I advice you to leave this blog post now, because it’s going to be a ramble like no other.

 

 

Does anyone know how it feels to live with a constant disforia through out your life, unable to relate to most people and live a life where people just don’t seem to be able to relate to you either? To know early on that you’ll never have children of your own? That you’ll never be able to get pregnant and be a mother? That the desire is there but it will never be fulfilled?

Does anyone know how it feels to be born in a religious cult, being told that the world is a horrible place with horrible people, being fed lies about the existence of a god that loves you but is highly judgmental and punishes anyone who steps out of the line? Being told that all the problems will magically disappear after an apocalyptic prophecy comes to life and god creates a paradise? That you’ll get to live forever, eternal happiness without pain and tears? Having to deal with the religious zealots, judging every step and breath? The constant need to better oneself, always renewing your personality because you are a dirty sinner? Being perfect or closest to perfect?

Does anyone know how it feels to be bullied in school? Because of your own religion, because you are different than everyone else? Being mocked everyday by boys and girls and even physically attacked by the hands of testosterone filled brain dead morons? Not only within school but also outside of it, graffiti on the walls that mock you and your family that have never been cleansed from the walls of your own neighborhood even to this today when you’re 27 years old?

Does anyone know how it feels to be in a religious cult, which was told to be the purest sanctuary from all the evil in this world and still even within those walls.. being mocked by those of your own generation? Being cast aside by them because you stood in the way of their own petty almost-political schemes to reach the invisible throne, to raise within the ranks of their own theocracy? Being a child of a father that held certain prestige with the religious, the spotlight on your own face and family, to dance the music being played and being used as an emotional tool to make themselves feel as if they were good and charismatic for the privileged? Pat on the head like a dog when the owner is near, kicked off the streets like a mongrel when no longer useful?

Does anyone know how it feels to be a woman, being treated as a man, taught to be one and having your every word.. emotion and action being automatically taken as if what a man said, felt or did? Being told that you are too complex and complicated to be understood by anyone and to give up on trying to find someone to relate to? To create all these barriers and loops, filters and walls around your own psyche because you hated the effects that puberty gave to your mind and you knew very well that those aspects weren’t really what you were deep down? Hating your own body and what it became of it? Being thrown sand in the eyes and told that you look great when you know very darn well that you could had looked much better and beautiful? Having people wanting to take pictures with you and you having to regret every moment you spent with them in the first place?

Does anyone know how it feels that, pathetically, the only salvation for your loneliness, discomfort and frustration is.. spending time with strangers on the internet? To feel that only strangers on the internet, who ironically are in general more social inept than your average person, are the only ones that can actually provide you a slight resemblance of a social life because pretty much everyone around you in reality are insensitive and uncaring self centered and pretentious fools?

Does anyone know how it feels to finally come to terms with your disforia, finally deciding to open your mouth and tell those around you about it? Does anyone know how it feels to be treated unfairly by the religious because of it? To be told to keep it quiet and pretend that there’s nothing wrong? That all you needed to do was to keep smiling and keep renewing your personality to make the pain go away until god waved his hand to solve all the problems in the world? To finally gain the courage to do your own research, be informed and to walk your path? That the only way to solve your issue is to be ostracized by (truly) literally everyone in the cult you grew up in? To lose all your “friends” and contacts from that cult and be forced to live in a world that you were told is evil and lacks morals by.. yourself?

Does anyone knows how it feels that, in order to get the treatment that will make your life better, you need to be examined by two entire different teams of doctors, public healthcare, and that it’s going to take ages to get access to those treatments? The need to find a job, despise your disforia, having to deal with people who will never understand you for most of the day? That, through words and actions, will make you feel that you are different at any given opportunity? The confliction in your mind when you are not sure if people support you or they are using you to virtue signal or to patronize for their own ego because that’s exactly what people did to you in your formal cult, given that their words of encouragement contradict their own actions and behaviors towards you? As if the same hand that gives you crumbled bread is also the same hand that slaps you when you are least expecting?

… and then, finally… you see the gate being unlocked, the very same gate you were waiting for. To be opened, allowing you to walk in…

Does anyone know the feeling to finally watching the body that you hated.. turning out to be what you wanted since the very beginning? The freedom that it gives? The empowerment, the confidence rising to an all time high? Noticing your mind changing, finally having the true freedom of breaking those walls, twists and turns and to be yourself because the effects of Testosterone are gone from your psyche?

Ahh, the freedom of just saying what goes on your mind and heart.. it felt soo good. Witnessing the body changing little by little but pleasantly. Having people that knew you since the very beginning awing at your appearance and personality, finally getting to know you for who you are. The thrill that it gave when finally.. it wasn’t you that was getting jealous of others.. but the other way around. Of people easily identifying you in public, treating and addressing you correctly.. instinctively! The weight being lifted from your shoulders, from all those years.. nothing but sunshine and rainbows.

… but then.. everything is taken away from you once again. Just when you were having fun and planning for the future.

Does anyone know how it feels to work hard for something, to suffer so much after so long.. you get to taste the freedom and the reward, you know it exists, you knew you were right, all felt well and so true.. just for all to be taken away that easily?

… All because of your GODDAMN liver?! 

 

The liver?! REALLY? Is this how it ends? After everything that I’ve suffered to get where I am, after being able to enter the other side of the gate, when I was enjoying life for the very first time.. the liver, out of everything, is the thing that gets in the way now?

The liver, out of anything, is the thing that may take my happiness away. That will take away my physical appearance, that I was yearning for, and was only going to get better. That’ll revert my mood and psychological changes to an earlier point in time.

I.. just can’t believe it. All I can do is look and remember what I had back in May as I try to crawl back to where I was while I’m being dragged on the mud, back to the gate! Because my liver is sick for some yet unknown reason and it isn’t even because of the treatment!

And yes! I am aware that is all most likely temporary. But that’s not the point, is it? The point is that I already had a taste of what freedom felt and it felt good! I already know how it feels like, people already knew how it looked like. This is a twisted yet cruel joke!

It is as if teasing someone that is hungry and thirsty in the middle of the desert with brunch; you give them a slice of plain bread as a taste of what is yet to come and then, suddenly, you take it all away and tell them that they need to starve a while longer because the eggs used to make the omelettes were rotten! Yes, it is that frustrating.. and the only “words of wisdom” that you get from those around you is “there will be better days, stay positive”, like an pre-recorded announcement on a train station that informs you that the train is half an hour late and that they apologize for the inconvenience… Given my track record, the omelettes will be thrown to the garbage, new ones will be made but, for some reason, they are out of eggs and need to wait for more eggs to be sold in some shady supermarket, the supermarket is still waiting for the provider to deliver them because oh dear oh my the chickens died in some tragic accident and now they need to wait for the new generation of chicks to grow and lay more eggs! And all you can say is that you don’t even care about the omelettes or the eggs or the supermarket or the provider.. you just want something to eat and drink..

 

 

Beauty is pain, isn’t it? I know I’ve mentioned that in the previous update but truly, people who have suffered so much are the ones that end up with such a beautiful soul and personality. But suffer too much and your heart will grow cold and distant. There’s a thin line between beauty and the hole that one calls insanity. People have limits to what they can endure in life without giving up on it entirely. I can say that, at this point as I write this, I’m balancing myself on a rope. For now, it is worth living because hope hasn’t been completely lost. I know that because I had a good opportunity to experience life just the way I’ve imagined. Though more needed to happen, it was still quite good, sooooo so fantastic and wonderful..

.. I need to hold onto that memory.

Because I can’t really trust anyone to give me the hope and emotional support that I need right now. Not even my psychologist I believe. Ever since I’ve told these news to some of the people on my life, all they did was spout cookie cutter one liner basic support. “Live one day at a time”, “Look at the bright side”, “What are you talking about, you still look great”, “Oh, it doesn’t really matter. You were always Sapphire, Sapphire was within you all along” (no shit)… … ugh. I’m aware people are trying to help, trying to be nice. But at this point, I don’t need people trying to be nice and helpful by using cliche phrases taken from within fortune cookies. I need actual help and support. I’m.. tired of the sand being thrown to my eyes, of people trying to trick me into believing that there’s nothing to worry about or that I should just try and ignore everything until everything’s back to normal.

 

Tell me, does anyone know the feeling when you are crying and you have people trying to encourage you.. and you close your eyes, despise the fact that you have people physically next to you or in your front.. you feel as if everyone is a mile away and you are all alone despise the voices being close to you? That is how I feel when I reach a state of despair rather than the familiar frustration. That it doesn’t matter if you have people that say that they love you and want the best of you, their heart and mind is still far, absent and/or distant. This is, for me, the feeling of loneliness. That you have no one that truly.. loves the real you. That even though people will claim that they love you, it is simply untrue since what they love is not who you are but what they believe to be you. That they do not look for your interest but they project their ideas and what believe to be the right thing for you rather than what you truly desire.

I do not need a sandstorm to cover what I can clearly see on a mirror, what I can feel on my mind. The effects of what I was already trying to get rid of.

No… What I need is a hug from someone that is bigger than me, strong yet with a warm heart. To make me feel that I’m not alone when I close my eyes and my whimpers turn into sobs. The physical contact that is missing soo much, that people avoided doing so during my life. A mere kind gesture on the shoulder or arm, from a friendly face. The heat of blood from another human, the odor. The touch that is missing and has made me apathetic, that turned my gentle heart to stone. The voice that comes from another heart and not the mind, that speaks honesty and tells me that “life is hard, you and I have suffered so much. We don’t know what is yet to come but we will survive, together.”

… But what I ask is too much, isn’t it? I’ve heard it from some people in the last few years. That even these mere gestures are too much to ask. That it is hard for me to find those type of people, because I’m that complicated and different from the rest of the world. Fuck all of you that have said such a thing to me, from the bottom of my heart.. I’m not even trying to be spiteful, I truly feel hatred right now for the people who have said that to me in the past. Because those people say such horrible things when they are near me, to “try and be nice”; turn their backs, forget that I exist and then go around posting on social media with their friends, carrying plastic smiles and drinks in hands; making it seem they have fulfilling lives surrounded with their friends.

I’m just a toy, aren’t I? A toy created for others to show their “kindness” and then abandoned and cast aside. A freak that nobody could possibly understand, undeserving of basic human interaction and warmth. I’m.. tired of being everyone’s prized dog that you just prepare a fancy little bow on the head when you walk outside for me to do my business and for your cute facebook pictures, then once the picture is taken, it is time to return home while the owners walk outside and to do what “humans do when they don’t have their dogs around”. Spending most of the day worrying and wondering when the owners will get home.. if ever. Only with a bowl filled with ration and another with water. And once the owners arrive home, frustrated from their lives, I become glad that I’m not alone anymore.. only to be kicked aside because the owners are no longer interested in taking pictures of you for their social medias. And when I bark, I get ignored. And when I bite, I get told that I’m ungrateful and hateful because the owners AT LEAST gave me ration and water.

 

Some of you people have no heart, it is clear to me. Social parasites and fleas, I truly feel sorry that you were taught with poor manners and truly privileged to the point you have no idea what pain feels like and feel the need to chuckle or laugh when I say that I want to hide myself in a cave because of these more recent events. I’m not joking, someone actually chuckled every time I have said that in these last few weeks and I’m left wondering if the person is just completely devoid of empathy or just isn’t aware of how painful this is. Long live the bourgeoisie, that weep for puppies and kittens on social medias but is completely devoid of kindness for those right next to them!

Yes, because nothing needs to be said more when you hear people say that they “support” me and they still think it is completely appropriate to say that they are on their period and how I’ll never get to experience that. OH my, can you feel me scream internally by the fact that one of my “supporters” is being helpful when they remind me I’ll never have children of my own? And how about that time that one of my “supporters” thought it would be funny to make a crude joke about my family jewels? Can you feel the love in the air? Because, after so long, I can either conclude that some of my “supporters” are either sociopaths or just incredibly petty.

 

… And yes, I’m aware that some of those “supporters” are going to read this eventually. I don’t care at this point, I haven’t revealed their identities anyway to “the public” so they can lower their pitchforks and ignore everything, as usual. Nor do I intend to, unless they decide to make a fool out of themselves in “public” over it. It’s okay, you can ignore it at will and wait for me to upload a photo of me on Facebook because then, finally, you’ll be able to put a “like” and show your “support”!

 

 

Hmhm.. either way, it is time to think about what to do in the meantime, while I slowly die inside as I wait to find out what is wrong with my liver.

 

There isn’t much I can do except to wait. Things will slowly revert in the next few months, since these things take some time. They are already slowly reverting, no need to throw sand and tell me that I still look great. Bitch, I had much better days and I have the potential to look even better once I (hopefully) resume my HRT.

What I can do, however, is avoid my body from altering too much now that it is at the full mercy of the Testosterone once again. As far as my hips and waist go.. I always had, even prior to transitioning, some form of curve (even though I’m already not on a perfect 0.75 ratio… I miss that so much..). I’ll have to deal with a more rectangular yet lean body shape.

To maintain my lean figure, I’ll have to eat less and not allow my muscles and fat to develop and redistribute. If I don’t eat a lot, hopefully, my muscles won’t be able to develop much at all. As far as fat goes, as long as I eat “enough”, the body won’t be able to deliver that fat on unwanted areas. I also need to drink plenty of water to get rid of the unwanted garbage in my system, which should be easy because it’s summer so, there won’t be a lack of need to drink.

The rib cage and back are going to be my main issue because, as I became highly aware with HRT and now from this ongoing withdraw, it is amazingly… err.. versatile, depending on the hormones in my system. This is going to be the main factor that will allow me to “pass” or not in society. This is not an easy feat, to prevent it from swelling too much or at a much lower rate. My only self admitting pseudo and dumb misinformed solution for this particular predicament is, besides the diet, to keep my bras tight as possible. I know I know… sounds silly but I really do not know what else I can do and this seems to be more based on wishful faith thinking. At least it will make me feel better than I’m trying and my bras aren’t being ripped apart anyway thus far. Please don’t convince me that this won’t work, let me believe that it does somehow!

On the positive side of things, I don’t really need to worry about my face or arms/hands. My hands and face were always feminine prior to HRT. That won’t change even with Testosterone. If it didn’t influenced that much during puberty, it sure as hell won’t now.. r-right? Right.. It may change my facial expressions by a little.. but, as I said, I always had a somehow pretty feminine face anyway. The face will never be an issue when it comes to “passing”. And my hands never caused me any form of dysphoria, they are one of my most “prized possessions”. My secret? Wearing tight watches around my wrists during childhood, plenty of video games and avoid heavy lifting as much as you can! What? It worked, didn’t it? I hope that same logic can apply to my rib cage and bras..

 

Besides those and depending on how much things will change.. I -will- give everyone a warning though, to those that have read thus far. The moment that I feel that I no longer “pass” in society given the physical changes… it will be the day that I will stop stepping my foot outside my house unless to deal with the things that need to be done in order to get my HRT back on the right direction.

This is non-negotiable. I’m aware that I have a job and the money is quite needed.. but I simply cannot, for the sake of my sanity, walk outside and.. hmm. I can’t. I’m sorry but I can’t! It’s not healthy. No. Just.. no. The least I want is to walk outside again and have people address me as a man again. If anyone thinks that unavoidably has to happen in the meantime because I need a job.. then rest assured that I know I need a job.. I need money. But I also need to live, I need my sanity and I don’t want to put my mental health into jeopardy just because I need money. And once I find out that I’ve reached a state on which people will look at me and think I’m a crossdresser.. then it is time to hide from the public eye.

Please stop telling me how to feel and how to act. I’m serious when I say that I would had to abandon my job if I had to in order to preserve. Don’t pretend now, after years of telling me that I’m hard and impossible to be understood, that you now got the right answers for me. I got this far not because I listened to every suggestion thrown at me, but because I know myself too well for my own sake and know what is best for me.

Anyway, if that time comes, I’m sure I can work it out with my co-workers and find a way to work at home in the meantime (a stranger online suggested me this recently. It’s a great idea!). The internet exists, my home PC is better than the one at work so, in a way, maybe work will go even faster here than in the office! I’m aware that I can’t do everything here as I would in the office but, at least, it would be better than to produce nothing and earn nothing..

 

 

As such, I’ll conclude this loooong blog post by informing everyone that I’ll keep everyone updated over at Twitter and my (public) Facebook Page. Yes, I’m aware that I post a lot of things on my twitter and public facebook page that not many people like or enjoy. Too bad.. because I’m seriously not a fan of Facebook by itself and I avoid talking a lot on my personal Facebook.  Any major news will require new blog posts and, as such, I believe that it will be only relevant to create one of these major updates once I learn what is wrong with my liver.

 

And before I say goodbye, I’ll share one last selfie (that I took on last Friday).. until I get my hormones back and I look presentable again. Thank you for reading and if you think I’ve been unfair in some way or another.. then I hope you at least understand why I am saying the things that I am instead of getting selfish and act on self defense of your own ego and self interest. Yeah.. I know that I’m an hypocrite. So are you, so it’s fine~

 

 

 

PORTUGUÊS

 

Olá… e sim, vocês leram bem. Fui forçada a retirar-me do Tratamento Hormonal. Por algum tempo, pelo que parece. Já nem sei bem ao certo..

 

Como mencionei na actualização anterior, eu tive que parar com o meu tratamento por seis semanas. Porque existiram valores que estavam altos, na colheita de sangue anterior. Valores relacionados com o fígado, que a minha médica pensou ser um efeito secundário da Ciproterona que estava a consumir. Durante essas seis semanas, foi-me dito para repetir as mesmas análises ao sangue e para fazer uma ecografia em toda a área à volta do fígado (incluindo o fígado em si).

 

A ecografia foi feita e revelou que o fígado tinha bom aspecto em geral. No entanto, revelou uma pedra de 2cm na vesícula. A minha médica assegurou-me que a pedra não iria ser problema, que não era algo muito importante para ser levado em conta visto ser algo insignificante e que não está a causar problema nenhum. Para ser sincera, eu também nem estou preocupada com a pedra de momento.. existem coisas mais importantes e perigosas que precisam de mais atenção que uma mera pedra.

“Oh mas uma pedra na vesícula é muito mau! Devias de tomar conta di–” Sim sim, não importa. Não estou preocupada com isso, nem a minha médica de momento. Aliás, é genético, a minha mãe teve uma exactamente do mesmo tamanho. Ela nem tem vesícula hoje em dia, removido cirurgicamente (óbvio).

 

A análise ao sangue que repeti, por outro lado, revelou exactamente os mesmos valores que outrora. Mesmo apesar de ter deixado de consumir os meus bloqueadores de Testosterona já por seis semanas. O que significa que existe algo mais sinistro a acontecer e que a médica não sabe o que poderá ser..

Como tal, esta médica (Endócrinologista) pediu-me para marcar uma consulta com um Gastroenterologista. Uma ressonância magnética e uma outra colheita ao sangue mais extensiva também irão ser necessários. Tudo está a ser planeado de momento e a minha Endócrinologista tentou deixar uma nota de como o meu caso deve ser tratado como uma emergência, para fazer com que o hospital se mexa mais rapidamente e marque estes exames e consultas sem muita perda de tempo.

Não porque esteja em perigo de momento (ou pelo menos é o que parece visto que tudo se manteve após seis semanas.. no diz respeito aos valores no sangue), nem porque sinta algum sintoma de dor ou efeitos associados a esses valores. Na verdade, os valores não estão altos os suficientes para sugerir alguma toxicidade ou hepatite. Eles asseguraram que esses valores necessitavam de ser mais altos e em evolução, com efeitos secundários, para isso ser o caso. Não sinto dores perto do fígado (apenas.. na caixa toráxica de vez em quanto e tenho a certeza que não é devido ao fígado, mas porque estou sem os bloqueadores de Testosterona e estou stressada), sem náuseas , sem falta de apetite, o meu sistema digestivo está a funcionar bem por aquilo que posso presenciar, nenhuma fraqueza física, nada está amarelado.

No entanto, tornou-se importante para mim não consumir nenhum tipo de medicamento por enquanto a não ser que seja de extrema importância para a minha saúde/vida. Porque fazê-lo poderá agravar algo no fígado neste momento. Para manter uma dieta saudável como se estivesse doente. Para não beber chás de ervas exóticas que as pessoas “pseudo-intelectuais que são fans das medicinas alternativas” que prometem que vai ajudar “garantidamente 100%” porque ouviram falar dessas folhinhas mágicas num programa de televisão de manhã ou porque o vizinho do prédio ao lado experimentou e “funcionou automaticamente”. Esta não é a altura de brincar com a minha saúde e fazer de “cobaia”..

 

De qualquer forma, sim. Tudo isto, em poucas palavras, significa que existe algo a acontecer no meu fígado que nada está relacionado com o Tratamento Hormonal, que tenho uma pedra na vesícula que ninguém quer saber por agora (porque é genético de qualquer forma) e.. não posso continuar com o meu Tratamento Hormonal até que tudo esteja resolvido (seja o que for).

Fantástico…!

 

 

.. Agora está na altura de eu ficar extremamente melancólica, começar a choramingar e a queixar da minha vida ser injusta.. e de começar a ser passivamente agressiva e com humor audacioso contra algumas pessoas da minha vida em geral. Porque ninguém é perfeito e isto é a minha forma de manter a minha sanidade e de preservar o meu ego, por apontar o óbvio de que algumas pessoas são mesmo.. reles por vezes.

Tenho consciência de que esta mentalidade não ajuda muito a obter a aprovação das pessoas que estão a tentar ser simpáticas.. mas eu não preciso daqueles que precisam de tentar para ser simpáticos. Eu preciso de pessoas simpáticas, não de pessoas que precisam de fazer um esforço para parecerem simpáticas. Por isso é que posso parecer ingrata por vezes mesmo contra as pessoas que estão “a tentar ajudar-me”, mordendo as mãos daqueles que me alimentam. Porque o que não falta na minha vida são pessoas que tentam. O que a minha vida tem falta é de pessoas que querem ajudar-me genuinamente, aqueles que são verdadeiramente, que não fazem esforço mas que apenas.. faz parte do seu ser e autêntico desejo de quererem estar comigo nesta montanha russa emocional horrorosa cheia de reviravoltas e curvas que ninguém pediu mas mesmo assim, é o que a vida me deu.

Se não és do estilo de pessoa que aprecia este estilo de posts que expõe as coisas mencionadas antes.. então aconselho-o a fechar esta janela agora, porque vai ser uma divagação como nunca outrora.

 

Alguém sabe o que é viver uma vida de constante disforia ao longo da vida inteira, sem ter direito a relacionar-se com as outras pessoas e viver uma vida onde as pessoas também não sabem relacionar-se contigo? Saber desde cedo que tu nunca irás ter filhos? Que nunca ficarás grávida e nunca serás mãe? Que o instinto e desejo está lá mas nunca irá ser realizado?

Alguém sabe o que é nascer dentro de um culto religioso, ser dita que o mundo é um lugar horrível com pessoas horríveis, ser alimentada com mentiras acerca da existência de um deus que nos ama mas que julga brutalmente e repreende qualquer pessoa que não caminhe exactamente na única linha de pensamento correcto? Ser dita que todos os problemas irão magicamente desaparecer depois do comprimento de uma profecia apocalíptica e da criação de um paraíso? Que poderás viver para sempre, felicidade eterna sem dor nem lágrimas? Ter que lidar com os religiosos zelosos, que julgam todo o passo e fôlego? A necessidade constante de aperfeiçoar-nos, sempre a renovar a nossa personalidade porque és uma pecadora? Tentar ser perfeita o máximo possível?

Alguém sabe o que é ser vitima de bullying na escola? Devido à tua própria religião, porque és diferente de todas as outras pessoas? Ser gozada todos os dias por rapazes e raparigas e até mesmo ser fisicamente atacada por idiotas cegos de testosterona? Não apenas na escola mas como também fora dela, graffiti nas paredes que fazem pouco de ti e da tua família que nunca foram retiradas do teu próprio bairro até ao dia de hoje mesmo quando tens 27 anos de idade?

Alguém sabe o que é estar num culto religioso, que te fez crer que era o santuário mais puro de todo o mal neste mundo e mesmo dentro daquelas paredes.. ser tratada mal por aqueles da tua própria geração? Ser posta de lado por eles porque tu “estavas na frente” e travavas os planos políticos internos e patéticos para eles chegarem ao trono invisível, para eles subirem o seu cargo e privilégio dentro de uma teocracia corrupta? Ser criança de um pai que tem algum prestígio com os religiosos, o foco na tua própria cara e na tua família, dançando a música que tocava e ser usada como uma arma emocional para os outros sentirem que eles eram bons e carismáticos e terem aprovação dos privilegiados? Festinhas da cabeça como uma cadela quando os donos estão por perto, posta de lado e ignorada como uma aberração quando já não era necessário a simpatia?

Alguém sabe o que é ser uma mulher, ser tratada como um homem, ensinada a ser tal e todas as tuas palavras.. emoções e acções serem automaticamente explicadas e raciocinadas do ponto de vista do que um homem disse, sentiu ou fez? Ser dita que és complexa e complicada demais para ser entendida seja lá por quem for e para desistir de encontrar alguém que o possa? O criar todas as barreiras e armadilhas, filtros e paredes à volta do teu ser porque odiavas os efeitos que a puberdade estava a criar na tua mente, sabendo bem que esses aspectos nunca te pertenceram e não eram o que tu verdadeiramente eras no fundo? Odiar o teu próprio corpo e o que este se tornou? Ser jogada areia nos olhos e dita que tu tinhas boa aparência quando tu sabias muito bem que poderias ter um aspecto muito melhor e bela? Ter pessoas a quererem tirar fotos contigo e fazendo tu ficares arrependida de todos os momentos que estiveste com essas pessoas?

Alguém sabe o que é sentir que, pateticamente, a tua única salvação para a tua solidão, desconforto e frustração é.. gastar tempo com pessoas estranhas na internet? O sentir que apenas os estranhos na internet, que ironicamente até são mais ineptos socialmente de forma geral em comparação com outras pessoas, são aqueles que podem providenciar com algo semelhante a uma vida social porque praticamente toda a gente à tua volta na vida real são insensíveis e despreocupadas e apenas pensam no seu próprio umbigo como idiotas pretensiosos que são no fundo?

Alguém sabe o que é finalmente aceitar a tua disforia, finalmente decidir abrir a boca para falar acerca disso com aqueles que são mais próximos? Alguém sabe o que é ser tratada de forma injusta pelos religiosos por causa disso? Ser dita que devias manter-te calada e fingir que estava tudo bem? Que tudo o que tinhas de fazer era sorrir e continuar a renovar a tua personalidade para fazer a dor ir embora até o dia que deus decida usar a sua varinha mágica para resolver todos os problemas do mundo? Finalmente ganhando a coragem para fazeres a tua própria pesquisa, seres informada e criares o teu próprio caminho? Que a única maneira de resolver os teus problemas é ser posta de parte por (verdade) todas as pessoas do culto onde cresceste? Perdendo todas as tuas “amizades” e contactos dentro do culto e ser forçada a viver no mundo onde disseram ser mau e com falta de morais.. sozinha?

Alguém sabe o que é sentir que, para obteres direito ao tratamento que vai fazer a tua vida melhor, precisas de ser examina por duas equipas totalmente diferentes, sistema de saúde público, e que vai demorar anos até teres acesso a esses mesmos tratamentos? O procurar um trabalho, apesar da tua disforia, ter que lidar com pessoas que nunca te irão compreender durante quase um dia inteiro? Que, através de palavras ou acções, vão querer fazer-te sentir diferente sempre que poderem? O conflito na tua mente quando não tens a certeza se as pessoas querem o teu bem ou se elas estão a usar-te para demonstrar que são boas pessoas ou para serem condescendentes para alimentar os seus próprios egos porque isso é exactamente o que fizerem no culto que pertencias, visto que as palavras de encorajamento contradizem as suas acções e comportamentos para contigo? Como que a mão que te fornece migalhas de pão é a mesma mão que te dá estalada quando tu não estás preparada?

… e depois, finalmente… tu vês a fechadura do portão a ser aberta, o mesmo portão que esperaste durante muito tempo. Agora aberto, para poderes entrar…

Alguém sabe o que é ver o corpo que odiavas.. a transformar naquilo que sempre quiseste desde o inicio? A liberdade que isso providência? O fortalecimento, a confiança a subir para algo como nunca antes sentido? Notar as alterações na tua mente, finalmente ter a verdadeira liberdade de destruir aquelas paredes, vidros e labirintos para seres tu mesma porque os efeitos da Testosterona estão longe do teu ser?

Ahh, a liberdade de simplesmente dizer aquilo que vai na alma.. sabe tão bem. Presenciar as alterações no corpo pouco a pouco mas de forma agradável. Ter as pessoas que sempre te conheceram desde o princípio ficarem impressionadas com a tua aparência e personalidade, finalmente terem a oportunidade de te conhecer por aquilo que verdadeiramente és. A emoção que senti quando finalmente.. já não és tu a teres inveja das outras.. mas elas terem inveja de ti. As pessoas facilmente te identificarem no público, tratando e falando contigo de forma correcta.. instintiva! O peso a ser levantado dos ombros, durante todos aqueles anos.. apenas raios de sol e arco-íris.

… mas depois.. tudo é retirada de ti de novo. Mesmo quando já estavas a divertir-te e a planear o teu futuro.

Alguém sabe o que é trabalhar arduamente para algo, depois de sofrer ao longo de tanto tempo.. o teres provado a liberdade e a recompensa, saberes que existe, saberes que tinhas razão, tudo bem e verdade.. apenas para tudo ser roubado de ti tão facilmente?

… Tudo por causa do RAIO do fígado?! 

 

O Fígado?! A SÉRIO? É assim que tudo acaba? Depois de tudo o que já tinha sofrido para chegar a esta etapa da minha vida, depois de entrar para o outro lado do portão, quando eu estava a aproveitar a vida pela primeira vez.. o fígado, de tudo, é aquilo que vai manter-se no meu caminho agora?

O fígado, de tudo, é a coisa que pode retirar a minha felicidade. Que vai retirar a minha aparência física, o que eu sempre quiz, e que iria continuar a melhorar. Que vai reverter o meu humor e mudanças psicológicas para um passado não muito longe.

Eu.. nem consigo acreditar. Tudo o que posso fazer é olhar e relembrar o que tive no passado em Maio enquanto tento rastejar com unhas e dentes para onde estava enquanto sou arrastada pela lama, de volta para o portão! Porque o meu fígado está doente por um motivo ainda desconhecido que nem é devido ao tratamento em si!

E sim! Tenho consciência que é bem provável que seja algo temporário. Mas isso não é o problema, não é verdade? O problema é que já sei o que é sentir essa liberdade tão maravilhosa! Eu sei o que é senti-la, as pessoas já sabiam o que era presenciar essa liberdade. Isto é uma piada cruel e macabra!

Isto é como ser provocada, quando se tem fome e sede no meio de um deserto, por um lanche; é te dada uma fatia de pão simples para provares o que vem adiante e depois, do nada, é retirado tudo e dizem-te que tens de passar fome só mais um bocadinho porque os ovos que foram usados para fazer a omelete estavam estragados! Sim, é muito frustrante.. e as únicas “palavras sábias” que tu recebes das pessoas à tua volta é “vai haver dias melhores, mantém-te positiva”, como se fosse uma gravação feita para anunciar que o comboio vai chegar meia hora mais tarde e que pedem desculpa pela inconveniência… Considerando a minha sorte até agora, as omeletes vão ser deitadas para o lixo, novas irão ser preparadas mas, por alguma razão, estão sem ovos e vão precisar de esperar que um supermercado obscuro ainda os venda, o supermercado ainda está à espera do fornecedor que venha trazer os ovos porque oh meu deus as galinhas morreram num acidente trágico e agora temos que esperar que uma geração inteira de pintainhos cresça e deita ovos! Depois ainda a carrinha com os ovos fica sem gasolina a meio do caminho porque esqueceram-se de o fazer, os ovos chegam ainda mais tarde que o previsto do atraso anterior, o chefe esquece do dinheiro em casa para comprar os ovos e volta atrás para buscar a carteira e agora sim.. toma a tua omelete e já vais com sorte! E tudo o que dizes é que tu nem queres saber das omeletes nem dos ovos ou do supermercado ou do fornecedor.. tu apenas queres algo para comer e beber..

 

 

A beleza é criada com muita dor, não é? Eu sei que fiz menção disso na actualização anterior mas é verdade, as pessoas que sofreram muito são aquelas que têm uma alma e personalidade tão bela e atraente. Mas se sofreres demasiado, o teu coração ficará frio e distante. Existe uma linha muito estreita entre a beleza e a cova que chamamos de insanidade. As pessoas tem limites no que podem suportar na pele ao longo da vida sem desistir dela por completo. Eu posso dizer que, neste momento enquanto escrevo, eu estou a balançar-me numa corda. Por enquanto, vale a pena viver porque a esperança ainda não desapareceu por completo. Eu sei disto porque eu já tive a oportunidade de viver a vida tal como imaginei. Apesar de muito mais ainda ser necessário, ainda foi muito bom, apenas fantástico e maravilhoso..

.. Eu preciso de manter essa memória por perto. 

 

Porque não posso confiar em ninguém para dar a esperança e apoio emocional que preciso neste momento. Nem mesmo a minha psicóloga neste momento. Desde que informei destas noticias para algumas pessoas da minha vida, tudo o que elas fizeram foi expressar aquelas únicas frases filosofias e baratas. Do “Vive um dia de cada vez”, “Vê pelo lado positivo”, “O que estás a falar, ainda tens bom aspecto”, “Oh, não importa. Sempre serás a Safira, a Safira estava dentro de ti este tempo todo” (não me digas)… … ugh. Eu tenho consciência que as pessoas estão a tentar ajudar-me, a tentarem ser simpáticas. Mas neste momento, eu não preciso de pessoas a tentarem ser simpáticas e ajudada com apenas frases cliché que foram retiradas de uma história para crianças. Eu preciso de ajuda e suporte verdadeiro. Estou.. cansada de tanta areia que tentam atirar para os meus olhos, das pessoas tentarem fazer acreditar-me que não tenho nada que me preocupar e que eu simplesmente devia tentar ignorar tudo até que tudo volte ao normal.

 

Digam-me, alguém se relembra daquele sentimento quando se chora e existe pessoas a tentarem encorajar-te.. e tu fechas os teus olhos, apesar do facto das pessoas estarem fisicamente ao teu lado ou à tua frente.. sentires como se toda a gente estivesse a milhas de distância e tu estás completamente só apesar das vozes estarem perto de ti? Isso é o que sinto quando chego a um estado de desespero em vez de apenas aquele sentimento de frustração bastante familiar. Que não importa se tens pessoas que te dizem amar e que querem o teu melhor, o coração e mente delas ainda estão tão longe, ausente e/ou distante. Isto é, para mim, o sentimento de solidão. Quando não tens ninguém que verdadeiramente.. ama o verdadeiro eu. Que apesar das pessoas dizerem que te amam, tu sabes bem que é mentira porque aquilo que amam não és tu de verdade mas apenas aquilo que acreditam seres tu. Que não querem saber dos teus interesses mas apenas projectam as suas ideas e aquilo que acreditam ser o melhor para ti em vez daquilo que verdadeiramente desejas.

Eu não preciso de uma tempestade de areia para cobrir aquilo que vejo claramente num espelho, que sinto na minha mente. Os efeitos que pelos quais já estava a livrar-me.

Não… o que preciso é de um abraço de alguém que seja maior que eu, forte mas com um coração quente. Para fazer sentir-me que não estou só quando fecho os meus olhos e os meus soluços se tornam gemidos. O contacto físico que está a faltar tanto, que as pessoas sempre o evitaram durante a minha vida. Um gesto simples e carinhoso no ombro ou braço, de uma cara amigável. O calor humano, o odor. O sentido do tacto que faz falta e que me fez sentir apática, que fez do meu coração frágil ser pedra. A voz que vem de um outro coração e não da mente, quando me diz com ternura e honestidade que “a vida é difícil sim, tu e eu já sofremos demasiado. Não sabemos o que o futuro nos reserva mas nós iremos sobreviver, juntos.”

… Mas o que peço é demasiado, não é? Eu já ouvi isso de algumas pessoas ao longo dos anos. Que esses pequenos gestos são demasiadamente caros. Que é difícil para mim encontrar esse estilo de pessoas, porque eu sou muito complicada e diferente do resto do mundo. Vão para a merda, todos vocês que me disseram coisas desse género, do fundo do meu coração.. eu nem estou a tentar ser vingativa e maldosa, eu sinto mesmo ódio neste preciso momento por todas essas pessoas que me disseram isso no passado. Porque essas pessoas dizem essas coisas horríveis quando estão perto de mim, para “tentarem ser simpáticas”; viram as costas, esquecem que eu existo e depois vão para as redes sociais para mostrarem as fotos com as amigas, com sorrisos amarelos e copos nas mãos; dando a entender que tem uma vida perfeita e rodeada das amizades que cultivaram durante anos.

Eu sou um brinquedo, não sou? Uma boneca criada especialmente para os outros demonstrarem a sua “bondade” e depois abandonada e posta de lado. Uma aberração que ninguém pode compreender, que não merece o mero contacto trivial e banal de um outro ser humano. Estou.. cansada de ser a cadela de luxo de todo o mundo pelo qual apenas tens que preparar um pequeno lacinho para a franja quando vais me levar a passear para eu fazer as minhas necessidades e para tirares uma foto fofa para o facebook e, depois da foto ser tirada, está na hora de voltar para casa enquanto que os donos vão dar uma volta lá fora e fazem aquilo que os “humanos fazem quando não tem os cães por perto”. Passando a maior parte do dia a preocupar-me e a questionar se os donos alguma vez irão voltar a casa. Apenas com uma tigela para a ração e outra para a água. E quando os donos chegam a casa, frustrados com a vida deles, eu fico grata que não estou sozinha finalmente.. eu levo com um chuto porque os donos já não estão interessados em tirar fotos comigo para as suas redes sociais. E quando ladro, sou ignorada. Quando mordo, é me dito que sou ingrata e má porque os donos AO MENOS deram-me ração e água.

 

Alguns de vocês não tem coração, isso é óbvio para mim. Parasitas sociais e carraças, eu tenho imensa pena que vocês foram educados tão mal e são tão privilegiados ao ponto de não fazerem a menor idea o que é sofrer seriamente e sentem a necessidade de rir ou de gozar quando eu digo que quero esconder-me numa caverna devido aos eventos recentes. Eu não estou a brincar, ouve alguém que se riu em todos os momentos quando eu utilizei expressões do género nestas últimas semanas e eu fico a pensar se esta pessoa é apenas incapaz de sentir empatia pelo próximo ou apenas não é capaz de discernir a dor que sinto. Longa vida à burguesia,  que choram por cãozinhos e gatinhos nas redes sociais mas é completamente alheia ao sofrimento dos outros mesmo à frente do nariz!

Sim, porque nada mais precisa ser dito quando tu ouves algumas pessoas a dizer que “suportam-te” e ainda acham que é completamente apropriado dizer que estão no seu período e que eu nunca irei saber o que isso é. CREDO, conseguem ouvir o grito dentro da minha mente quando eu ouvi uma das pessoas que me “suporta” a ser tão atenciosa e bondosa quando me relembra que nunca irei ter filhos do meu sangue? E então aquele dia em que uma dessas outras queridas “aliadas” pensou que teria imensa piada fazer uma piada de mau gosto com respeito às “jóias da minha família”? Conseguem sentir o amor a pairar no ar? Porque, depois de tanto carinho, eu apenas consigo concluir que, ou duas uma, algumas destas pessoas que me “suportam” ou são sociopatas ou são incrivelmente mesquinhas.

 

… E sim, tenho plena consciência que algumas dessas pessoas que me “suportam” vão ler este post eventualmente. Eu nem quero saber, não revelei a identidade dessas pessoas para “o público” portanto não vale a pena estarem com forcas e apenas basta ignorarem, como costume. Nem penso revelar, a não ser que decidam fazer figuras tristes para “o público” porque disse aquilo que sinto com base em acontecimentos reais. Deixa estar, podem ignorar à vontade e esperar que faça upload de uma foto minha no facebook que aí sim vão fazer “like” na mesma para demonstrar o vosso “suporte”.

 

 

Hmhm.. de qualquer forma, está na altura de pensar o que fazer no entretanto, enquanto eu vou morrendo aos poucos por dentro durante este tempo de espera para descobrir o que o meu fígado tem de errado.

 

Não existe muito que possa fazer excepto esperar. As coisas irão se reverter aos poucos nos próximos meses, visto que irá demorar algum tempo. Estas coisas já estão a reverter-se lentamente, não é preciso atirarem com areia para os olhos e dizerem-me que ainda estou linda de morrer. Por favor, já tive melhores dias e eu tenho potencial de ainda ser mais bela que antes assim que eu (espero) possa resumir o meu Tratamento Hormonal.

O que posso fazer, no entanto, é evitar que o meu corpo se altere demasiado visto que está à mercê da Testosterona de novo. No que diz respeito às minhas ancas e cintura.. eu sempre tive, mesmo antes da transição, alguma curva (apesar de eu já não ter aquela proporção perfeita de 0,75… vou sentir tanta falta disso..). Eu irei ter que conviver com a idea de ter uma figura mais rectangular mas mesmo assim magra.

Para manter um físico elegante, terei que comer menos e não permitir que os meus músculos e gordura se desenvolvam e se redistribuem. Se não comer muito, espero que os meus músculos não irão se desenvolver muito. No que diz respeito a gorduras, desde que coma o “suficiente”, o corpo não vai poder distribuir gordura suficiente para os lugares indesejáveis. Também irei precisar de beber bastante água para livrar-me do lixo indesejável no corpo, o que será bastante fácil visto ser verão portanto, não haverá falta de sede.

A caixa toráxica e costas é que irão ser o maior problema porque, como tomei consciência com o meu Tratamento Hormonal e agora com o facto que foi retirado os bloqueadores de Testosterona, é uma área fantasticamente… err.. versátil/flexível, dependendo das hormonas que estiverem em circulação. Isto vai ser o factor determinante que irá permitir-me “passar” ou não na sociedade. Isto não é algo fácil, de prevenir que a caixa toráxica se inche demasiado ou da forma mais lenta possível. Com base no meu conhecimento totalmente pseudo e idiota de alguém mal formada no que diz respeito a este problema muito específico, eu penso que, para além da minha dieta, manter o sutiã mais apertado quando possível irá ajudar. Eu sei eu sei.. é estúpido mas eu não sei mais o que poderei fazer e esta idea é mais baseada numa esperança muito cega e parva. Ao menos irei sentir-me melhor em saber que estou a tentar e os sutiãs ainda não se romperam até agora de qualquer forma. Por favor não me convençam de que isto não vai funcionar, deixem eu acreditar que isto vai ter algum impacto!

Num lado mais positivo, eu não preciso de preocupar-me muito com a minha cara ou braços/mãos. As minhas mãos e cara sempre tiveram um aspecto bastante feminino antes do Tratamento Hormonal. Isso não irá mudar agora mesmo com a Testosterona. Nunca foram factores muito influenciados com a Testosterona mesmo durante a puberdade, é óbvio que nada irá acontecer agora.. c-certo? Certo.. poderá alterar um pouco as minhas expressões faciais.. mas, como disse, eu sempre tive uma cara bastante feminina de qualquer forma. A cara nunca irá ser problema no que diz respeito a “passar”. E as minhas mãos nunca me causaram disforia, elas são as minhas “relíquias”. O meu segredo? Usar relógios apertados nos pulsos durante a minha infância, muitos jogos e evitar pesos fortes o máximo possível! O quê? Resultou, não foi? Eu espero que a mesma lógica se aplique no que diz respeito à caixa toráxica e sutiãs..

 

Apesar dessas coisas e dependendo do quanto as coisas irão se alterar.. eu -irei- dar um aviso importante a toda a gente, para aqueles que leram até agora. Quando chegar o momento em que eu sinta que já não “passo” na sociedade devido a estas mudanças físicas… vai ser o dia que irei deixar de sair de casa a não ser para lidar e resolver qualquer questão que seja necessária para voltar a recomeçar o Tratamento Hormonal.

Isto não é negociável. Eu tenho plena consciência que tenho um trabalho e que o dinheiro é bastante necessário.. mas eu não posso simplesmente, para o bem da minha sanidade mental, meter o pé fora e.. hmm. Não. Desculpem-me mas não posso! Não é saudável. Não. Nem.. pensar. O que menos quero que aconteça é voltar a sair de casa e ter as pessoas a voltarem a tratar-me como um homem. Se alguém pensa que simplesmente terei que suportar isso só porque preciso do trabalho.. então podem ficar descansados porque eu sei muito bem que preciso de um trabalho.. de dinheiro. Mas eu também preciso de viver, de manter a minha sanidade e eu não quero colocar a minha saúde mental em risco só porque preciso de dinheiro. E quando eu descobrir que cheguei a uma altura em que as pessoas olham para mim e pensam que sou crossdresser.. então é altura de esconder-me do público.

Por favor parem de dizer-me como devo de sentir e como devo de agir. Eu estou a ser bastante séria quando eu digo que eu iria abandonar o meu trabalho se fosse necessário para preservar o que tenho. Não façam de conta agora, depois de tantos anos a dizerem que sou difícil e impossível de ser compreendida, que agora é que tem as respostas certas para os meus problemas. Eu cheguei longe não porque ouvi todas as sugestões que me foram dadas, mas porque eu conheço-me a mim mesma até bem demais e sei o que é melhor para mim.

De qualquer forma, quando essa altura chegar, eu acredito que poderei negociar algo com as minhas superiores e arranjar maneira de trabalhar em casa no entretanto (isto foi o conselho que um estranho na internet me deu recentemente. É uma idea excelente!). A internet existe, o meu PC em casa é melhor que aquele que tenho no trabalho portanto, até de certa forma, o trabalho até poderá decorrer mais rapidamente aqui que no escritório! Tenho consciência que não consigo fazer tudo aqui da mesma forma que poderia fazer no escritório mas, ao menos, é melhor do que produzir nada e ganhar nada..

 

 

E assim, eu termino este post loooongo por informar todos que estarei disponível e irei actualizar-vos através do Twitter e da minha Página de Facebook (publica). Sim, tenho consciência que eu faço muitos posts no meu twitter e na minha página de facebook que muita gente não gosta muito. Temos pena… porque não sou fan do Facebook por si mesmo e eu tento evitar falar muito no meu Facebook pessoal. Qualquer notícia importante irá ser transmitida através do meu blog e, como tal, eu acredito que só irá ser relevante criar uma destas actualizações assim que souber o que o meu fígado tem de errado.

 

E antes de dizer adeus, eu irei partilhar uma última selfie (que fotografei na última Sexta Feira).. até que volte a ter as minhas hormonas e até ficar apresentável de novo. Obrigada por lerem e se acham que fui injusta de uma maneira ou outra.. então eu espero que ao menos entendam o porquê de eu falar da maneira que falo em vez de agirem como egoístas com vontade de preservar os vossos egos e interesses pessoais. Sim.. eu sei que sou hipócrita. Vocês também, deixa estar~