[English and Portuguese] Transitioning – Second Month Update

 

(Para quem não sabe ler Inglês, a versão em Português encontra-se no final)

  • 1st Month/ 1º Mês – Link

 

ENGLISH

 

It’s that time of the month and another blog post’s in the making!

When I made the first post about my HRT, I received some positive feedback. Which has given me enough reason to continue and make this a monthly update! Overall, people are curious as to how much HRT affects an MtF Transgender. Both psychologically and physically. I’ve also heard someone saying that these blog posts allow them to witness the differences between a man and a woman, personality wise. Though I somehow disagree with the way that sentence was presented to me, I can understand how someone would look at it that way… which is fine, I guess.

 

As I write this, it’s the 59th day, I’ve already taken the 59th Anti-Androgen. I had time, it’s weekend and I’m already writing a few things ahead to finish it tomorrow, on the 60th day and 60th Anti-Androgen. Most of the changes since last time were, to no surprise, psychological and emotional. And oh my, what changes! Physically, there’s little to say, though there is still a few things to point out. Perhaps, this time, I’ll write up the physical aspects first.. since it’s short and quicker!

 

 

Physical changes:

Physically, my weight remained the same after the sudden drop to 77 KG’s. There are some days that I have 76 KG’s. It seems that it settled between those two numbers, which is perfect for me, considering my height. Wouldn’t want it much lower or, worse, higher.

There has been some minor fat redistribution. I don’t know what exactly happened, if it’s the lost of muscle mass (since I’ve felt a little lost on my physical strength on a few minor trivial day to day activities.. such has opening doors) or just overall fat redistribution. I feel my waist has remained somehow the same but, on the other hand, my hips are the ones getting most of the fat nowadays. Honestly? If I was an average cisgender woman, I would definitely have a pear body shape. Since I’m not cisgendered, I think that, with time, I’ll reach an hourglass figure. Or, if not, something quite close to it. All I know is, when I eat, everything goes down to the hips rather than my waist/stomach!

Overall, despise the fact that I’m getting thinner on certain areas and rounder on others, I feel fatter! Though I’m sure that’s just how it’s supposed to be so I’m getting used to it. I feel my chest is also getting bigger on a rather subtle note? But it could be because, from my perspective, my waist is slightly thinner, which makes my chest area look bigger than before. I’m not really sure but something changed and has made it so that my chest looks a “liiiiil’bit bigger”.

My skin feels.. different also. Smoother. Less rough. It could be because of the laser sessions I’ve been having.. so it’s best not to assume things. There’s already been quite a few changes in a short period of time, which is fantastic!

Also, all the pains I’ve described on the first month? Yeah, those are gone. Maybe those were not related to my HRT and it was all a major coincidence.

 

 

Psychological changes:

This is perhaps where all the major changes have been happening thus far. I will be far more nuanced with my ardent exposure of those same changes.

Most of you simply have no idea how it feels, how fulfilling it feels! For my whole life, given my own predicament; my gender dysphoria has given me, mixed with my own natural outlook in life and own subconscious, a few personality issues. The feeling that you can’t reach a satisfying personality.. and you keep trying to reach a state of being where you are happy with who you are, emotionally and mentally. The feeling that you know exactly who you are, you know what you are capable, you know yourself too much.. but, for some reason, there’s something that stops you from reaching the same personality traits you know you have locked in somewhere in your heart and mind.

You are.. incomplete, unsatisfied. Frustrated. And now.. in mere two months of HRT, you finally gain access to those same things you knew you had within you. You are free. You.. are finally starting to be.. you! There’s less weight and you feel like you can finally experience the world that was around you the whole time. You can finally react, think, act.. the way you knew you always would if it weren’t for the bizarre chains that kept you down. The chains that didn’t allow you to express your true self. Freedom, laughter. You are now happier in general, even though you now cry far more. Nothing is holding back the tears and the emotions that you always felt. The invisible gag is no longer there, people will be able to hear you now. It feels.. soooo goooood!

 

It’s true, I’ve been crying more in general. Sure, more based on the less pleasant daily events that come and go.. but also happy tears! I’ve cried more in a week than the whole previous year (2016).. and I’m glad I can finally cry when the emotions are there. I’m not on estrogen yet but I believe that I’m going to be quite a crybaby once I get there.. which is fine. I already knew I had it within me.

 

Even my creativity has been affected by HRT. Though I wasn’t sure what was wrong with me given how I spent the entire month of January without knowing what to draw and, once finally deciding on what to draw, I’ve been failing to reproduce the art style that people have been familiar with… I now know why. Because my dreams are different. I no longer have the same dreams that I used to have, which is a big deal! Since creativity comes from dreams, from one’s imagination, perspective, understanding and mental state. If my dreams are different, among other things, then it’s no wonder that the artist that I once was is.. also gone!

I thought I was going to be sadder about losing a talent but I’m not! I think this will be a fine opportunity to take things slowly, find myself has an artist again and take the chance to change my art style.

My dreams are far less.. action based. Less violent. I used to wake up, thinking why was I dreaming such things. I didn’t enjoy most of my dreams. Those were abstract in nature, based on things that I wasn’t even sure. And the things I knew they were based of, I was disgusted with myself. The best nights spent where the ones I didn’t knew what I dreamed of, or dreaming about nostalgic encounters with people I once considered friends.

Now, my dreams are, has I said, less action based. Less violent. The transition (haaaaa!) between sleep and waking up is far smoother, even on those nights between work days where I sleep less and, therefore, wake up tired. No longer questionable dreams! Though I can’t exactly remember any dream in specific, I know that my dreams are now mostly based on social gatherings. Talking, imagining people that I know encountering with others. Sometimes confrontation and drama, which transpires a feeling of uncertainty and emergency. My dreams have been.. lovely. Calmer. I quite enjoy dreaming now, even when it’s not a lucid one. In fact, I haven’t had a lucid dream since I’ve started my HRT. Those where somehow more frequent before!

 

I’ve also been sharing and expressing more the things that I feel. I don’t exactly know what drives me to do so but part of me just lost the shame in informing people about a good number of things. That’s nice.. though I do worry if I’m oversharing when I tell people one thing or another. Oh well.. doesn’t matter. I’m happy either way.

 

There also has been a few changes in the way that I react towards people in general when I feel they are doing something wrong or bad in general towards me. Of course, as much some people don’t really enjoy hearing this, it ends up being true in my case. I’m more sensitive, words have more power now than they used to and those are capable of doing some damage.

I already knew that, I was always sensitive. Certain words, expressions and behaviors always wounded me one way or another. People, their personalities, their intentions. I was always someone who could easily read people’s personality and intentions like an open book. There’s very little that goes unnoticed with me, and I always hated people who think they can get away with so many things. They cannot, I’m well aware of most things that happen on my surroundings. Even when not looking, even when not told. The words not spoken, the things that are told instead. The tone of the voice, the childish behavior that some people have when they are trying to hide something from me. I always knew and felt those things… trust me. I never forget and I easily connect behaviors with events that seem unrelated, much like web of patterns. And it always been most people’s mistake for thinking that my overall passivity means that I’m oblivious. A fair mistake, given my overall perpetual saint/innocent-looking face and mannerisms, but it has never been the case.

Before, I would try to take a more logical approach and evaluate the situation. If it was not the first time the person had done such a thing and the person showed no remorse, though I no longer would hold any love for said person, I would consider to stay near and wait and see where things were heading if the person continued down that path. Out of amusement, or because I wanted to be near when the inevitable came and, perhaps, do something about it for a change. Or, if I really held no regard for the person after the things done and said (and didn’t really cared for the person’s “fate”), abandon them if possible. I never had issues doing that to people I don’t fully like. Or, if somehow, despise everything, they were still somehow useful for my own interests, keep them around until they are no longer useful. A fair deal, for those that abuse their luck when mistreating me.

But something changed. I’m less tolerant towards those that wound me. I can no longer hold the same mindset I used to. Though I still maintain the same ability, to read people’s personalities and intentions quite easily (even from those that think they are quite clever. Those tend to be the most amusing to deal with… /sarcasm), I can no longer remain quiet. Or, if I do remain quiet, I somehow transpire my disapproval or mood one way or another. Unable to conceal what I feel towards a situation, even in silence when the person is near. I just.. can’t fully conceal, hold it perfectly has I used to. No matter who that person is. There’s this irrational and emotional need to make sure they have at least a sample of what I’m feeling, even without the use of subtle choice of words.. or words at all!

For me, this is great. For people who often act carelessly towards me personally.. this is somehow bad news, depending how much they value my words and presence in their lives. Sucks for them.

 

Given these changes that I’ve listed, there is one last thing that I want to, urgently, remind the people that I deal with daily/in Real Life.

Whenever you are for or against my transition. Whenever you understand or not. Whenever you consider me a woman be treated like any other or not. It matters not what you believe or feel towards my transition. The truth is, this transition is happening quite fast. Specially on an emotional level. If you do deal with me on a regular basis, my suggestion is, if you do care, if you already don’t do so, to start realizing that the person you knew until a month or two ago.. it is quickly “dying”.

Much is changing and I’ve noticed that the approach that some people have towards me, that always had, it.. no longer works. Quite the opposite, I’ve felt that some people have become quite toxic. Not because they’ve changed, but because I did. I’m not saying that you should treat me that differently either, as a precious flower that will tumble if even a breeze tickles one of the petals. I’m not becoming that frail and it would be terrible if people were afraid to even make a simple darndest joke around me! But I’ve noticed that some people say or act in a way that I may disapprove of.. and notice that, right afterwards, they hold no form of empathy and expect me to laugh at whatever clever joke they came up with after the quite defined slap. In the past, I could play along, despise the offense. Now I can no longer do that. If you slapped me, unironically, don’t pretend it didn’t happen. Do not expect me to “brush it off”, to “take it and shush”. I won’t, it’s personal. And remember, I don’t forget. And I only forgive those who actually and genuinely feel remorse.

And yes, I know the difference between having a bad day and “lashing out” on the nearest person.. and a bitch. The former being mostly understandable if it’s a rare occasion, deserving of some care and exchange of compassionate words. The latter is unacceptable in any shape and form. There’s plenty of people in this world, there’s no need to spend too much time with people who aren’t compatible just to fill a fictitious quota. One good friend is better than hundreds of fools that have been mistaken has friends just for a false sense of prevention against loneliness.

And no, absolutely no one gets a free jail card out of this reminder. I hope I made myself clear…

Or you could call it a phase. It’s fairly possible that this could be a “tantrum” provoked by someone that entered a pseudo form of puberty. I wouldn’t bet on it though because I do feel stable, more than ever before.

As long you are genuine and honest, we’ll get along just perfectly. Lie and abuse me often for your own selfish interests, and I’ll be gone as soon as I can. Simple.

 

I could go on about a few other psychological changes. But I’m afraid those are too confidential and too many!

 

 

Final Thoughts:

Though I’m sure there are some people feeling quite awkward after those last few paragraphs, which I apologize but there are some people that needed to receive that urgent reminder (despise all the warnings I gave them before the HRT, since I was foreseeing these psychological changes a mile away.. and it’s amazing how there have been a small number of people that think they are above those warnings. They are not and they’ll realize it the hard away), I do hope that you have enjoyed and/or gained the knowledge you needed to have a better understanding on HRT.

 

On my own personal life with my family, it has been amazing as well! Noticing my parents becoming accepting towards my transition, learning that even my father is finally understanding where this is heading and what it means for him as a father.. also accepting it. Things with my parents are turning out better than I’ve ever imagined, given the religious believes that separate us! In fact, so well that the things I thought would be impossible and a mere dream.. are coming true and will most likely happen, as far as my relationship with my family goes.

Though I’ve waited so long to start my transition, I do believe it wasn’t without any sort of benefit at the end. This is the benefit, giving my family time to understand, to meditate on the predicament.. instead of rushing and not trying to accept some of the religious demands (that would never work) that they have imposed and failed. They needed evidence and an example, they needed to do their research. They needed to see how much I was suffering for not doing my transition, in a way that it wouldn’t be possible to doubt that this path is the best solution. Those things take time, but it all pays off at the end. Patience, understanding and some temporary compliance. Choosing the right words, self disciple, it can soften the hearts of even the most zealots. Though I wasn’t able to “revolutionize” a religious doctrine, I was still able to have my family at the end. And that’s better than any type of “revolution” or “rebellion” made out of anger, selfishness and lack of empathy towards those who think differently, against a society that “abandoned” them. :’)

 

I do not know what to expect in the next 30 days. There have been a lot of changes and I think the other more drastic changes will occur at a much later stage (at the beginning of the 4th-5th month). Then again, given how fast things have been changing in these last two months, I am fairly certain that my body is being quite receptive towards the treatment. Just embracing everything that the therapy can do to change! Not many transgenders get that privilege and I acknowledge that, despise all odds, I’m still incredibly lucky! The odds were low.. on a lot of things that could had happened. But I do feel that I’m transitioning well~

Thank you and I’ll see you next month!

 

 

 

PORTUGUÊS

 

Chegamos ao fim de mais um mês e, portanto, chegou a altura de um novo post no meu blog!

Quando fiz o primeiro post com respeito ao meu Tratamento Hormonal, eu recebi algum feedback positivo. O que me deu a mim razões suficientes para continuar e fazer uma segunda actualização para mais um mês! De forma geral, as pessoas estão curiosas dos efeitos de um Tratamento Hormonal no que diz respeito a Transsexuais MtF. Tanto em sentido psicológico como físico. Também ouvi da parte de alguém de que estes posts de blog permitem com que as pessoas tenham mais consciência das diferenças entre um homem e uma mulher, em termos de personalidade. Apesar de discordar pela forma como essa observação foi apresentada, eu sou capaz de compreender esse estilo de mentalidade da parte de algumas pessoas.. o que não me faz importância se é isso que as pessoas pensam.

 

Ao escrever isto, estou no 59º dia, já consumi o 59º Anti-andrógeno. Tive tempo, neste fim de semana e já estou a adiantar algum texto para completar depois amanhã, no 60º dia e 60º Anti-andrógeno. Muitas das mudanças desde a última vez foram, para surpresa de ninguém, psicológicas e emocionais. E que mudanças! Fisicamente, à pouco que dizer, apesar de existirem algumas mudanças que merecem alguma atenção. Desta vez, irei descrever as mudanças físicas primeiro.. visto serem poucas e mais fáceis de listar.

 

 

Mudanças físicas:

Fisicamente, o meu peso manteve-se após a perda até aos 77 KG’s. Tem existido alguns dias em que o peso desce para os 76 KG’s. Portanto, o peso tem se oscilado entre esses dois números, o que é perfeito para mim, considerando a minha altura. Não ficaria bem com menos ou, pior ainda, mais.

Tem existido alguma redistribuição de gordura. Eu não sei ao certo o que aconteceu, se é porque a minha massa muscular tem diminuído (visto que sinto que perdi alguma força física em algumas das funções mais triviais do dia a dia.. como, por exemplo, ao abrir portas) ou apenas redistribuição de gordura. Eu sinto que a minha cintura permaneceu mais estreita mas, por outro lado, as minhas ancas são as que tem recebido a maior parte da gordura hoje em dia. Para dizer a verdade? Se fosse cisgénera, eu teria um formato pêra… sem dúvida. Mas como não sou, penso que, com o tempo, irei chegar a um formato ampulheta. Ou, se não for o caso, algo bastante parecido com tal. Apenas sei que, quando como, tudo vai parar as ancas em vez da minha cintura/estômago!

De forma geral, apesar de estar a ficar mais magra em algumas áreas e noutras redonda, eu sinto gorda! Apesar de ter a certeza de que este sentimento é normal e apenas terei que me habituar a tal, pelo que não tem sido muito difícil. Eu sinto que o meu peito também tem ganhado algum volume, de uma forma mais subtil? Mas pode ser que seja, na minha perspectiva, devido à cintura estar mais estreita, que a área do meu peito esteja maior que antes. Não tenho muito a certeza mas algum está diferente e isso tem feito com que o meu peito se pareça “um pouquinho maior”.

A minha pele também.. parece diferente. Mais suave. Menos irregular. Pode ser que seja das minhas sessões a laser… portanto seria bom não assumir coisas. Já tem existido muitas mudanças em pouco tempo, o que é fantástico!

Também, todas aquelas dores que descrevi no primeiro mês? Sim, essas já passaram. Se calhar não tinha nada a ver com o Tratamento Hormonal, uma coincidência.

 

 

Mudanças Psicológicas:

Esta talvez seja a fonte das muitas mudanças que tem acontecido até agora. Irei descrever essas mudanças de forma mais detalhada e mais emotiva na minha exposição das mesmas.

Muitos de vocês nunca saberão o que é sentir o que eu sinto, o quão realizada eu sinto agora! Durante toda a minha vida, devido ao meu dilema; à minha disforia de género, juntamente com a minha própria forma de viver e meu subconsciente, o surgimento de problemas na minha própria personalidade. O sentir que uma pessoa não consegue alcançar uma personalidade satisfatória.. e o tentar alcançar um estado em que sente-se feliz por aquilo que somos, emocionalmente e mentalmente. O sentir que tu sabes exactamente quem és, daquilo que és capaz, o conheceres a ti mesma tão bem.. mas, por alguma razão, existe algo que não te permite alcançar esses mesmos aspectos da tua personalidade, que estão escondidos algures no teu coração e mente.

Tu sentes.. incompleta, insatisfeita. Frustrada. E agora.. em apenas dois meses de Tratamento Hormonal, tu finalmente tens acesso a muitas dessas mesmas coisas que sabias que tinhas dentro de ti. Estás mais livre. Tu.. finalmente estás a tornar-te.. tu! Existe menos peso e tu sentes que finalmente podes visualizar o mundo que estava à tua frente este tempo todo. Podes finalmente reagir, pensar, agir.. da forma que sabias que sempre farias se não fosse pelas correntes bizarras que sempre colocaram-te em baixo. As correntes que não te permitiam exprimir quem tu eras de verdade. A liberdade, as gargalhadas. Estás mais feliz de forma geral, mesmo apesar de chorares mais. Nada trava as lágrimas e emoções que tu sempre sentiste. A mordaça invisível já não se encontra lá, as pessoas vão te poder ouvir agora. Sabe… tãaaaooo beeeeeeeeeem!

 

É verdade, eu tenho chorado mais de forma geral. Óbvio, mais de tristeza com base nos eventos diários.. mas também lágrimas de alegria! Chorei mais numa semana que no ano de 2016 inteiro.. e estou grata de poder finalmente chorar quando as emoções estão lá. Ainda não estou a tomar estrogênio mas acredito que vou ser uma chorosa assim que chegar a esse ponto.. o que é bom. Eu já sabia que era assim bem lá no fundo.

 

Até mesmo a minha criatividade tem sido influenciada pelo Tratamento Hormonal. Apesar de não ter tido a certeza do que estava a passar-se de mal comigo durante o mês inteiro de Janeiro, devido a não saber o que desenhar e, assim que cheguei a uma decisão, não conseguir reproduzir o estilo de arte que as pessoas já conhecem bem.. eu agora sei porquê. Porque os meus sonhos são diferentes. Eu não sonho as mesmas coisas com que antes sonhava, o que é algo bastante significativo! Porque a criatividade vem dos sonhos, da imaginação, perspectiva, entendimento e estado mental. Se os meus sonhos são diferentes, entre outras coisas, então é óbvio que a artista que antes era.. já não existe!

Eu pensava que ficaria mais triste de perder um talento mas não estou! Eu acho que isto vai ser uma excelente oportunidade para descontrair, encontrar-me de novo como artista e aproveitar e fazer mudanças no meu estilo de arte.

Os meus sonhos tem menos.. acção. Menos violentos. Eu costumava acordar, pensando na razão de estar a sonhar tais coisas. Eu não gostava muito dos meus sonhos. Eram abstractos na sua forma natural, baseado em coisas que nem tinha a certeza. E as coisas que sabia, eu ficava com nojo de mim mesma. As melhores noites foram aquelas pelo qual não sabia o que tinha sonhado, ou sonhos nostálgicos com pessoas pelo qual considerava amigas.

Agora, os meus sonhos são, como disse, com menos acção. Menos violentes. A transição (haaaaa!) entre o dormir e o estar acordada é mais suave, mesmo naquelas noites mais difíceis entre dois dias de trabalho e pelo qual acordo cansada. Nunca mais tive sonhos questionáveis! Apesar de não saber exactamente com o que eu já sonhei em específico, eu sei que os meus sonhos são agora baseados em encontros sociais. Conversas, imaginando pessoas que conheço a encontrarem-se com outras. Ás vezes confrontação e drama, o que transmite um sentimento de incerteza e emergência. Os meus sonhos tem sido.. adoráveis. Calmos. Eu agora adoro sonhar, mesmo sem serem sonhos lúcidos. Para dizer a verdade, nunca mais tive um sonho lúcido desde que comecei o Tratamento Hormonal. Esses eram muito mais frequentes!

 

Eu também tenho partilhado e expressado mais no que diz respeito às coisas que sinto. Não sei exactamente a razão pelo qual me leva a fazer tal mas parte de mim perdeu a vergonha de informar as pessoas acerca de um bom número de coisas. Isso também é bom.. apesar de sentir que talvez esteja a partilhar demais quando digo uma coisa ou outra a certas pessoas. Bem.. não importa. Estou feliz de qualquer forma.

 

Também tem existido algumas mudanças na forma como reajo perante as pessoas de forma geral pelo qual sinto que estejam a fazer algo de errado ou mal contra mim. Claro, mesmo que existem pessoas que não gostam muito de ouvir isto, acaba por ser verdade no meu caso. Estou mais sensível, as palavras tem mais poder agora do que tinham antes e essas mesmas são capazes de causar algum dano.

Eu sempre soube disso, de que era sensível. Algumas palavras, expressões e comportamentos sempre me magoaram de uma forma ou outra. Pessoas, com as suas personalidades, suas intenções. Sempre soube ler as intenções e personalidade de uma pessoa como se fossem um livro aberto. Existe pouca coisa que passa por mim sem eu dar conta. Mesmo sem olhares, mesmo sem ser dito. As palavras não faladas, as coisas que são ditas em vez das que deviam ser. O tom da voz, o comportamento infantil de algumas pessoas quando tentam esconder algo de mim. Eu sempre soube e sempre senti essas coisas.. acreditem. Eu nunca me esqueço e eu tenho capacidade de facilmente fazer as ligações entre eventos e comportamentos que parecem não existirem, como uma teia de aranha com os seus padrões únicos. E foi sempre um erro grave das pessoas pensarem que a minha passividade de forma geral é sinónimo de desatenção. Um erro que até compreendo, devido à minha aparência e maneirismos inocentes, mas nunca foi o caso.

Antes, sempre adoptei uma posição mais lógica, avaliando a situação. Se não fosse a primeira vez que a pessoa tenha feito algo de errado e a pessoa não demonstra-se remorsos, apesar de já não ter amor pela mesma pessoa, eu iria considerar ficar por perto e esperar e ver onde as coisas iriam parar se a pessoa continua-se no mesmo caminho. Por pura curiosidade, ou porque eu queria ficar por perto e ver o inevitável e, talvez, fazer algo com respeito a isso. Ou, se eu mesmo não quisesse mais saber da pessoa depois das coisas ditas e feitas (e não quisesse saber da pessoa para absolutamente nada), abandonar-lhes quanto mais rápido possível. Nunca tive problemas em abandonar pessoas que não gosto completamente. Ou, por alguma razão, mesmo apesar de tudo o que está de errado com a pessoa, a pessoa ser ainda útil para os meus próprios interesses, mantê-la por perto até deixar de ser util. O que é completamente justo, para aqueles que abusam da sua sorte ao maltratarem-me vez após vez.

Mas algo mudou. Estou menos tolerante no que diz respeito às pessoas que maltratam-me. Já não sou capaz de manter a mesma mentalidade que tinha antes. Apesar de manter a mesma habilidade, de ler a personalidade e intenções de uma pessoa de forma fácil (mesmo aqueles que julgam ser espertos. Esses são tão engraçados de lidar… /sarcasmo), eu não consigo me manter calada. Ou, se conseguir manter-me calada, eu de uma forma ou outra demonstro a minha insatisfação ou humor. Incapaz de esconder o que sinto perante uma situação, mesmo em silêncio quando a pessoa está próxima. Não importa quem seja. Existe esta necessidade irracional e emocional que faz com que eu sinta que as pessoas em questão tem de receber uma amostra daquilo que eu sinto, mesmo sem o uso de palavras subtis.. ou sem qualquer palavra!

Para mim, isto é óptimo. Para as pessoas que agem de forma descuidada para comigo.. isto poderá ser más noticias, dependendo do quando a pessoa me valoriza. Temos pena, é o que é.

 

Devido a estas mudanças pelo qual descrevi, existe uma última coisa pelo qual eu quero, urgentemente, relembrar as pessoas pelo qual lido no dia a dia (na vida real).

Independentemente de seres a favor ou contra a minha transição. Independentemente se percebas ou não. Independentemente de me considerares uma mulher que deve ser tratada como qualquer outra ou não. Não importa o que possas crer ou sentir com respeito à minha transição. A verdade é, esta transição está a ocorrer de forma rápida. Especialmente a nível emocional. Se lidas comigo regularmente, a minha sugestão é, se quiseres saber, se é que já não tens isso em mente, seria bom que tivesses consciência plena de que a pessoa que conhecias à um mês ou dois atrás.. está a “morrer” rapidamente.

Muito está a ser alterado e eu sempre notei que a forma de algumas pessoas me tratarem, que sempre o fizeram da mesma forma, já… não funciona. Muito pelo contrário, eu sinto que algumas pessoas se tornaram uma companhia tóxica. Não porque mudaram, mas porque eu mudei. Também não estou a querer dizer que as pessoas têm de me tratar de uma forma bastante diferente, como se fosse uma flor que vai murchar logo que sentir uma brisa a fazer cócegas nas pétalas. Não estou a tornar-me numa pessoa assim tão sensível e seria terrível saber que as pessoas tem medo de fazer até mesmo uma piada inofensiva na minha presença! Mas tenho notado que algumas pessoas falam e agem de uma forma que eu não concordo.. e notar que, logo depois, essas pessoas não sentem qualquer forma de empatia e até têm a lata de pensar que eu tenho de rir de uma piada qualquer que criaram no momento após a chapada bem definida. No passado, eu ignorava mais a situação e aceitaria a piada após a ofensa. Agora não sou capaz de fazer isso. Se me magoaste, sem ironia, não finjas que isso não aconteceu. Não esperes que eu “ignore”, ou que “aceite e cale”. Não o farei, é pessoal. E lembrem-se, eu não esqueço. E eu apenas perdoo as pessoas que sentem remorso genuíno.

E sim, eu sei a diferença entre uma pessoa que está nos seus piores dias e está a “descarregar essa energia negativa” para a pessoa mais próxima.. e uma cabra. O primeiro caso sendo aceitável em muitos casos se for uma ocasião rara, merecendo alguma atenção e palavras ternas. O último caso, por outro lado, é completamente inaceitável. Existe muitas pessoas neste mundo, não existe necessidade de passar demasiado tempo com pessoas que não são compatíveis só para preencher um número fictício de amizades. Uma excelente amizade é melhor que centenas de idiotas que são chamados de amigos só para manter uma falsa sensação de prevenção contra a solidão.

E não, absolutamente ninguém é livre deste lembrete. Não posso ser mais explicita…

Ou poderão chamar a isto de uma fase. É bastante possível que tudo isto não é nada mais que uma “birra” provocada por alguém que entrou numa forma de puberdade. Eu não apostava nisso porque eu até sinto bastante estável, mais do que nunca.

Desde que sejas uma pessoa genuína e honesta, nós iremos nos entender perfeitamente. Sê mentirosa e abusiva para os teus próprios interesses, e eu desaparecerei o mais rapidamente possível. Simples.

 

Eu poderia continuar a descrever outras mudanças a nível psicológico. Mas receio que o que resta é demasiado e confidencial!

 

 

Últimas palavras:

Apesar de não duvidar que existam algumas pessoas que se sintam perturbadas depois daqueles últimos parágrafos, pelo qual peço perdão mas existem algumas pessoas que necessitavam de receber esse lembrete urgente (apesar de todos os avisos que forneci antes do Tratamento Hormonal, visto que já estava a prever estas mudanças a nível psicológico a um quilómetro de distância.. e é impressionante como tem existido um número bastante pequeno de pessoas que acham que estão acima destes avisos. Eles não estão e vão ser relembrados à força, quando for tarde demais), eu espero que tenham gostado e/ou tenham obtido mais conhecimento que necessitavam no que diz respeito ao Tratamento Hormonal.

 

Na minha vida pessoal com a minha família, as coisas tem estado lindamente também! Notar que os meus pais estão a aceitar a minha transição cada vez mais, tomar conhecimento de que o meu pai está finalmente a compreender onde isto irá terminar e o que isso significada para ele como pai.. também aceitando-me. As coisas estão melhores do que eu poderia alguma vez imaginar com respeito aos meus pais, apesar das crenças religiosas que nos separam! Aliás, tão bem que as coisas que pensava ser impossíveis e apenas um sonho.. estão a tornar-se realidade e poderá muito bem acontecer de forma plena, no que diz respeito ao meu relacionamento com a minha família.

Apesar de ter esperado tanto pela minha transição, eu acredito que não foi tudo em vão e sem benefício algum. Este foi o benefício, foi o tempo necessário para a minha família compreender, meditar no que diz respeito a este dilema.. em vez de apressar e não tentar aceitar algumas das exigências religiosas (que nunca iriam resultar de qualquer forma) que apliquei, sem os resultados positivos que esperavam. Eles precisavam de uma prova viva e um exemplo, eles precisavam de fazer a sua pesquisa. Eles precisavam de saber o quanto eu estava a sofrer por não fazer a transição, de forma a que não seria possível existir dúvidas algumas no caminho que escolhi para mim mesma, a melhor solução. Essas coisas levam o seu tempo, mas tem os seus resultados positivos. Paciência, entendimento e alguma humildade. Escolher as palavras certas, disciplina e auto controle, pode suavizar os corações até mesmo dos mais zelosos. Apesar de não ter criado uma “revolução” nesta doutrina religiosa específica, eu ainda fui capaz de ter uma família no fim. E isso é melhor do que qualquer estilo de “revolução” ou “rebelião” criada com ira, egoísmo e falta de empatia por aqueles que pensam de forma diferente, contra a sociedade que os “abandonou”. :’)

 

Eu não sei o que esperar nos próximos 30 dias. Tem existido muitas mudanças e eu acho que as mudanças mais drásticas irão ocorrer mais à frente no processo (talvez no princípio do 4º-5º mês). Também é verdade que, devido à quantidade de mudanças rápidas que tem ocorrido nestes últimos dois meses, estou confiante que o meu corpo está a ser bastante receptível a este tratamento. Abraçando todas as mudanças que a terapia pode fornecer! Nem todas as pessoas Transsexuais tem esse privilégio e eu tenho consciência disso, apesar de muita coisa que poderia ter corrido mal, eu tenho muita sorte! A probabilidade era baixa.. em muitos aspectos. Mas eu sinto estou a fazer uma excelente transição~

Obrigada e vejo-vos no o próximo mês!